Vai ser dada a largada: Começa o Paulistão 2013

Vai começar aquele que um dia foi o maior objeto de desejo dos clubes paulistas.

Tempos em que ignorava-se Libertadores.

E Mundial de Clubes, nem existia.

Tempos em que era gostoso assistir a um jogo na Javari lotada em plena quarta-feira a tarde, de viajar de trem para acompanhar o Corinthians em Rio Claro, ou então explodir o Panetone de tanta gente, para assistir a um clássico, sempre com maioria esmagadora corinthiana.

Os tempos mudaram.

A partir de hoje, 20 equipes começarão a disputar o Paulistão 2013.

Estas 20 equipes se enfrentarão em turno único.

Os 8 mais bem colocados ao término da primeira fase vão para as quartas de final, que serão decididas em jogo único, da seguinte forma:

1º Colocado x 8º Colocado

2º Colocado x 7º Colocado

3º Colocado x 6º Colocado

4º Colocado x 5º Colocado

Os 4 melhores jogarão em casa. Os vencedores vão para as semifinais, que também terão apenas uma partida, assim definido:

Vencedor do confronto (1º x 8º) x Vencedor do confronto (4º x 5º)

Vencedor do confronto (2º x 7º) x Vencedor do confronto (3º x 6º)

Em caso de empate nas quartas e nas semifinais, a decisão será nos pênaltis. Os vencedores farão a final, disputada em 2 partidas. O time com melhor campanha ganhará o direito de disputar a segunda partida em casa. Os quatro clubes com menor número de pontos na primeira fase serão automaticamente rebaixados para a Segunda Divisão – Série A2.

Após as quartas de final, os clubes classificados do 5º ao 8º lugar (exceto os clubes da capital e o Santos) disputarão o troféu Campeão do Interior.

O Corinthians, maior vencedor desta competição com 26 títulos, inicia a sua trajetória no Paulistão 2013 enfrentando a equipe do Paulista, em Jundiai, as 17 horas.

*Atualização

Estrearemos com a seguinte escalação:

Julio Cesar, Edenilson, André Vinícius, Felipe e Welder; Guilherme Andrade, Guilherme, Giovanni, Nenê Bonilha e Zizao; Romarinho

Os destaques das principais equipes:

Corinthians: o time e a torcida

SPFW: Ganso, Lucio e Luis Fabiano

Porco: Valdívia e Riquelme (*)

Santos: Montillo e Neymar

A Série A2 também promete ser bem movimentada, já que muitos veteranos estarão em ação como Viola, Indio, Paulo Musse, Marcos Denner e Aloisio Chulapa.

Você ainda curte o Campeonato Paulista?

E na sua opinião, os times grandes devem jogar para utilizar o torneio como laboratório ou devem entrar firmes na disputa?

Anúncios

18 Responses to Vai ser dada a largada: Começa o Paulistão 2013

  1. Flávio Augusto disse:

    1- Não importa si ficaremos em 1° ou 8°, o negócio é levar em banho maria, usando o Paulista como pré-temporada/preparação para a libertadores e toda a temporada. A partir das quartas aí sim, o bicho pega.

    2- Tenho que cornetar. Entraria com Igor na lateral esquerda, o ruim do Welder na direita (sua posição de origem), e Edenilson no meio, no lugar de Nene Bonilha, liberando um pouco Giovani.

    3- Gostei do novo “outdoor ” aí em cima.

    4- Vai Corinthians!!!

    Curtir

  2. italiano disse:

    ..gosto do Paulista mas nao concordo com sua forma de disputa que deveria ser como eh o carioca , duas chaves com turno unico , os vencedores decada chave faz a final , assim sobraria tempo para os times fazerem viajens para consolidar a marca no exterior e ganhar dinheiro…

    Curtir

  3. Cesar disse:

    A importância de um título se dá principalmente pela circunstância em que é conquistado, e não apenas pelo torneio em si. Isso é coisa que o corintiano, de modo geral sabe bem, diferentemente dos modinhas bambis, por exemplo.
    Quem acompanha futebol ao menos desde o final da década de 70 sabe da imensa dimensão de um Paulista de 77, ou do bi 82 e 83, entre outros. A hoje badalada Libertadores tinha tanta repercussão que em 92 foi transmitida apenas pela “TV Gazeta” através de uma tal rede OM, sendo ignorada pela rede Globo, vejam só!
    Hoje realmente a ordem de importância mudou totalmente, e um dos fatores é o enfraquecimento dos clubes do interior; embora nunca tenham feito muito barulho, tínhamos sempre uma Ponte e Guarani, um Come-Fogo de Ribeirão, uma Ferroviária, Marília, Noroeste, uma Inter de Limeira, um Juventus, um São Caetano mais recentemente, clubes com tradição e torcida. Hoje temos clubes de aluguel, porcarias que alugam sua marca por 3 meses como esses lixos de Barueri e Guaratinguetá, entre outros.
    Entendo que deveria ser mais curto e com menos times, 12 talvez, funcionaria bem assim; mas, como esse campeonato dá voto à federação, isso dificilmente vai mudar.

    Curtir

  4. Rogério disse:

    Silvinho, o Paulistão é um campeonato tradicional, tem muita história e como tal merece mais respeito, principalmente por aqueles que o chamam de “paulistinha”. Há tempos debatemos a mudança da fórmula de disputa, mas a FPF não quer mudá-la, e faz de tudo para isso, como por exemplo oferecer uma grana maior. Acho que os dirigentes do Timão, bambis, porcos e sereias unidos são mais fortes que o tal do Del Nero e podem perfeitamente definir uma fórmula melhor, que atenda o anseio de todos, dirigentes, federação e TV.

    É importante rever o calendário, mas o ego da CBF impede que isso aconteça em benefício do futebol brasileiro. Por essas e outras que os campeonatos europeus são melhores organizados, atraindo mais interesse da mídia internacional, e que é fator prepoderante para a escolha do melhor jogador do mundo na eleição da FIFA. O dia que o futebol brasileiro for levado a sério, administrado por pessoas competentes, fatalmente jogadores que atual aqui terão grandes chances de serem escolhidos os melhores do mundo.

    O Corinthians é a exceção, e não atoa é o clube com maior prestígio internacional atualmente. Isso é só o começo. Depois que o estádio e o CT da base estiverem prontos, além do projeto de transformar a fazendinha em uma arena multi-uso, estaremos num patamar ainda maior.

    Curtir

  5. Carlos Amaral disse:

    Fora do tópico…. Alguém está vendo gritaria na imprensa com a desclassificação na primeira fase do sulamericano da seleção sub-20? O ladrão de medalhas tirou Mano e Andrés da CBF para delirio de toda CORJA tricolor e o primeiro resultado é esse, e todo mundo cala? Ninguém está preocupado com o sucesso da seleção, estão é tentando nos ferrar.Acorda Corinthians, já prepararam nossa cama.

    Curtir

  6. Silvinho, já escrevi várias vezes no meu blog, e a minha opinião é compartilhada inclusive por setores da mídia que antes só defendiam o fim dos estaduais, e agora cobram mudanças para que os times grandes não sejam tão penalizados, assim como o torcedor.

    É simples, a fórmula precisa mudar. Minha sugestão é que o campeonato comece sem os quatro grandes, que se juntarão a outros quatro classificados dentre os pequenos, disputando todos contra todos, classificando os dois melhores para duas partidas finais. Assim, os grandes disputarão 7 partidas e 9 quem disputar o título. Isso se faria em menos de 2 meses, não comprometendo a pré-temporada e a disputa de torneios mais importantes como a Libertadores, dando maior intervalo com o começo do brasileirão.

    Isso é óbvio que precisa mudar, mas os gênios preferem insistir nessa fórmula insana, onde o campeonato dura quase 5 meses. Loucura!

    Mas não vão mudar. Preferem assistir a morte inevitável dos estaduais. Triste.

    Valeu!

    Curtir

    • Luís Carlos disse:

      O problema aí é que a Copa do Brasil passará a começar mais tarde e terminará mais tarde também. Os caras reclamam da quantidade de jogos e assinam tudo ao contrário…

      Acho que tem que adaptar o calendário ao calendário mundial – coisa que deveria ser tratada apenas quando se assina contratos com as emissoras de tv -, eliminar os estaduais para os times que disputam o brasileiro e deixar mais enxuta e encaixar a Copa do Brasil entre o brasileirão e a libertadores, como a Espanha faz na Copa do Rei. Para não matar os estaduais de vez, poderia-se voltar a torná-los como um classificatório para o brasileirão.

      Mas como há gente desimportante querendo se fazer de importante não vai mudar nada mesmo. Se bobear ainda ressuscitam o Rio-SP e o incluem no calendário.

      Curtir

  7. Paulo disse:

    Sílvio, muito embora o Paulista ( nem Paulistão, nem Paulistinha ) seja o campeonato mais antigo e tradicional do Brasil, temos que reconhecer que, com o crescimento do País, tornou-se bem menos importante do que já foi um dia ( você é da minha geração e sabe do que estou dizendo ). Nunca me esquecerei, enquanto viver, de 1974 e de 1977 ( 22/12 e 13/10, respectivamente ), inclusive porque eu estava lá. As datas mais emblemáticas da minha vida de corinthiano. Uma como derrotado, outra como triunfante. Mas os tempos mudaram. Sempre mudam, a despeito de nossa vontade de truncá-lo, às vezes, e parar o relógio, imortalizando certos momentos da nossa curta existência nesta vida. E essa tendência, de desprestígio progressivo dos campeonatos regionais, é irreversível, pois o mundo progride do menor para o maior, e não há, hoje, como negar a preponderância dos torneios nacionais e internacionais ( bambinices à parte ) sobre os torneios ou campeonatos locais. Todavia, embora esse esvaziamento seja inexorável, ainda é bom ganhar o Paulista, inclusive para evitar que qualquer aventureiro bastardo nos supere, naquele que é o campeonato de nossa história, o que mais vezes conquistamos. Entretanto, este ano a FPF resolveu esvaziar o próprio campeonato que organiza e montou uma tabela pra lá de draconiana para nós, e, por conta disso, creio que não teremos o favoritismo da competição, que ficará para o Prantos, que não disputa mais nada no primeiro semestre. Sendo assim, melhor mesmo é colocar time misto ou reserva, sempre que a situação o exija, priorizando o que tem de ser priorizado.

    Curtir

    • Múcio Rodolfo disse:

      É que o Brasil é o único pais no Mundo (eu acho) no qual se disputa campeonatos estaduais…..mas eu não vejo na Euorpa os campeonatos tidos como menores sendo desvalorizados em razão de campeonatos maiores. Eu posso estar enganado, mas penso que um inglês não trate a Copa da Inglaterra da mesma forma que tratamos a Copa do Brasil. A valorização/desvalorização não me parece uma coisa natural, inevitável….É algo premeditado, orquestrado. Alguém um dia decidiu que não valia nada ou quase nada e conseguiu a adesão de pessoas que tinham o poder de disseminar esta idéia.

      Curtir

      • Jota disse:

        Eu não acho que o torcedor brasileiro desvaloriza a Copa do Brasil, se você estiver falando em desvalorização no sentido de ser um título sem importância. Para mim era a CBF quem a desvalorizava colocando-a como fazia até o ano passado, como um torneio tapa-buraco para quem não estava na Libertadores.
        O tamanho do Brasil e as dificuldades de locomoção que existiam antigamente, fizeram com que surgissem os Estaduais, e sim, pelo menos até onde eu saiba e o que já pesquisei, esses torneios regionais só existem aqui.
        Em alguns países europeus tem torneios um pouco que parecidos, mas são de ligas amadoras ou ligas de acesso. Dá para dizer que seriam quase que como uma 5ª ou 6ª divisão.
        Quanto ao formato atual do Paulista, creio que esteja totalmente fora de propósito e não acho que caiba mais (pelo menos para os times grandes) a participação nesses torneios.
        Rendem muito dinheiro da TV e das federações (pelo menos a Paulista), é legal pela rivalidade, mas se perde muito em preparação para toda a temporada.
        Se não adotamos o calendário europeu (por causa da Globo que não aceita isso), pelo menos poderíamos adotar o esquema das competições europeias: campeonatos nacionais (Séries A, B e C fortes) e copas nacionais o ano todo, com pausas no meio da semana para as ligas continentais (que também duram o ano todo) e datas reservadas para as seleções. Acho que este esquema resolveria muitos de nossos problemas e acabaria com as reclamações e choradeira de muitos dirigentes por aí.

        Curtir

      • Múcio Rodolfo disse:

        A desvalorização que eu digo é por parte da imprensa e de algumas torcidas. Eu acho que foi a partir de 2002 que os clubes presentes na Cucaracha Cup deixaram de participar da Copa do Brasil. Me parece que o objetivo era não sobrecarregar esses times. Eu se tivesse poder, reduziria o número de participantes do paulistão para 16, classificando-se 4 para as finais. Podia ser jogos entre todos esses quatro; reduzia o número de clubes no brasileirão, na Copa do Brasil e na Cucaracha Cup. Assim teríamos menos jogos e com uma qualidade maior. E voltaria com aquele esquema de usar o estadual como classifcatório para o campeonato brasileiro. Seria uma forma de “turbinar” os estaduais. Cada estado teria um número de representantes de acordo com seu poderio futebolístico. Campeões de estados mais fracos disputariam um torneio regional (exemplo: Maranhão, Pará, Amazonas e Piauí) dando ao campeão o direito de participar do CB

        Curtir

        • Jota disse:

          Múcio, creio que as torcidas que desvalorizam a Copa do Brasil, são justamente aquelas dos clubes que nunca a conquistaram.
          É tipo o que fazem aquelas que valorizam demais um título que seu time tem e o adversário não. Aliás, tem uma torcida de 3 cores que até 4 de julho de 2012 era useira e vezeira em fazer isso.
          Não consigo enxergar, praticamente sob fórmula nenhuma, uma maneira de salvar os estaduais. Não cabe mais este tipo de torneio no calendário dos grandes clubes. Acho que deveria esticar o Campeonato Brasileiro para o ano inteiro, assim como as copas cucarachas. Sem mexer no número de times. Vai deixar todo o mundo satisfeito, inclusive a TV.
          Ao mesmo tempo reforçar, estruturar e divulgar mais as Séries B e C, e fazer campeonatos regionais (mas por região mesmo, tipo Copa Sudeste, Copa Sul, etc) como campeonatos classificatórios e de acesso aos principais Nacionais. No caso um campeão regional iria para a Série C para tentar um dia, quem sabe, chegar na Série A. Esse exemplo e esquema de competição é um ponto que você colocou e sou totalmente favorável a ele.
          Obrigado Flávio.

          Curtir

  8. Marco ACT disse:

    Tem de entrar firme na disputa. Claro que a formula do campeonato não exige que o time lute por pontos desde o começo e que seja perfeitamente normal poupar alguns jogadores. São dois campeonatos em um, nossa participação em 2012 mostra bem isso

    Mesmo cpom outras disputas que temos pela frente quero muito esse caneco do Paulistão, somos os maiores vencedores e tem de continuar

    Curtir

  9. José disse:

    O excesso de times, a fragilidade das equipes do interior e a fórmula de disputa tornaram o campeonato paulista muito chato. Fico sempre torcendo para esse suplício acabar logo e conto os dias para o início do brasileiro.

    Curtir

  10. Múcio Rodolfo disse:

    Eu sou “tarado” pelo paulistão. Fiquei revoltado quando aquele fdp do Paulo Nunes desdenhou da nossa conquista em 1999. Mas eu tenho de reconhecer que o campeonato não tem mais aquele “glamour” de antes. E muito disso está no enfraquecimento dos clubes do interior, fruto de um lado daquele rebaixamento em masssa promovido em 1990 pelo Farah- aquele no qual o Vila Sonia esteve no meio e deram um jeito de dar uma camuflada. De um lado, esta decadência resultou da forma como o campeonato brasileiro é disputado atualmente. Antigamente quando havia a Taça de Ouro e a Taça de Prata, o ingresso nelas era de acordo com a classificação nos estaduais. Uma equipe do interior que fizesse uma boa campanha ganhava a oportunidade de enfrentar um Grêmio, um Cruzeiro. Com isso, este clube interiorana conseguia manter por mais tempo o seu elenco. Em 2010, o Santo André foi vice-campeão e se desfez de quase todo o time logo em seguida. A elitização do futebol, os pontos corridos foi muito boa para o futebol em si, mas para os clubes interioranos teve este efeito negativo. Evidente que eu faço questão de ver o meu time ganhando mais um campeonato e se consolidando como o “rei do Paulistão”. Só que eu acho que o Adenor vai repetir as poupadas do ano passado. O Vila Sonia e o Chiqueirense, por estarem envolvidos na Cucaracha Cup irão fazer o mesmo. Isto concede ao Manjubinha Superstar um certo favoritismo para repetir a façanha do extinto Paulistano.

    Curtir

  11. Luís Carlos disse:

    Bom, pra mim campeonato importante atrai público, patrocínio e consequentemente dinheiro para os clubes. Nesse sentido, o Paulistão é bem mais importante que o torneio dos incas. Deve ser priorizado em relação ao outro, já que o clube aceita receber esmola para jogar na casa do caraio e ainda ganhar latada de mijo da torcida.

    Curtir

Amigo, faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: