Os 18 de Oruro

Oruro.

Jamais nos esqueceremos deste nome, desta cidade boliviana.

Pois foi lá que deu origem ao que podemos chamar de primeiros sinais momentâneos de crise corinthiana.

Desde aquela quarta-feira, 20 de fevereiro, passamos a enfrentar alguns problemas.

Uma história, 18 personagens.

Falemos sobre eles.

Personagem 1: Menino Kevim, a vítima

kevim

Após o gol do Corinthians, contra o San Jose, um sinalizador de embarcação atingiu mortalmente o menino boliviano que realizava o sonho de assistir a uma partida do seu clube de coração, o San Jose. E ali terminava a missão deste menino de 14 anos aqui na Terra.

Tristeza na Bolívia, tristeza no Brasil, tristeza no mundo todo.

12 Personagens: Ainda presos na Bolívia

12bolivia

Doze torcedores corinthianos foram indiciados pela morte de Kevim, 2 por autoria e 10 por cumplicidade.

Ainda permanecem presos na Penitenciária de San Pedro, em Oruro e por lá deverão permanecer à espera do julgamento ou alguma outra ordem judicial.

Declaram-se inocentes e seus parentes e amigos aqui no Brasil, clamam por justiça e ajuda do Corinthians e das autoridades brasileiras.

Personagem 14: O menor H.A.M

ham

No dia 25 de fevereiro o jovem de iniciais H. A. M., apresentou-se à Vara da Infância e da Juventude de Guarulhos, acompanhado do advogado da torcida Gaviões da Fiel, Ricardo Cabral.

H.A.M. se declarou o autor do disparo do sinalizador de embarcação, após o gol do Corinthians, contra o San Jose.

Foi ouvido pelo promotor Gabriel Rodrigues Alves e logo após foi liberado.

No último domingo, durante o programa Fantástico, da Rede Globo, acompanhado da sua mãe, o jovem contou como aconteceu o disparo do sinalizador.

Sua apresentação como responsável pelo disparo do sinalizador e seu relato dividiu opiniões. Para alguns, o jovem está sendo utilizado como “laranja”, ou seja, assumindo um ato que não teria cometido.

Para a justiça boliviana, o depoimento do jovem torcedor não produziu efeito e o processo segue, para desespero dos 12 torcedores presos em Oruro, dos seus familiares e amigos.

Personagens 15 a 18: A Fiel “Mendonça”

fiel_mendonca

Pelo ocorrido em Oruro, a Confederação Sul-Americana puniu o Corinthians com a realização de jogos em casa com portões fechados e a não liberação de ingressos para os torcedores corinthianos nas partidas fora de casa.

A punição vale por 60 dias ou até o julgamento final da questão.

Alguns corinthianos que já haviam adquirido os ingressos entraram com liminar com o intuito de terem o direito de assistir aos jogos do Corinthians, no Pacaembu.

No entanto, somente 6 torcedores, Armando José Terreri Rossi Mendonça, Milton Guilherme Rossi Mendonça, Gerson Mendonça Neto, Karina Bellinato Mendonça, Maurício Andreanelli Pimenta e Rodrigo Adura obtiverem êxito na liminar.

Houve tentativa do clube tentando os demover da idéia de levar adiante o uso da liminar, mas 4 destes 6 torcedores, fizeram valer o direito conquistado na justiça.

Assim como em quase tudo que tem envolvido “Oruro”, a atitude dos torcedores também dividiu opiniões.

Associados do Corinthians, Integrantes do grupo “Corinthianos Obsessivos”, braço de apoio da atual diretoria e parentes do presidente Mario Gobbi, desde o jogo da última quarta-feira a vida dos Mendonça mudou de rotina.

Entrevistas, apoios, críticas, ofensas e ataques fazem parte desta nova rotina desde então.

Eis os 18 de Oruro.

Entre os 17 brasileiros, algo em comum: todos corinthianos.

E entre os 18, o principal: respeitá-los.

Respeito à memória de Kevim, respeito aos corinthianos envolvidos no episódio na Bolívia e respeito aos corinthianos que fizeram uso da liminar para assistir a partida.

Concorde-se ou não com seus relatos, não há como julga-los.

Poderíamos citar mais um personagem, o Corinthians.

Que este também seja respeitado.

Anúncios

18 Responses to Os 18 de Oruro

  1. Italiano disse:

    ….essa caso parece que não termina nunca , MEU DEUS….

    Curtir

  2. Ermesto de Minas disse:

    Os 4 ridículos ……………..palavras de Andrés Sanches.

    Curtir

  3. Humberto disse:

    Infelizmente
    os interesses pessoais da Fiel Mendonça , estão acima do bem do Corinthians .

    Não respeitaram e ignoraram o próprio presidente, diretoria e juridico.

    Curtir

  4. Henrique disse:

    Faltam personagens, Silvinho.
    Quanto ao respeito que merecem, penso ser proporcional ao respeito que se dão:

    – Inclua-se entre os personagens o Grêmio Gaviões da Fiel torcida, que auxiliou na fuga do autor do homicídio para o Brasil ao invés de prontamente entregá-lo as autoridas bolivianas no estádio;

    – Inclua-se entre os personagens a Conmebol que permitiu o jogo naquele estádio, que esperou morrer alguém para tomar uma atitude e, quando o fez, promoveu o linchamento moral do clube visitante a fim de tirar o foco da própria incompetência e histórica omissão;

    – Inclua-se entre os personagens o San Jose, que até o momento tem posado de vítima com o auxílio da Conmebol, como se não tivesse falhado grotescamente em suas atribuições como mandante da partida;

    – Inclua-se entre os personagens os jornalistas esportivos, que em sua maioria historicamente relativizaram as omissões da Conmebol, fomentaram uma visão folclórica de escanteios batidos sob escudos da polícia, transformaram toda essa zona num “torneio diferente que mostra quem é quem” e agora, com indignação seletiva, discursam sobre conscientizar torcedores através do exemplo.

    No mais, acho que uma das boas formas de praticar respeito ao Corinthians é não tachar de “menos corinthiano” aquele que não se submete ao dogma do “corinthiano de verdade” não critica torcidas organizadas.

    Curtir

    • Wilson Timão disse:

      Só não concordo quando hipocritamente critica a atitude dos Gaviões da Fiel em trazerem o garoto menor de idade para se apresentar no Brasil.

      Hoje na Fox o desenho o Rei do Pedaço mostrou bem como a coisa (Justiça) funciona: Um americano e um canadense foram presos por estarem embriagados disputando corrida com carrinho de cortar grama. O americano pagou fiança e foi liberado o canadense perguntou: E eu? Resposta: Você é um estrangeiro que cometeu um crime em nosso país. Deus tenha piedade de sua alma.

      O garoto Brasileiro errou, mas não deixa de ser um garoto. Se eu estivesse na Bolívia teria a mesma atitude dos membros da Gaviões.

      (não pertenço a nenhuma torcida organizada, mas respeito)

      Curtir

      • Henrique disse:

        Em primeiro lugar, argumentum ad hominem pra cima de mim não cola. Ainda mais partindo de alguém que não sabe nada a meu respeito.

        Quanto ao ocorrido, você pode argumentar o quanto quiser, mas não vai mudar O FATO de que o Grêmio Gaviões da Fiel Torcida auxiliou na fuga do autor do homicídio para o Brasil.

        Pra piorar, o autor do homicídio não foi prontamente entregue as autoridades aqui no Brasil. Isso, infelizmente para os Gaviões, compromete a credibilidade dessa versão de que trouxeram pra se entregar aqui.

        PS: 1- Eu não creio que o menor tenha agido com dolo;
        2- . A comparação que você faz é comprometida por conta do fato que Gaviões não é pessoa física.

        Curtir

    • RENATO77 disse:

      Henrique, disse tudo.

      Curtir

  5. Julio disse:

    A morte de uma pessoa é a morte de uma pessoa, é algo que torna tudo mais de menor importância.

    +

    Marco Antônio caminha, em mais um dia de sua vida, pelas ruas do centro de São Paulo.

    Por volta das seis horas da tarde.


    No instante seguinte, Marco Antônio está morto, com o crânio fraturado, soterrado pelo desabamento de um prédio em obras: http://www.agora.uol.com.br/saopaulo/ult10103u1238823.shtml

    Uma pessoa morreu, uma vida deixou de existir, por causa do desabamento de um prédio que era reformado sem álvara de autorização.

    Não se efetuou a prisão imediata de 12 operários da obra…

    Não se puniu, cautelarmente, a empreiteira…

    E, principalmente, a morte estúpida de Marco Antônio não causou comoção na imprensa e nas redes sociais brasileiras, com clamores indignados por uma “punição exemplar” aos (ir) responsáveis pela tragédia…

    Por quê?

    Aqui, neste blog que se dedica a assuntos conexos com o futebol, pode-se alegar que não se cabe falar da morte de Marco Antônio, ao contrário do que ocorre com a super-explorada morte de Kevin (alguns, cínicos, com humor negro, podem até insinuar que “os operários da obra devem ser da Gaviões…”).

    Fato é que nenhuma morte ligada ao futebol desencadeou tamanha comoção nos meios de comunicação e, muito menos, resultou em punição que fosse, ao mesmo tempo, tão imediata, arbitrária e rigorosa – tanto para os 12 brasileiros mantidos presos em Oruro, quanto o Corinthians, pré-condenado a jogar sem torcida.

    Para os indignados de ocasião (que selecionam o alvo e o grau de sua indignação), fica a pergunta de como reagiram às 155 mortes de torcedores brasileiros referidas abaixo:

    http://esporte.uol.com.br/futebol/violencia-no-futebol/2009/07/23/ult7499u21.jhtm

    http://www.lancenet.com.br/minuto/Especial-Faccoes-mataram-pessoas-Brasil_0_674932706.html

    Curtir

    • RENATO77 disse:

      Tudo verdade.
      Quando os “não Corinthianos” vêem a possibilidade de linchar o clube, não exitam.
      Porém, concordo que a punição, na medida certa, pode melhorar o comportamento da nossa torcida.
      Exagerar na dose pode ter efeito inverso.
      Abraço.

      Curtir

  6. Luís Carlos disse:

    Kevin: Não tenho nada mais a fazer que lamentar e torcer para que o Corinthians, mesmo não sendo o responsável direto e (a princípio, indireto), proponha alguma espécie de indenização à família na medida de suas possibilidades e de sua consciência e coloque um advogado a disposição da família para que cobre judicialmente o governo boliviano, a polícia, o San José, o eventual autor e seus cúmplices se provado isso, bem como as torcidas organizadas a qual são associados, e a Conmebol.

    Os doze

    Espero que as autoridades bolivianas os puna com o maior rigor possível, dentro do que se conhece por justiça, e consideradas suas eventuais participações ou não, diretas e indiretas.

    Da parte do Corinthians, não acho que deva fazer nada no sentido de pedir a extinção de qualquer organizada, mas acho que não deve mais tirar nenhum centavo de seus cofres para subsidiá-las. Nas escolas de samba a elas ligadas, destinar alguma verba apenas se houver alguma espécie de publicidade ao Corinthians, desde que solicitada pelo próprio Corinthians. Até defendia uma ajuda para viagens ao exterior (exclusivamente), pois é fato que a presença das organizadas em estádios mais longínquos acaba funcionando como uma espécie de representação. Mas pelo ocorrido acho que não dá pra confiar em organizada nenhuma. Fora o, em meu entender, assassinato, há roubos, badernas e fuleragens de toda espécie. Sempre.

    E esperar o desenrolar das punições que o Corinthians já cumpriu e ainda cumprirá e as apurações das autoridades bolivianas, fazer as contas, e ingressar ação indenizatória contra todas as torcidas organizadas envolvidas, na medida do envolvimento.

    O confessador

    Que as autoridades brasileiras abram processo investigatório e punam não só o confessador, mas todos que direta ou indiretamente, lhe imputaram ordens ou lhe deram suporte. Isso vale para os seus pais também.

    Os da liminar

    Apesar que não faria o mesmo, pois um, dois, três, quatro, cinco jogos não fariam muita diferença, assim como a minha presença neles, não tenho como justificar nada contra a atitude de quem se propôs ou se propuser a isso. Mesmo que sejam parentes de 200° do Mário Gobbi. Existem leis no Brasil e elas devem ser respeitadas.

    E é bom lembrar que se alguém da polícia considerar que alguém do Corinthians esteja dificultando o cumprimento de qualquer decisão judicial, esse alguém pode ser preso. E a imprensa, que está ao lado Corinthians, vai adorar isso.

    Da Conmebol não se duvida nada, mas não há nada que justifique qualquer espécie de prejuízo ao Corinthians. São três jogos a portões “fechados”. Não tem como ser menos. Tem como ser mais apenas, com liminar ou sem liminar. A Conmebol não vai invalidar o que já passou, pois teria que tirar dinheiro para ressarcir o prejuízo do Corinthians. A Conmebol não bota a mão no bolso nem pra pagar para fazer uma taça nova. Usa a mesma que já quebrou umas trinta vezes. Vai dar dinheiro para o Corinthians?

    Também não posso engolir a pilha da imprensa e considerar que houve direito, mas não houve bom-senso e moralidade, e que segundo essa mesma imprensa o bom-senso e a moralidade estão acima da obediência à justiça. Se eu engolisse essa pilha, eu teria que considerar também que o torcedor que pediu o reembolso do valor gasto com seu ingresso ou que usará esse crédito para ingressos futuros é imoral e que lhe falta bom-senso. O dinheiro está sendo devolvido por cumprimento ao direito do consumidor também, e essa devolução, apesar de legalíssima, prejudica financeiramente o clube também.

    Curtir

    • Wilson Timão disse:

      Os doze: Espero que as autoridades bolivianas os puna com o maior rigor possível

      O confessador: Que as autoridades brasileiras abram processo investigatório e punam não só o confessador, mas todos que direta ou indiretamente, lhe imputaram ordens ou lhe deram suporte. Isso vale para os seus pais também.

      PARABÉNS…

      com você é puna e punam…

      Não seria correto apurar, dar direito de defesa, julgar, considerar se são culpados ou inocentes e aí sim aplicar a pena que for justa???

      Curtir

      • Luís Carlos disse:

        “Espero que as autoridades bolivianas os puna com o maior rigor possível, dentro do que se conhece por justiça, e consideradas suas eventuais participações ou não, diretas e indiretas.”

        Curtir

  7. Vando disse:

    Silvinho, parabéns, ótimo post!!

    Curtir

  8. Roberto_sccp disse:

    Dos 18 o único que não tem mais chance nenhuma de fazer a vida voltar a normalidade é o garoto que morreu.
    Triste realidade, que poderia ter sido evitada, afinal o sinalizador atravessou rodovias, divisas estaduais e fronteira entre dois países, mais isso pouco importa.

    Curtir

  9. Wilton disse:

    Pra ficar 90 minutos ao celular precisava adentrar ao estadio? Sao os 4 “aparecidos” do Pacaembu isso sim. Quando perguntados pq estavam la, responderam que compraram um produto e tinham esse direito. O Corinthians nao é um produto. Pq todos temem esses tais de corinthianos “aparecidos”, ops “obsessivos?

    Curtir

  10. Pablo disse:

    Silvinho,
    Parabéns pelo post! Destaco tb que dos blogueiros corinthianos que trataram do assunto, na minha opinião você foi um dos poucos a tratar o assunto como deveria,de forma prudente e imparcial, sem ficar em cima do muro.

    Curtir

  11. Mauricio disse:

    Terra
    mauricio cruz
    01/03/2013, 11h30
    os 4 são advogados travestidos de torcedores.
    Querem aparecer e vender serviços.
    Facil de resolver, é só o clube cancelar o cartão fiel torcedor dos 4.
    Game over

    Curtir

Amigo, faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: