Uma outra versão para a morte de Clayton

Amigos, leiam com atenção. Trata-se de mais uma versão (a mais próxima da realidade, até o momento) narrada por quem viveu de muito perto tudo o que aconteceu na noite de quarta-feira.

Durante o jogo, reparei a frieza que vinha do setor amarelo e até do Tobogã, normalmente os setores que “puxam os gritos e inflamam a torcida”.

Quero aqui deixar o meu apelo, como pai de família que sou, a todos estes jovens que integram as Torcidas Organizadas: Galera, a presença de vocês dentro dos estádios é algo necessário e magnífico.

Quem não se emociona quando a torcida puxa o “Vamos, vamos meu Timao, vamos meu Timão, não para de lutar…”

Vocês fazem a nossa alegria e alegria do time dentro dos estádios.

Mas fora, estão causando tristeza aos seus pais e a tantos outros pais e mães de família.

Cabecinha no lugar, galera. Pelo amor de Deus!

Publicado no Blog Eneaotil – Matéria Original: Clique Aqui

Quando o William foi incendiado por faíscas de sinalizadores e papéis picados, resultado de uma equação bem simples e capaz de ser prevista até por uma criança ainda bem pequenina, boa parte da imprensa sorriu. Achou curioso – para não dizer engraçado – que diante de um Pacaembu lotado, o capitão do time campeão paulista de 2009 pegasse fogo ao lado do Ministro dos Esportes Orlando Silva, do Secretário de Esportes da Cidade de São Paulo Walter Feldman e do presidente do clube Andres Sanchez. E, mais uma vez, limitou-se a resumir o fato somente em manchete e noticiou-o em duas linhas como se fosse um acidente casual.

Ao atear fogo no ônibus da torcida do Vasco ontem, 03/06, os torcedores corinthianos conseguiram uma atenção pouco maior por parte dos jornalistas. Digo pouco porque, apesar de ter sido massacrada com notícias sobre o fato em todos os veículos de comunicação, nenhum jornalista buscou, novamente, saber o que aconteceu na noite de ontem.

Li um promotor discursar sobre uma possível emboscada de corinthianos, associados aos Gaviões da Fiel e pertencentes ao movimento da Rua São Jorge, preparados para pegarem a torcida do Vasco na Ponte das Bandeiras. Ouvi a polícia dizer que nos quatro carros que acompanhavam o ônibus das pessoas da Rua São Jorge havia barras de ferro e uma espingarda de calibre 12. Vi a Ana Maria Braga gritar com um papagaio falante ao seu lado que “aquilo não era torcedor, mas um bando de marginal e vagabundo”.

E precisei de três ou quatro telefonemas para tentar ouvir quem nunca é ouvido. Alguém que, infelizmente, é sempre um de nós.

**

Quando o Mandioca me procurou na arquibancada ontem, no intervalo do jogo, e me disse que havia ocorrido um confronto entre torcedores da Rua São Jorge e torcedores do Vasco, eu busquei com os olhos algum amigo integrante do movimento. Achei e perguntei se ele tinha alguma informação.

- Estou esperando alguém me dar notícias, mas há bastante gente ferida porque o negócio foi feio. Parece que houve um tiroteio.

Vi as lideranças das torcidas conversando próximas ao alambrado até o intervalo do segundo tempo. Senti um clima tenso, pesado, frio, preocupado e preocupante. Mais do que já estava naquela noite gelada de outono, de uma semifinal vencida por 0 a 0 em uma partida mal disputada.

Ao sair, esmagada por uma multidão desorganizada, peguei uma carona com um amigo. Ligamos o rádio e ouvimos que havia um ônibus da torcida do Vasco incendiado do lado de fora do Pacaembu em represália à morte de um torcedor corinthiano na Marginal Tietê.

Cheguei a minha casa e as primeiras informações já estavam na internet: emboscada, briga, tiro, espancamento, fogo, ônibus, nada. Liguei para dois ou três amigos que provavelmente estariam no ônibus de corinthianos da Marginal, já que eles são lideranças do Movimento Rua São Jorge e costumam sair do Corinthians em dia de jogo até o Pacaembu. Nada mais coerente. Nenhum atendia ao telefone. Dormi mal e preocupada.

Quando acordei, as notícias eram as mesmas. Exatamente nada apurado. Liguei o MSN e encontrei um amigo que havia visto ontem no estádio:

- Está sabendo de alguma informação?
- Sim. Saí do jogo e fui ao PS de Santana, para onde foram levados os torcedores feridos. O torcedor morto não foi reconhecido. Foi encontrado pelado, só de cueca, na Praça Campo de Bagatelle, sem nenhum documento e desfigurado.
- E o que aconteceu?
- 15 ônibus do Vasco cruzaram com um do Corinthians na Marginal Tietê.

Difícil acreditar que torcedores de um ônibus do Corinthians fizessem emboscada para 15 ônibus com torcedores do Vasco. Nem toda a falta de bom senso do mundo atropelaria essa matemática.

Depois falei de novo com o Mandioca, que tinha conversado com o Sid, que tinha falado com o Gabriel, todos tentando encontrar alguma informação do que aconteceu, de algum amigo ferido, morto.

O Gabriel não tinha conseguido entrar no estádio porque um dos meninos que estava com o ingresso dele também estava no ônibus da Rua São Jorge, indo para o Pacaembu. Às 21h50, horário em que começaria o jogo, ele ligou para esse amigo:

- Pô, são 21h50. Cadê você com meu ingresso? O jogo está começando.
- A polícia parou a gente para uma revista aqui na frente do Clube Esperia. Acho que já já eu to aí. Peraí, mano, putaquepariu!!!!! Peraí que os caras da Força Jovem estão correndo para cima da gente.

E desligou o telefone. O Gabriel não entendeu bem o que tinha acontecido e continuou na porta do estádio, na esperança de conseguir o seu ingresso e entrar para ver o jogo. Um tempo depois, apareceram de táxi algumas pessoas que estavam na briga para contar o que tinha acontecido. Pareciam zumbis, inchados, cortados, com os agasalhos encharcados de sangue.

- Quem conseguiu escapar está aqui. Quem não conseguiu, está preso ou foi parar no hospital – disse um deles para o Gabriel.

**

Depois li na internet o promotor declarando que a emboscada já estava armada há muito tempo. Que na quarta-feira de manhã ele já tinha recebido uma denúncia e que a torcida do Vasco tinha proposto deixar os ônibus nas sedes da TUP e da Mancha Verde, organizadas do Palmeiras e que são co-irmãs da Força Jovem, como eles gostam de dizer. Mas que a promotoria e a polícia não tinham aceitado porque, no trajeto a pé ao Pacaembu, haveria enfrentamento entre torcedores.

Ficou decidido que ao chegar a Guarulhos os ônibus da torcida do Vasco receberiam escolta policial até o Pacaembu, fazendo o caminho pela Marginal Tietê. Mesmo caminho que fazem os torcedores corinthianos lá da Zona Leste e que a polícia do estado saberia se tivesse alguma comunicação até mesmo por um walk talk.

Foi neste trajeto que tudo aconteceu. E só quem estava lá saberia me dizer o que tinha rolado. Até que consegui falar com um dos amigos lideranças do movimento, hospitalizado.

- Como você está?
- Sem dente, cabeça cheia de ponto, com dor até para respirar. Talvez tenha que operar a mão e o braço.
- E o que aconteceu?

O que aconteceu foi que a Rocam parou o ônibus dos torcedores do Corinthians para uma revista. E parou quatro carros de corinthianos que estavam junto. O ônibus dos torcedores corinthianos não tinha nenhuma escolta policial porque, segundo a promotoria, eles não são torcedores organizados com CNPJ. Mas são. Torcedores dos Gaviões da Fiel que se reúnem longe da sede. Só que em um Estado de Direito, onde existe uma constituição que alega que é dever desse Estado zelar pela segurança de seus cidadãos, qualquer pessoa física deveria ter garantida a sua integridade física. Não precisaria pertencer a nenhuma associação, agremiação, clube, empresa, fundação, OSCIP, ONG para conseguir chegar viva ao estádio de futebol. A qualquer lugar.

Com a proteção policial negada e sob ameaça de bater e apanhar, provavelmente a mesma que o promotor havia recebido na manhã de quarta, esse grupo de corinthianos resolveu fazer a própria segurança. Gentileza gera gentileza, estupidez gera estupidez.

Ao ver a Rocam parada em frente ao Clube Esperia, dando uma batida policial no grupo de corinthianos, outros 20 policiais da Rocam que trabalhavam na escolta da torcida do Vasco e que não foram avisados que por aquele caminho fatalmente as torcidas se encontrariam, resolveram parar os ônibus do Vasco a fim de evitar esse confronto. Mas pararam muito perto. Aos poucos, eles foram descendo, 800 deles.

Incontroláveis como toda massa enfurecida por uma rivalidade bestial, porém histórica, os vascaínos partiram para cima dos corinthianos. Carregando barras de ferro, armas, paus, rojões e outros objetos que serviram de arma e que não foram tomados pelos policiais da escolta em uma revista que não aconteceu. E massacraram os corinthianos. E mataram um deles atirando o corpo em uma praça que foi palco da comemoração do Campeonato Paulista de 2009, no mesmo dia que o William pegou fogo.

**

Eu que estava no estádio, soube disso no dia seguinte, mas não saberia se não tivesse ligado para meia dúzia de amigos e só esperasse a notícia que me dão. O que sei é que, naquela noite – e falo agora como se tivesse passado muito tempo porque será daquelas noites que carregarei para sempre – os 800 torcedores do Vasco que brigaram antes do jogo chegaram atrasados na partida, mas chegaram. Conseguiram entrar no estádio, assistir a partida do seu time que, mesmo perdendo, lutou até o final pela classificação. Mas o Clayton, que morreu nu e desfigurado em uma praça da Zona Norte de São Paulo, não vai conseguir chegar nunca mais.

**

Essa é a versão que não é publicada nos jornais, que não aparece na televisão, que não se ouve no rádio, mas que mesmo assim existe. Que é fruto de uma equação tão banal quanto àquela que fez o William pegar fogo na alegria de se comemorar um título. E que, nem por isso, é evitada.

Quem sofre a violência dentro e fora dos estádios sabe quais são os motivos que o levam a ela. Sabe que qualquer violência é fruto de algo muito maior: de uma nação deseducada, desorganizada e cada vez mais desumana; de um Estado omisso, corruptível, impune, burocrático; de uma polícia despreparada, mal paga, preconceituosa; de uma imprensa burra, preguiçosa e reacionária; de um futebol paternalista, aproveitador, interesseiro e explorador.

E sabe justamente o que fazer para combater a violência. Toda a promotoria, comissão de paz, clubes, polícia, torcedores, ministério, imprensa, todo mundo sabe qual é seu papel nessa história. Mas só o que se vê é a repetição dos mesmos erros. E a simplificação das soluções. Porque é muito mais fácil criar uma camisa e um ônibus à prova de fogo do que parar de atear fogo em jogador e matar torcedor, cidadão. Todos nós inflamamos o William. Todos nós matamos o Clayton.

About these ads

34 respostas para Uma outra versão para a morte de Clayton

  1. SILVIO MORELLO disse:

    RODRIGRO GAVIÕES SJS.. VOCÊS EM BANDO SE TORNAM UM BANDO DE MACHOS, VIRIS, AGRESIVOS VIOLENTES QUE SE RESUME ESTANDO SOZINHOS É UM TREMENDO DE UM BABACA COVARDE VOCÊS TEM QUE SEREM EXTERMINADOS.

    Curtir

  2. carlos a. medeiros disse:

    Caro Silvio,

    Havia algo de desrespeitoso ou ofensivo em minha última mensagem enviada ao blog? Pois é a primeira vez que você não publica uma mensagem minha.
    Abraços,
    Carlos

    Comentário: Opa, Carlos, manda de novo

    Curtir

  3. Vinícius disse:

    Um palavra: Vingança.

    Comentário: Vingaremos a morte de quantos até quando?

    Curtir

  4. Eugenio disse:

    antes de tudo, meus pêsames à família do clayton.

    segundo o que lí, ouví e escutei na “imprensa imparcial”, segundo as polícias, o pessoal da rua são jorge é monitorado a algum tempo por seu “alto potencial de violência”.

    o “competente promotor” (que eu não sei o nome e nem me interessa) disse na “imparcial imprensa” que esse “encontro” havia sido marcado préviamente pelo ioCÚrte.
    se havia essa informação, e caso realmente ocorra esse tal “monitoramento”, porque as polícias fizerem um trabalho preventivo para evitar esse “encontro” ?

    tenho mais questionamentos, mas pelo adiantar do horário (03:14hs) deixo pra depois.

    Comentário: O ilustre promotor parece saber de tudo. Mas não sabe de quase nada

    Curtir

  5. SILVIO MORELLO disse:

    Questionada sobre a hipótese de jogos com torcida única, em que apenas os torcedores do clube mandante entram no estádio, Margarette defende que este não será o fim definitivo de casos de violência no futebol. “Todos os agentes que lidam com o futebol devem se reunir para procurar soluções e planos a médio e longo prazo. Decisões no calor do momento geralmente não são indicadas. Temos que aprofundar a discussão, e o futebol deve ser repensado como um todo”, encerra

    Comentário: A sociedade tem que ser repensada

    Curtir

  6. Clemilson disse:

    Não sou contra as torcidas organizadas não, apesar do pesares eles tem tb alguns projetos sociais interessantes, mas antes de criticar as pessoas deviam primeiro conhecer, fala é muito fácil…só acho que em alguns pontos eles pecam, uma forma de melhorar isso e que seria interessante de fazer um teste, seria pedir na hora da associação um “Atestado de Antecedentes” assim como se faz na hora de conseguir um emprego, pelo menos aqueles que tem passagem pela policia já ficaria automáticamente fora, mas as pessoas ao invés de procurar soluções ou sugerir melhorias (já que é fato que as T.Os. nunca irão acabar) só sabem criticar e falar um monte de besteiras…tá tudo errado, e esse país é uma porcaria por conta dessa nossa mentalidade de merda.

    Comentário: A violência está institucionalizada, somos parte disso tudo e todos nós temos que repensar a vida

    Curtir

  7. Edmilson disse:

    Fala Brô.
    Hoje talvez você concorde comigo.
    Nós, pessoas de bem, não podemos mais ir ao estádio com nossos filhos porque corremos o risco de não chegarmos em casa.
    Lamentável…..

    Comentário: Mi, devemos continuar frequentando os estádios, não podemos nos render ao medo e à paranóia.

    Curtir

  8. Carlos Amaral disse:

    Silvinho , você tem como fazer este relato postado pela “Aline – 14-09″ chegar a uma autoridade policial? É possível rastrear aquele animal que se vangloria de ter visto sua torcida matar um torcedor adversário. Até agora vimos corintianos presos(merecidamente ao que parece) e nenhum vascaíno detido, o que é profundamente lamentável uma vez que o morto é corintiano.

    Comentário: Hoje está muito fácil rastrear quem posta qualquer tipo de informação na Internet. Que corram atrás destes valentes virtuais, balancem a roseira e façam-nos confessar até o que não viram

    Curtir

    • Rodrigo Gavioes RSJ SJC disse:

      Ae seu zé ruela, torcedorzinho covarde e nerd.Se o futebol dependece de pessoas como vc para conseguir renda o futebol no Brasil acabaria na falencia.Sou da rua São Jorge e lamento o ocorrido mas isso poderia acontecer a qulquer um inclusive vc se tivesse coragem e fosse homem de ir a um estadio sob risco de brigas e policia.Babas sem visão e que só sabem pagar de falsos moralistas tinham é que ficar quietinhos, pois nçao se comenta o que não se sabe e não entende.
      Lamentavel

      Comentário: Tudo isto realmente é lamentável

      Curtir

  9. SILVIO MORELLO disse:

    Silvio, li o relata da Aline, e fui até o blog, é inadimissivel acreditar no que ali esta escrito pode ser verdade. è indemissivel que gente assim possa ser considerada seres humanos.

    Comentário: O jeito é identificar o real autor da postagem e chamá-lo para um interrogatório “científico”

    Curtir

  10. Wiliam Junior disse:

    Silvinho, sinceramente pouco importa quem preparou emboscada, ambos os grupos tem o mesmo ideal, como havia dito o rapaz que morreu era integrante da RSJ e sabemos muito bem o que a tal da dissidência prega, basta ver um funk muito famoso postado no youtube pelos mesmos. Volto a repetir, não faz falta nenhuma ! Preocupo-me muito mais com o coitado do motorista de ônibus que perdeu o seu ganha pão, tendo como único erro ter se sujeitado a transportar estes marginais para brigarem em SP. TO não faz diferença alguma para mim e principalmente para o clube, pergunta para o Sr. Rosemberg quem dá mais dinheiro para o clube, o organizado ou o comum ?

    Comentário: Só sei que nada mais sei, são tantas as versões que já me perdi. Que a família do garoto encontre a paz e o motorista encontre uma alma caridosa que lhe dê uma mãozinha para atenuar o prejuízo

    Curtir

  11. riva disse:

    Silvinho, o curioso é que a versão reproduzida no seu post bate com as informações iniciais dadas pela imprensa durante e depois do jogo de quarta.

    Mas, durante a quinta-feira, as autoridades trabalharam com outra versão, oposta a essa, depositando toda a responsabilidade do ocorrido na torcida corinthiana, conforme a versão que hoje é difundida pela imprensa, pelo tal Promotor.

    É a mesma evolução daquela história do jogo na Bambineira, em que a PM jogou bombas na torcida corinthiana e, depois, “achou” um “culpado” pela bomba que, segundo a mesma PM e o tal Promotor, era “corinthiano”.

    Não estou querendo amenizar as críticas aos imbecis que resolveram guerrear ao invés de torcer, mas estou tentando entender melhor esse episódio e, pela experiência adquirida no passado, não me é fácil acreditar cegamente nas informações oficiais da PM e, principalmente, do tal Promotor…

    Comentário: Já li 3 versões: da Polícia, dos corinthianos e dos vascaínos. A única conclusão que cheguei é que houve uma morte. Só.

    Curtir

  12. aline disse:

    Olha a versão dos vascainos:

    http://www.netvasco.com.br/forum/viewthread.php?tid=25479&page=30

    Ninho – Master
    enviada em 5/6/2009 em 08:55

    “Fala aê brother,

    eu não fui no jogo no Pacaembu, mas li um relato de quem foi, que conta mais ou menos o que ocorreu lá em sampa. Cuidado ao ler esses jornaizinhos que adoram depreciar a gente. Segue o que o torcedor Mauro relatou no blog vascaíno do GloboEsporte.com

    “PC, o time do Vasco jogou bem e merecia a classificacao. Se o lance do Elton(o do penalti) fosse no Ronaldo, o ladrao do Gaciba teria dado com certeza. Alias, como fez falta o gol perdido pelo proprio Elton, aqui no Rio.nE que imprensa porcaria nos temos hein? Com Netos. Mintons Neves, Dr Osmar, Ronaldos da vida, que diziam que o Vasco seria massacrado. Pois eh, essa pauliceia noa existe!
    Eu fui ao Pacamebu ontem, e pela primeira vez. Te confesso que achei o Estadio muito fraco. Viajei com a Forca/+/Jovem. Passamos o dia viajando e diante de uns problemas soh entramos no estadio aos 40 minutos do primeiro tempo.
    Alias, como mente a imprensa de uma forma geral. Nao havia(como foi divulgado) escolta nenhuma(diferente do que a PM fez na volta) .Chegando em SP, os corinthianos(gavioes da Fiel) atravessaram um onibus na faixa de pista lateral, mais um carro(um audi preto) e uma moto(fiquei sabendo depois que a Rua tras eh onde se localiza a sede da torcida). Eu vinha no onibus 2(ou seja penas 1 na minha frente e mais 15 onibus vindo atras, porem como nao havia escolta da PM, alguns estavam meio distantes uns dos outros, ateh mesmo em razao do transito). Nosso onibus foi o primeiro a chegar nos caras. Nossa torcida massacrou a deles desde o inicio. Os caras da gente que vinham nos carros sentaram tiro neles tb, e nossa galera partiu pra cima, mesmo eles jogando rojao, pedras, armados com barra de ferro e tb dando tiros.Os caras prepararam uma emboscada, tentaram fazer uma covardia conosco frente a omissao da policia paulista
    O cara que morreu eu cheguei a ve-lo em meio ao todo o tumulto. Ele tava com uma barra de ferrona mao quando foi noucateado por um vascaino alto de gorro preto. Com a valentia dos vascainos e o numero de onibus que nao paravam de chegar(jah q vinham atras), os corinthianos recuaram, muitos sairam correndo em direcao a sede da torcida deles(tal de rua Sao jorge). e largaram as barras de ferro e paus que passaram a ser usadas pela nossa torcida contra eles proprios. O onibus que eles atravessaram foi totalmente destruido, o Audi tb e a moto(que eles tb abandonaram) nossa torcida ateou fogo. A PM que chegou rapido ao local nao sabia o que fazer. Salvou ateh dois corinthianos que fatalmente morreriam tb, pois estavam jah caidos. Um nao aparav de gritar com a mao na perna. Os PMs(maior parte de moto) pareciam em estado de choque. tentavam apenas recolocar os torcedores nos onibus, porem sem menor preparo, desesperados…Ateh a mochila do dono do Audi foi pega. O carro ficou de dar pena.
    No final do jogo, mais uma vez por falha no policiamento, um dos nossos onibus foi queimado. O primeiro de uma fila de 17. Isso porque pra quem nao conhece o Pacamebu, o mesmo eh apoiado num morro, cercado de casas de luxo com ruas estreitas. Os onibus ficaram entao em fila indiana e o mais proximo das arquibancadas corinthianas foi destruido enquanto estavamos retidos dentro do estadio. Mais uma omissao do policiamento paulista. Este foi prontamente substituido em seguida.
    Diferente, do que divulgou alguns meios de comunicacao, nao havia no confronto do Tiete, membros da Mancha Verde e da FJV Sampa(23). Isso porque, os encontramos apenas perto do Estadio. O combinado era realmente ir para o Palestra, fazer uma confraternizacao, mas em razao de atrasos na saida, estavamos indo direto para o Pacaembu mesmo, tanto que o confronto se deu por volta de 9:00hs da noite que foi quando chegavamos em SP , .
    Quero portanto agradecer a disposicao, competencia e valentia da Ira Jovem e da Forca Jovem, que agiram com grande exito em legitima defesa e mostrou a esses paulistinhas porque somos a torcida mais sinistra do Brasil!!!!!!

    PC, quero agradecer o espaco e dizer que em nenhum momento quero incitar a violencia, que sou assiduo frequentador do seu blog,e apenas quero dar a versao de quem foi na verdade vitima da acao de Corinthianos. Nossa torcida nao buscava gerar violencia alguma, apenas nosso revide em legitima defesa eh que gerou todos esses problemas na forma proporcional ao que eles queriam nos imputar!

    Saudacoes Vascainas!”

    Já ouvi uns 2 ou 3 relatos semelhantes. Depois querem ficar vendendo a idéia de que o rapaz que morreu era santo. Me poupe né. Provavelmente ele teria matado alguem ali se tivesse tido a oportunidade”

    Comentário: O confronto ocorreu próximo ao Espéria e eles correram para a Rua de trás, sede da torcida Rua São Jorge…

    Parei ai.

    Curtir

  13. Edinho disse:

    Alguém aí, pode me explicar o que um onibus que saiu da Rua São Jorge, estava fazendo no caminho óbvio de quem chega pela Dutra?

    Não teria sido mais racional, ter subido a São Jorge, atravessado a Celso Garcia, e pego a Radial Leste, que naquele horário, estaria com trânsito melhor, por ser contrafluxo.

    Estranho, não??

    Comentário: Quanto a isto, há controvérsias. Saindo do Parque São Jorge com destino ao Pacaembu, já testei os dois caminhos. Subir a Rua São Jorge, virar à esquerda na Celso Garcia, Viaduto da Antonio de Barros, Radial Leste, etc… Pela Marginal, fazer o retorno na Ponte Aricanduva, seguir pela Marginal e entrar na direção do Fórum da Barra Funda (não me lembro qual é a Ponte). Acho que para ônibus, fica menos complicado este trajeto

    Curtir

  14. SILVIO MORELLO disse:

    Felizmente meu pai nos ensinou que a companhia é muito importante. Diga-me com quem andas que eu te direi quem és.. Andar com bandido ou você é um ou quer ser. O resultado esta ai. o Rapaz morto era da turma ou não? mas estava junto ou estava no lugar errado e na hora errada. Parece que não.

    Só nos resta a lamentar, pois provavelmente é isso mesmo alguém estara neste bebendo ao morto e outro pensando na revanche… e logo, se nada for feito ficaremos nós “CORINTHIANOS” mais uma envergonhados e achincalhados.

    Comentário: Sinceramente? Já não sei mais o que pensar. A cada hora surge uma nova versão contada em verso e prosa por alguém que foi testemunha ocular do fato.
    Prefiro deixar meu recado: Pais, tentem fazer o máximo para evitar que seus filhos vão aos estádios em ônibus de caravanas ou até em grupos.

    Curtir

  15. Carlos disse:

    AGORA SÃO TODOS COITADINHOS!! POBRES BANDIDINHOS UNIFORMIZADOS!!! GAVIÕES, INDEPENDENTE, MANCHA, TORCIDA JOVEM, ETC… SÃO TODOS MARGINAIS, BANDIDOS!!! T.O. É O UM CANCER NO FUTEBOL. ELES ESTÃO MATANDO A ALEGRIA DE IR AO ESTADIO DE FUTEBOL. POR ISSO QUANDO ACONTECE CONFRONTO DE TORCIDAS NÃO PODEMOS FICAR TRISTES, OU COM DÓ.

    FORA ORGANIZADAS!!!

    Comentário: Dentro do estádio fazem a alegria, mas fora, desgraça e tristeza

    Curtir

  16. Carlos disse:

    O que eu posso dizer é que lamento por mais uma morte. E que vou aos estádios sózinho desde os 12 anos (tenho 46) e JAMAIS me envolvi em confusão alguma, nem por acidente.
    Outro assunto: torço de verdade para que suas revelações sobre o motoboy sejam sérias e reais. Não aguento mais o babaca. Não sou baba ovo do Andres mas o fato é que desde que ele tomou o poder, ganhamos a série B, vice na Copa do Brasil, Campeão Paulista invicto e agora estamos em mais uma final de Copa do Brasil. Se a administração estivesse tão ruim quanto ele diz, isso se refletiria no campo.
    E não dá pra comparar com o Dualib, que vivia dizendo sobre os títulos. O velho ficou 14 anos, se pensarmos bem ganhamos até poucos títulos em tanto tempo.

    Comentário: Uma Copa SP, Paulista Invicto, Série B e segunda final da Copa do Brasil consecutiva. Em pouco menos de 2 anos

    Curtir

  17. Paulo Rogério disse:

    Algumas perguntas, espero que possa responder:

    É verdade que este pessoal da Rua São Jorge está utilizando a antiga sede da chapa do Osmar Stabile, situada na Rua Sao Jorge?…. R)Vi uma festa ali, mas não tenho certeza se lá se tornou sede deles.

    Vc já ouviu comentários de que estão lá sem pagar aluguel, financiados pelo ex-candidato?… R) Não

    Foram eles que foram protestar após a vitoria do Andres Sanches na ultima eleicao, soltando até bombas no clube?…R) Não sei

    Eles tem alguma relacao tambem com o ex-candidato Paulo Garcia?…R) Até onde eu saiba, não

    Qual o motivo da dissidencia deste grupo da Gavioes do Bom Retiro? Seria o carnaval ou tem mais alguma coisa envolvido nisso?….R) Já ouvi que o motivo foi mesmo a questão do carnaval, mas também não tenho certeza

    Curtir

  18. Bruno disse:

    Reflitam sobre a letra, acho q da uma ideia das verdadeiras causas do problema q todos preferem omitir:

    Essa pôrra e um campo minado. Quantas vezes eu pensei em me jogar
    daqui, mas, aí, minha área é tudo o que eu tenho. A minha vida é aqui e eu não
    consigo sair. É muito fácil fugir mas eu não vou. Não vou trair quem eu fui,
    quem eu sou. Eu gosto de onde eu vou e de onde eu vim, ensinamento da
    favela foi muito bom pra mim.
    Cada lugar um lugar, cada lugar uma lei, cada lei uma razão e eu sempre
    respeitei, em qualquer jurisdição, qualquer área. Jardim Santo Eduardo,
    Grajaú, Missionária. Funxal, Pedreira e tal, Joaniza. Eu tento advinhar o
    que você mais precisa. Levantar sua “goma” ou comprar uns “pano”, um
    advogado pra tirar seu mano. No dia da visita você diz que eu vou mandar
    cigarro pros maluco lá no X.
    Então, como eu tava dizendo, sangue bom, isso não é sermão, ouve aí:
    tenho o dom. Eu sei como é que é, é foda parceiro, Hee, a maldade na cabeça
    o dia inteiro. Nada de roupa, nada de carro, sem emprego, não tem
    IBOPE, não tem rolê sem dinheiro. Sendo assim, sem chance, sem mulher,
    você sabe muito bem o que ela quer (HEE….). Encontre uma de caráter se
    você puder. É embaçado ou não é?
    Ninguém é mais que ninguém, absolutamente, aqui quem fala é mais um
    sobrevivente.
    Eu era só um moleque, só pensava em dançar, cabelo BLACK e tênis ALL
    STAR. Na roda da função “mó zoeira!” Tomando vinho seco em volta da
    fogueira. A noite inteira, só contando história, sobre o crime, sobre as
    treta na escola. Não tava nem aí, nem levava nada a sério. Admirava os
    ladrão e os malandro mais velho. Mas se liga, olhe ao seu redor e me diga:
    o que melhorou? Da função quem sobrou? sei lá, muito velório rolou de lá
    pra cá, qual a próxima mãe que vai chorar?
    Há! Demorou mas hoje eu posso compreender, que malandragem de
    verdade é viver. Agradeço a DEUS e aos ORIXÁS, parei no meio do
    caminho e olhei pra trás. Meus outros manos todos foram longe de mais:
    Cemitério São Luis, aqui jaz.
    Mas que merda! meu oitão tá até a boca, que vida louca! Por que é que tem
    que ser assim? Onti eu sonhei que um fulano aproximou de mim, “agora eu
    quero ver ladrão, pá! pá! pá! pá!”, Fim. É… sonho é sonho, deixa quieto.
    Sexto sentido é um dom, eu tô esperto. Morrer é um fator, mas
    conforme for, tem no bolso e na agulha e mais 5 no tambor. Joga o jogo,
    vamo lá, caiu a 8 eu mato a par.
    Eu não preciso de muito pra sentir-me capaz de encontrar a
    FÓRMULA MÁGICA DA PAZ.

    Eu vou procurar, sei que vou encontrar, eu vou procurar,
    eu vou procurar, você não bota mó fé, mas eu vou atrás(Eu vou procurar e sei
    que vou encontrar)
    da minha FÓRMULA MÁGICA DA PAZ.

    Eu vou procurar, sei que vou encontrar
    Procure a sua(eu vou procurar, eu vou procurar, você não bota mó fé…)
    Eu vou atrás da minha(você não bota mó fé)
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)

    Caralho! Que calor, que horas são agora? Dá pra ouvir a pivetada gritando
    lá fora. Hoje acordei cedo pra ver, sentir a brisa de manhã e o Sol
    nascer. É época de pipa, o céu tá cheio. 15 anos atrás eu tava ali no meio.
    Lembrei de quando era pequeno, eu e os cara… faz tempo, faz tempo,
    E O TEMPO NÃO PARA.

    Hoje tá da hora o esquema pra sair, é… vamo, não demora, mano, chega aí!
    “Cê viu onti? Os tiro ouvi de monte! Então, diz que tem uma pá de
    sangue no campão.” IH, mano toda mão é sempre a mesma idéia junto:
    TRETA, TIRO, SANGUE, aí, muda de assunto. Traz a fita pra eu ouvir
    porque eu tô sem, principalmente aquela lá do Jorge Ben. Uma pá de mano
    preso chora a solidão. Uma pá de mano solto sem disposição. Empenhorando
    por aí, rádio, tênis, calça, acende num cachimbo… virou fumaça!
    Não é por nada não, mas aí, nem me ligo ô, a minha liberdade eu curto
    bem melhor. Eu não tô nem aí pra o que os outros fala. 4, 5, 6, preto
    num Opala. Pode vir GAMBÉ, PAGA PAU, tô na minha na moral na maior,
    SEM GORÓ, SEM PACAU, SEM PÓ. Eu tô ligeiro, eu tenho a minha regra,
    não sou pedreiro, não fumo pedra. Um rolê com os aliados já me faz feliz,
    respeito mútuo é a chave é o que eu sempre quis(diz…). Procure a sua, a
    minha eu vou atrás, até mais, da FÓRMULA MÁGICA DA PAZ.

    Eu vou procurar, sei que vou encontrar
    Eu vou procurar, eu vou procurar
    você não bota mó fé…, mas eu vou atrás….
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)
    Da FÓRMULA MÁGICA DA PAZ

    Eu vou procurar, sei que vou encontrar
    Eu vou procurar, eu vou procurar
    você não bota mó fé…, mas eu vou atrás….
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)

    Choro e correria no saguão do hospital. Dia das criança, feriado e luto
    final. Sangue e agonia entra pelo corredor. Ele tá vivo! Pelo amor de
    DEUS Doutor! 4 tiros do pescoço pra cima, puta que pariu a chance é
    mínima! Aqui fora, revolta e dor, lá dentro estado desesperador!
    Eu percebi quem eu sou realmente, quando eu ouvi o meu sub-consciente:
    “E aí mano Brown CUZÃO? Cadê você? Seu mano tá morrendo o que você
    vai fazer?”. Pode crê, eu me senti inútil, eu me senti pequeno, mais um
    cuzão vingativo(mais um). Puta desespero, não dá pra acreditar, que pesadelo,
    eu quero acordar. Não dá, não deu, não daria de jeito nenhum, o Derlei era só
    mais um rapaz comum! Dali a poucos minutos, mais uma Dona Maria de luto!
    Na parede o sinal da cruz. Que porra é essa ? Que mundo é esse ? Onde
    tá JESUS ? Mais uma vez um emissário não incluiu CAPÃO REDONDO
    em seu itinerário. Pôrra, eu tô confuso. Preciso pensar. Me dá um tempo
    pra eu raciocinar. Eu já não sei distinguir quem tá errado, sei lá, minha
    ideologia enfraqueceu. PRETO, BRANCO, POLÍCIA, LADRÃO OU EU,
    quem é mais filha da puta, eu não sei! Aí fudeu, fudeu, decepção essas
    hora… a depressão quer me pegar vou sair fora.
    2 de Novembro era finados. Eu parei em frente ao São Luis do outro lado
    e durante uma meia hora olhei um por um e o que todas as Senhoras
    tinham em comum: a roupa humilde, a pele escura, o rosto abatido pela
    vida dura. Colocando flores sobre a sepultura. (“podia ser a minha mãe”).
    Que loucura.
    Cada lugar uma lei, eu tô ligado. No extremo Sul da Zona Sul tá tudo
    errado. Aqui vale muito pouco a sua vida. A nossa lei é falha, violenta e
    suicida. Se diz que, me diz que, não se revela: parágrafo primeiro na lei da
    favela. Legal… Assustador é quando se descobre que tudo dá em nada e
    que só morre o pobre. A gente vive se matando irmão, por quê ? Não me
    olhe assim, eu sou igual a você. Descanse o seu gatilho, descanse o seu
    gatilho, entre no trem da malandragem, o meu RAP é o TRILHO.

    VOU DIZER….

    Procure a sua paz….
    Pra todas a famílias ai que perderam pessoas importante morô meu!!!!
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)
    Procure a sua Paz(Paz….)
    Não se acostume com esse cotidiano violento,
    Que essa não é a sua vida, essa não é a minha vida morô mano!!!!
    Procure a sua paz….
    Aí Derlei, descanse em paz!
    Aí Carlinhos procure a sua paz!
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)
    Aí Quico, você deixou saudade morô mano!
    Agradeço à Deus e aos Orixás….
    Eu tenho muito a agradecer por tudo
    Agradeço à Deus e aos Orixás….
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)
    Cheguei aos 27, sou um vencedor, tá ligado mano!!!!
    Agradeço à Deus e aos Orixás….
    Aí procure a sua, eu vou atrás da minha FÓRMULA MÁGICA DA PAZ!
    Você não bota mó fé….
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)
    Aí, manda um toque na quebrada lá, Coab, Adventista e pá RAPAZIADA!!!!
    Malandragem de verdade é viver….
    Se liga!!!!
    Procure a sua paz!!!!
    Você não bota mó fé….
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)
    Que tu fala é MANO BROWN mais um sobrevivente
    Agradeço á Deus, Agradeço á Deus….
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)
    27 ano, contrariando a estatística morô meu!!!!
    Agradeço á Deus, Agradeço á Deus….
    Procure a sua paz….
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)
    Eu vou procurar….
    Procure a sua paz…
    procure a sua!!!!
    Eu vou encontrar
    Você pode encontrar a sua paz, o seu paraíso!!!!
    Eu vou procurar
    Você pode encontrar o seu INFERNO!!!!
    A FÓRMULA MÁGICA DA PAZ……..!
    (Eu vou procurar e sei que vou encontrar)

    eu prefiro a
    P A Z ! ! ! ! ! !

    Comentário: Mano Brown, o incompreendido poeta da periferia. Paz!

    Curtir

  19. william disse:

    lamentavel…..o que ocorreu e a forma qe os fatos estão sendo divulgados.

    Comentário: A família recebeu o filho desfigurado, morto quase como um indigente. Era da paz e o único e principal erro que cometeu foi acreditar que poderia seguir em paz para um jogo. Não acredito que ele seja mais “soldado” que tenha saído de casa pronto para o combate, sem a certeza da volta

    Curtir

  20. Ricardo disse:

    Então eu estava na fileira de baixo com um moleton azul, acho que em baixo de vc tinha 2 garotos loiros , e vc estava de agasalho preto da nike.

    Comentário: Justamente, o próprio

    Curtir

  21. SILVIO MORELLO disse:

    O confronto de quarta-feira começou às 21h30 na marginal Tietê, próximo à ponte das Bandeiras, inclusive com invasão da sede do Clube Esperia por alguns integrantes da “GANG” que procuravam refugio. Era um comboio de 15 ônibus da torcida do Vasco, escoltado por 20 motos da PM, foi abordado por um ônibus com 60 membros dos Gaviões da Rua São Jorge, deflagrando a briga incontrolável, a confusão dourou aproximadamente 15 minutos.

    Barras de ferro, fogos de artifício, pedras, facas e pelo menos duas armas de fogo, pasmem, uma espingarda calibre 12 e uma pistola 380 foram usados no confronto, quem vai a um Estádio de Futebol com este arsenal? Somente um bandido, e onde estava este armamento bélico? Pois é, para nossa desgraça, parte desse armamento estava no ônibus “corintiano” e em quatro carros particulares pertencentes a intitulados corintianos membros desta também chamada de Gaviões da Rua São Jorge.

    Somos um contingente de mais de 34 milhões de torcedores, somos uma nação, uma grande nação, não podemos permitir que um grupinho denigra a nossa imagem, esta não é a primeira vez que membros da dissidência dos Gaviões intitulada de “Gaviões da Rua São Jorge” se envolve em conflitos com vitimas fatais (lembres do encontro na estação do Metro). Seus integrantes são uma minoria e conhecidos da Policia do MP e dos nossos dirigentes, portanto, s.m.j., já esta na hora de nós exigirmos providencias, que se feche este local, que se acabe com os subsídios aos ingressos que o nosso clube feche as portas aos membros desse grupo, que se emparede a sua sede.

    E QUE NÃO OUSEM SEREM CHAMADOS DE CORINTHIANOS

    EU SOU CORINTIANO QUERO SER RESPEITADO POR SER E NÃO SER AXINCALHADO POR CONTA DE UM GRUPO DE VAGABUNDOS.

    Comentário: O ônibus foi para a guerra. Encontrou o que queria.

    Curtir

  22. Eric disse:

    é sempre assim, não investigam os casos, como devem ser, com todas as hipóteses, possiveis, é mais facil, botar a culpa nas organizadas, pedir para ir só uma torcida, daqui a pouco, para não ter torcida mais no estadio, do que resolver os verdadeiros problemas, educação, saude e segurança que é precária no Brasil.
    Nunca eles vão falar que estão errados enquanto tiverem gente para culpar.
    Caso do Wilian foi um absurdo, manchando a final da campeonato, toda a desorganização, jogadores não conseguindo nem comemorar, como o caso do Ronaldo …
    é ….

    Comentário: No Brasil, em vez de se buscar solução, apontam-se culpados, lava-se a roupa suja através da mídia e a coisa fica por ai. Até a próxima morte

    Curtir

  23. Ricardo de Lima disse:

    Lamentável Silvio … e digo que isso não vai ter mais fim entre a Gaviões e a torcida do Vasco.

    abs

    Comentário: Temo que não terá fim mesmo. Já devem estar arquitetando o troco e a torcida do Vasco bebendo o defunto

    Curtir

  24. Carlos Amaral disse:

    Silvinho, um cara entra aqui para falar de um assunto destes com o nome de “Risos” e você publica assim, singelamente, sem uma resposta a altura? Desculpa, mas você vacilou nessa.

    Comentário: Vacilei sim. Mas não se repetira, fique tranquilo

    Curtir

  25. Marco Gavione Capello disse:

    Jaqueta esverdeada??? Caraca … essa correu risco hein??

    Comentário: Tom esverdeado, deixaram passar, a torcida toda estava esquisita e fria aquele dia

    Curtir

    • Marco Gavione Capello disse:

      Eh vero, tava esquisita mesmo e até refletiu no time em campo!!

      Duas coisas:

      1) Já tá ficando chato ver a gaviões levando porrada de outras torcidas por aí, tanto de SP quanto de fora. Tão levando pau de todo mundo!! Agente só vê corinthiano morto ou machucado por aí, todo grande jogo …

      2) 30/06 – Guarani e Vasco, 15/08 – Portuguesa e Vasco … aguardem, revanche virá por aí … e cuidado a quem for pro RJ nos proximos jogos do Brasileirão … acho que o negócio extrapolou a questão torcida organizada. Qualquer vascaíno em SP de agora em diante corre risco e qualquer corinthiano no RJ tb … se cuidem pois agora é guerra!!

      Comentário: E mais, a maior organizada do Inter é aliada da Independente…

      Curtir

  26. Rafael Pacheco disse:

    Silvio, agora falando com calma:

    não vou nem comentar o fato em si, pois a Leonor o fez de forma perfeita. O que precisamos questionar é:

    1 – O que levou esse promotor à essa função? Qual é o conhecimento dele a respeito da realidade das torcidas?

    2 – Por que a imprensa, quando se trata de briga de torcidas, só ouve o lado das autoridades, que não têm competência e conhecimento de causa para falar?

    3 – Será que as pessoas não vêem o interesse geral da mídia em mobilizar a opinião pública contra as organizadas?

    4 – o que cada um de nós pode fazer para mudar esse cenário. Ficar criticando é fácil…

    5 – Já passou da hora da criação de uma polícia mais humanitária, que seja especializada apenas em policiamento de estádio de futebol. Homens e mulheres preparados para atender ao torcedor com respeito e tratá-lo dignamente, e um relacionamento mais amplo entre torcida e autoridade pode mudar as coisas.

    Comentário: A grande problemática é que segundo dados da inteligência da PM, grupos que integram o crime organizado passaram já há alguns anos a se infiltrarem nas grandes concentrações populares como carnaval e futebol. Aliado a isto, contam com a inversão dos valores, a degradação das estruturas familiares, o afastamento do homem dos conceitos cristãos e a ineficiência e incompetência do estado em garantir condições razoáveis de sociabilidade digna às camadas mais carentes da população, que acabam sendo “acolhidas” por estas estruturas criminosas.

    Curtir

  27. Samuel disse:

    Silvinho, reproduzo abaixo as palavras do diretor de futebol do vasco, que concede privilégio as organizadas, sobre o ocorrido na quarta-feira:

    Mandarino fala sobre briga de torcidas e privilégios das organizadas

    No dia seguinte a mais um conflito entre torcidas organizadas que acabou em morte, o passo à frente rumo à ruptura definitiva entre clubes e grupos violentos não foi dado.

    Ontem, a diretoria do Vasco evitou um posicionamento oficial após a guerra entre vascaínos e corintianos em São Paulo. O clube mantém um subsídio às organizadas na compra de ingressos e vê o corte do benefício apenas como tendência para o futuro.

    Hoje, o Vasco separa carga de 500 a mil ingressos por jogo, vendidos pela metade do preço às organizadas.

    Integrantes destas torcidas estavam entre os torcedores flagrados no conflito de quarta-feira e detidos pela polícia.

    — A concessão de privilégios não tem a ver com o que aconteceu. Foi uma emboscada na Marginal Tietê, distante do estádio. Há um problema grave de relacionamento entre as torcidas, mas é um fenômeno que ocorre fora do estádio. E a torcida do Vasco se defendeu de uma agressão brutal — disse o vice de futebol do clube, José Hamílton Mandarino.

    VIU O QUE O PROMOTOR PAULO CASTILHO FEZ? TRANSFORMOU TODOS OS BANDIDOS ORGANIZADOS DO VASCO EM MOCINHOS E TODA A TORCIDA CORINTHIANA EM BANDIDOS. PIOR DO QUE OS FATOS E Á FORMA QUE ELES SÃO APURADOS, E PRINCIPALMENTE, COMO SÃO DIVULGADOS.

    ESSE PROMOTOR AGE COMO AQUELES MAUS POLICIAIS, QUE FORJAM A CENA DO CRIME.

    E O QUE FALAR DESSE DIRETOR DO VASCO? UM IDIOTA, UM CRIMINOSO, UM PASPALHO. SÓ PODIA SER DA CORJA DO ROBERTO DINAMITE, OUTRO DEMENTE.

    Comente aí.

    Valeu!

    Comentário: As palavras do dirigente vascaíno são lamentáveis. Talvez Eurico Miranda não faria pior. Só faltou ele dizer que a partir dos próximos jogos, além do subsídio aos ingressos, ele financiará a aquisição de armas visando a “auto-defesa” dos inocentes organizados vascaínos. Aos corinthianos, restou o papel de “vacilões” na história.
    De minha parte, oro pelo moço e por sua família, a principal vítima disso tudo.
    A solução para isto tudo, está longe de um fim e temo que nao estarei vivo para ver este dia chegar

    Curtir

  28. Rafael disse:

    revoltante!!!! o pior é que no final os corinthianos são sempre os culpados….

    se bobear, a polícia ainda ajudou a bater…

    todos contra nós!!!

    Comentário: Um total desencontro de informações e o tal promotor falando com propriedade de algo que não testemunhou.

    Curtir

  29. SILVIO MORELLO disse:

    Infelizmente uma vida se foi, partindo como sempre de um grupo de marginais que se intitula torcida organizada, e para variar a mesma do confronto na estação do metro, que também terminou com um torcedor morto. Concluindo a POLICIA o PROMOTOR (que agora apareceu) tem o endereço e sabe quem são os integrantes portando é a hora de emparedar esta turma.
    Eles estão ai na Rua São Jorge…

    Comentário: Tudo ainda está muito confuso, não é possível ainda se chegar a conclusões

    Curtir

  30. Vinicius Duarte disse:

    Silvinho,

    Sinto muito, mas qualquer justificativa sobre o ocorrido é lamentável e inócua. Se são os Gaviões da Rua de Baixo, da Rua de Cima, da PQP, se tem CNPJ ou não… São B A N D I D O S. Isso: bandidos, que usam o clube como desculpa para se reunirem e cometerem esses e muitos outros atos.

    Se tem “bonzinho” no meio, não importa, porque quem anda com bandido, se não o é, quer ser.

    Eu amo futebol e NUNCA me enfiaria dentro de um ônibus de T.O. para ir ao jogo. Nunca pedi escolta(!!!). Quem anda escoltado é BANDIDO! E bandido, quando preso, chora, alega inocência, chama a mamãe, etc.

    Levante a “capivara” dos “passageiros” de ônibus da Força Jovem, da Gaviões RSJ ou B. Retiro, Mancha, TUP, Independente, etc. e verá que muitos possuem antecedentes criminais, passagens pela FEBEM, etc. Se estivessem “recuperados”, a última coisa que iriam querer na vida era confusão.

    Na hora que dá merda, todo mundo quer ser vítima. Coitados de nós.

    Comentário: Concordo contigo. Sinceramente não vejo porque partir em caravana para um jogo dentro da própria cidade, ainda mais este jogo sendo no Pacaembu, que tem nas proximidades pelo menos 3 ou 4 estações de metro e ônibus

    Curtir

  31. Ricardo disse:

    Vc por um acaso estava sentado do lado de um cara que tinha problema no lábio superior e toda hora gritava Gayciba? mudando de assunto, vc viu um cara que um pouco antes passou Bebado de tudo e com um corte na cabeça?

    Comentário: O bebaço com um corte na cabeça quase caiu no meu colo. E eu ouvia alguém gritando Gayciba sim. Eu estava de preto, ao lado do Macarrão e de uma mocinha com jaqueta esverdeada

    Curtir

Amigo, faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.592 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: