A bola não precisa mais entrar. Nem por acaso

O livro “A Bola Não entra por acaso” foi lido por 9 entre 10 aficionados em literatura esportiva.

Dirigentes, treinadores, jogadores, jornalistas, homens do esporte em geral, que atuam dentro e fora de campo, utilizaram este livro como base de renovação – ou pelo menos tentativa de renovação – dos seus conceitos e implanta-los no seu clube.

Ferran Soriano, autor do livro, narra com exatidão e detalhes a transformação ocorrida no Barcelona, tudo o que foi feito para tornar o time catalão,  o maior do mundo.

No Brasil, o clube que mais se aproximou – e se adaptou a esta realidade – foi o Corinthians.

 

 

Mas agora a “moda” é outra.

Surgiu um novo livro que está sendo adotado por homens do esporte ligados ao futebol, surgiu uma nova tendência, uma nova metodologia, escrita certamente por homens que jamais chutaram uma bola, mas analisaram o esporte sob a ótica dos “números”, dos dados estatísticos.

Números, dados estatísticos e o quanto isto pode auxiliar um treinador na estratégia que adotará para preparar sua equipe, a cada jogo.

Os Números do Jogo

E mais uma vez o Corinthians se posiciona na vanguarda da análise estatística das partidas, não só do time, como dos adversários.

Nosso departamento de tecnologia, comando por Fernando Lázaro, filho de Zé Maria, nosso inesquecível e vitorioso lateral direito dos anos 70, formado em administração e educação física, auxiliado por mais 5 profissionais, fornece dados coletados através das ferramentas Footstats e SBC.

Passes, finalizações, posicionamento táticos, tudo é analisado, compilado e com apoio de vídeos, tudo isso é fornecido a comissão técnica que passa a trabalhar as informações, preparando a equipe a cada partida, baseando-se nestes resultados.

Através destes dados estatísticos nossos atletas são informados dos pontos fracos das equipes, por onde mais cometem falhas defensivas, por onde mais atacam e a partir dai, elaborar uma estratégia.

O jornalista André Fontenelle, tradutor do livro, explicou no “Redação SporTV” a teoria expressa no livro. 

– De acordo com eles, se uma equipe não tomar gol, em média, vai ganhar 2,5 pontos. Então, não levar gol praticamente garante os três pontos da vitória. De vez enquanto, vai acontecer do time não fazer o gol também, mas quando marca um gol, em média, garante um ponto, o que garante o empate. A conclusão dos autores do livro é que não tomar gol é mais importante do que fazer. Isso é um conceito difícil de entender, porque a gente tem mais facilidade de ver aquilo que está presente, do que aquilo que está ausente. Estamos mais acostumados em vibrar com o atacante que faz um gol, do que com um zagueiro que salva um gol – explicou André.

(Fonte: sportv.globo.com)

A conclusão dos autores é que “Não tomar gol é mais importante do que fazer”.

Retranqueiros, celebrai!

Deuses da bola, aqueles que doaram cada mililitro de sangue e suor para estufar as redes, reviram-se nos túmulos.

E você, está preparado para conviver com esta nova tendência?

 

45 respostas para A bola não precisa mais entrar. Nem por acaso

  1. Vinicius disse:

    parem de comparar a retranqueira do tite a qualquer outro treinador do futebol mundial. não existe qualquer outro tao defensivistas nem os italianos. nenhum outro com tanto medo de fazer gol

    jamais os times de abel e muricy sofreram tanto para ganhar seus campeonatos. e quando ganharam foi com um futebol agradavel, e nao esse coisa repugnante que é ver o Corinthians jogar

    Curtir

  2. Andre disse:

    Não há como negar o sucesso dos técnicos ditos retranqueiros nos últimos anos (principalmente Tite e Muricy).

    Durante o jogo com o Fluminense eu fiquei pensando sobre os motivos que transformaram um técnico vencedor como o Luxa em motivo de chacota e um cara como o Tite em vencedor.

    Na minha opinião a falta de material humano não permite a formação de um time competitivo e talentoso. Até o início dos anos 2000 tinhamoas com certeza mais talento nos campos brasileiros. E você entregava 5 ou 6 craques pro Luxemburgo e ele te dava o retorno. O Tite não. E hoje isso (manter 5 ou 6 craques no elenco) é economicamente impossível, mesmo para o Corinthians. Hoje, PRA GANHAR, tem de jogar o tal futebol competitivo, não tem jeito.

    Só para ilustrar: Final do Mundial de 2000: Corinthians 5 Foras de Série (Marcelinho, Ricardinho, Vampeta, Rincon, Luizão, Edilson) x Vasco 5 Foras de Série (Edmundo, Romário, Felipe, Juninho, Viola).

    Curtir

  3. kamikasccp disse:

    Este comentário vai despertar polêmica mas , prefiro o time o time mais sólido na defesa e, vencendo campeonatos. Não precisa ser todos , mas a maioria !!!.

    Nunca , nestes mais de 60 anos corinthianos por mim vividos, ganhamos tantos títulos !!!! . Enganam-se aqueles que acreditam que os atuais jogadores tenham qualidade comparável a 98/99/00 ( é certo que o Tite erra muito em manter o “grosso” do F. Santos ) .

    Cansei de ver , nos anos de “fila” , o Corinthians perder campeonatos após perder jogos contra times medíocres , no qual massacrou o adversário , empurrado pelo entusiasmo da maravilhosa FIEL , levando um mísero golzinho no contra-ataque. Depois , o adversário aproveitava o nervosismo do time e, cozinhava o jogo . Mesmo com o time do Dr. Sócrates , cansamos de perder do Juventus de 1 x 0 , gol do Ataliba . A coisa só melhorou um pouco qdo. contratamos o “gaguinho”. O nosso time era fabuloso nesta época ( Paulinho , Biro-Biro, Zenon, Sócrates , Palhinha , Casagrande , Ataliba ,Eduardo e outros =relacionei somente o meio e o ataque ) ganhamos alguns paulistas ( 79/82/83).Este plantel excepcional , mesmo com goleiro superior ao Cássio ( Ronaldo ) , defesa tecnicamente superior , pelo menos em nome (selecionáveis ), não conseguiu ganhar sequer um Brasileiro . Aliás, só veio a ganhar em 1990 , com um esquema defensivo bem fechado.

    Em outras épocas tb. tivemos elencos fortes . Lembro que o apelido Timão ( = Timaço = grande time = posteriormente tb. foi ligado ao escudo), criado em 68 , remetia a um elenco (titular e reservas ) com boa parte tendo servido a seleção. E, assim seguem diversas histórias repetidas de grandes elencos e esquemas muito ofensivos ,com maior risco . Lembrem-se que tínhamos o costume de nos desestabilizarmos (time + torcida ) , tão logo a gente levava gol do adversário ( em geral de time pequeno e , de contra-ataque) . O Santos de Pelé aproveitou-se destas características ( time+torcida , diversas vezes com ajuda do juiz ) p/ manter o tal ” tabú” . Não acho o atual elenco tão superior assim aos demais .Perdemos o Paulinho ( quase do nível do Vampeta/Rincón com melhor finalização). O Guilherme Torres , no meu entender ,está longe da qualidade do antecessor. As contratações de Ibson/Maldonado/Jocinei , apesar da necessária aprovação do Tite , talvez se justifique “p/ compor elenco” ,devido seu menor custo , visto que a torcida não teve paciência c/ jovens W. Arão/Boquita/Nilton ou mesmo Ramirez. Acho que a Diretoria pretendeu reduzir o custo da Equipe.==
    Achar que o atual elenco seja o supra-sumo é acreditar em demasia no marketing.
    Não acho o Tite o melhor dos técnicos , mas sem dúvida , montou um bom esquema defensivo ( falha c/ F.S. ) e , ofensivamente jogapor algumas bolas p/ gols da vitória ( o tique-tac Parreirista não tem funcionado bem )…Falha em jogadas pré-treinadas e bolas paradas !!!

    .Não sei… !!!!, mas ganhamos alguns títulos nestes 3 anos, todos imensamente desejados !!! alguns ganhos mais brilhantemente , outros mais sóbrios , mas ganhando e SENDO CAMPEÃO !!!

    SOU CORINTHIANS em futsal, de botão , natação até no par ou ímpar !!! Não acredito que o Tite seja o grande e único culpado do nosso atual futebol mediano….mas dá p/ ser campeão !!!!….A minha opinião é não criar crise exagerada ( p/ delírio da mídia-rosa ) e, bom-senso em não sobrevalorizar a equipe…em campo é 11 x 11 e o campeonato tem 20 times…..e, somos favoritos !!!!!

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Nada como a sensata voz da experiência!

      Curtir

    • Martelli disse:

      Parabéns pelo que escreveu. Como você tenho bem mais de 60 anos de corintianismo e apoio integralmente seu comentário. Nunca em toda minha vida comemorei tantos títulos de campeão e penso que nós não devemos tentar criar crise onde não há motivo para isso. Os torcedores de hoje em sua imensa maioria não sabem o que é viver 23 anos de fila e ser motivo de chacota e ironias de todas as espécies nesse período. Mesmo com a teimosia do Tite em alguns casos, como manter o péssimo Fabio Santos e não mudar o já conhecidíssimo esquema de jogo temos um bom time que poderá com certeza ser o campeão brasileiro desse ano.

      Curtir

    • Paulo disse:

      Também penso por aí. Tite não durará para sempre ( não há como repetir Alex Ferguson no Brasil, ainda mais porque Tite está longe de ser unanimidade ). Porém, enquanto estiver ganhando não é justo que saia. Ao contrário, temos que aproveitar tudo o que já foi feito e extrair desse esquema de jogo titeano o máximo que ele nos puder fornecer. Eu acho que ainda dá caldo, e, enquanto isso ocorrer, que fique! Mas é fato que a vantagem da novidade tática já passou há pelo menos 1 ano, e, atualmente, adversário entra correndo tanto ou mais que nós ( vide SPFW, Prantos e Flor ), neutralizando boa parte da nossa vantagem relativa, que só se mantém em alguns jogos-chave, quando o time entra muito focado. Creio que se fizermos pequenos ajustes no quesito ofensividade ( fazer mais gols ), somos favoritos absolutos em pontos corridos e favoritos relativos em mata-mata. Também gosto da consistência defensiva do time, sendo o Fábio Santos o ponto dissonante ( Tite erra feio em mantê-lo, parece até o caso JC, preservado como titular contra todas as evidências e com desfecho inevitável de banco, sendo que pela teimosia e “gratidão” do treinador pagaremos caro, possivelmente ).

      Curtir

  4. thiago disse:

    Tite tá desde Janeiro tentando por em prática essa jogadinha da capa do livro e não consegue hahahaha

    Curtir

  5. Paulo disse:

    Olha, não li o livro e talvez ele contenha argumentos mais convincentes que os do tradutor e comentaristas do Sportv, porque citar como argumento a favor do livro – ou da tese por ele encampada – o fato do Corinthians estar a três pontos do líder não ajuda muito, pois se o campeonato terminasse hoje não estaríamos nem na Cucaracha, para desespero de boa parte da torcida ( e em certa medida meu também ). É claro que se não tivéssemos tomado nenhum gol seríamos líderes ( + 2 pontos contra Prantos, Esmerdiadino-Go, Patético-PR e Bostinha; e + 1 contra o Cuzeiro e Patético-MG; ou seja, na soma, dez pontos a mais ), e nesse aspecto a tese até se sustenta. A questão subjacente, entretanto, e não respondida, é a seguinte: Como conciliar o não-tomar com o fazer gols, elemento ainda essencial do futebol? E-qui-lí-brio defesa/ataque, e isso ainda não temos. Se não tomar gols e não fizer nenhum terminamos o campeonato rebaixados, com 38 pontos. Ou seja, o livro se infirma na sua tese central, desde, pelo menos, que a vitória passou a valer o triplo do empate. A defesa é tão importante quanto o ataque, restando claro, naturalmente, que ter a melhor defesa do campeonato é sempre uma vantagem, desde que conciliada com um ataque mais produtivo ( que nem precisa ser o melhor ), do contrário babau título. Nosso time hoje é cobertor de pobre: se cobrir um setor, descobre outro.

    Curtir

  6. Wiliam Junior disse:

    Sinceramente Silvinho, não entro nessa sua crítica direcionada ao Tite, simplesmente porque me remete a algum tipo de oportunismo que não consigo identificar claramente, até porque o desempenho nas épocas de MM eram muito mais pífias e o mesmo treinador era cantado nesse espaço em prosa e verso.

    Portanto, como MM e Luxemburgo estão empregados, só posso acreditar que você está encampando a campanha Volta Adilson.

    Curtir

  7. Wiliam Junior disse:

    O seu post anterior desmente seu post atual e corrobora a ideia do livro.

    Curtir

  8. Martelli disse:

    Meu Deus! Livrinho duro de se aceitar.

    Curtir

  9. Zé Carlos disse:

    Nada contra vencer por 1 a 0. Porém, para isso, é preciso fazer um gol.

    Óbvio, não? Pois é, mas tem uma rapazeada que se recusa a perceber isso! E, até aqui, o ataque do Timão passou em branco em mais de 1/3 das rodadas do Brasileirão…

    Não se trata de pedir pena de morte para o Tite, mas apenas de cobrar que ele retome um pouquinho aquele tal de e-qui-lí-brio.

    Ele é remunerado, e muito bem, justamente para isso; merece ser cobrado à altura. Ou não?

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Claro

      E não importa quanto receba, vestiu o manto, tem que ser elogiado, apoiado mas também criticado e cobrado

      Curtir

  10. ELIGELTON disse:

    Silvinho, lendo seu texto me lembrei do Guarani na atual série C do Brasileirão, o time tem em 9 jogos, 5 vitórias, a maioria por 1 x 0, 4 empates, nenhuma derrota e nenhum gol sofrido, saldo de 6 gols. É bem provável que o técnico siga a risca essa nova teoria de futebol de resultado. Se todos os times de futebol jogar assim é bem provável que deixarei gostar de futebol, que aliás já está chato pra caramba.

    Curtir

  11. MARCELO disse:

    EU TORÇO PARA O CORINTHIANS E FICO FELIZ COM TÍTULOS.

    QUEM QUER VER SHOW, VAI VER O CIRQUE DE SOLEIL.

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Não quero show, quero ver gol

      Não adianta ser o menos a sofrer gols, o critério ainda privilegia o numero de vitórias e quem marca mais gols

      Curtir

  12. Marco Henrique disse:

    “Eu quero ver gol, eu quero ver gol, não precisa ser de placa eu quero ver gol”

    Curtir

  13. Fabiano disse:

    Gostaria de saber o que o Paulo das maratonas tem a dizer sobre este post… 🙂

    Curtir

  14. O Dani L disse:

    Interessante seu texto. Não conhecia esse segundo livro apesar de conhecer um dos autores Chris Anderson (Cauda Longa).

    Existe um filme interessante sobre o assunto, embora seja aplicado em outro esporte baseball (O Homem Que Mudou o Jogo / Moneyball – 2011).

    No entanto, duvido que a teoria do livro seja aplicada no Corinthians até porque o Fabio Santos permanece titular. Ou a contagem de passes certos, cruzamentos e outros fundamentos no caso dele se enquadra nas categorias de “margem de erro” ou “ponto aberrante” dos conceitos estatisticos.

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Segundo o treinador, o jogador começa a ser escalado nos treinamentos

      Sendo assim, entende-se que na soma dos números de desempenhos em treinamentos, o Fabio Santos se sobressai ao seu reserva

      Curtir

  15. Mario Ricardino Csapo disse:

    Tendência, moda, momento….
    Seja lá o que for, costuma ao longo do tempo, colher bons resultados em média. E como o futebol se tornou uma competição direta entre empresas, isso deve durar um bom tempo.
    Então quem não estiver preparado, que se prepare.
    Seja isso bom ou ruim.
    Falando de mim, particularmente, aprovo os resultados obtidos pelo Timão nos últimos anos, mesmo passando raiva durante alguns jogos em que poderíamos passar menos nervoso.
    Mas títulos, campeonatos conquistados, nunca vi tantos e de tamanha expressão como agora, durante meus 45anos de vida.
    Como resultado final me declaro satisfeito.

    Curtir

  16. Marco Henrique disse:

    “Através destes dados estatísticos nossos atletas são informados dos pontos fracos das equipes, por onde mais cometem falhas defensivas, por onde mais atacam e a partir dai, elaborar uma estratégia.”

    Queria fazer um breve comentário em cima desse trecho do texto. Isto não acontece no nosso time, ou pelo menos não consigo ver isso, hoje jogamos de uma forma engessada independente do adversário tanto na marcação quanto no ataque, quando atacamos.

    Abraço

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Os cantos em que os goleiros costumam mais cair

      Onde se posicionam os zagueiros no momento do escanteio

      Algumas coisas foram aplicadas baseadas nestas analises e deram certo

      Mas realmente parece que em alguns casos os números não estão sendo bem trabalhados

      Curtir

  17. Marcos disse:

    Nunca pensei em dizer isso, mas esta chato assistir jogos do meu Coringão!!

    E para piorar, se vc vai no estadio e chama o cara de burro ou tenta vaiar o time(pela postura demonstrada). Você é quase linxado por uns Organizados!!

    E a imprensa esta pondo o Tite em um pedestal, parece que é um revolucinario do Futebol!!

    Curtir

  18. Marcos disse:

    Saudades do Parreira em 2001, time que inspirou o Barcelona de hoje em dia!!

    Volta Parreira!! rsrsrrrs

    Curtir

  19. AndersonII disse:

    O burro ( e covarde, segundo chamam quem defende bem) Murici, ganhou apenas 3 brasileiros (pontos corridos) seguidos, ganhando jogos de 1×0, com chuveirinho na área.

    A bambizada semore teve ótimos sistemas defensivos.

    Mandaram embora. Hoje a torcida chora a sua volta.
    Estão cansados de tomar no C, ( quem diria !)

    Estamos indo para o mesmo destino.
    E invertendo a tese, “Depois da bonança, vem a tempestade”
    Acho que tem gente com saudade de crises e fracassos.

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Fique tranquilo, Tite se e quando quiser do Corinthians

      E para o seu lugar, já está sendo preparado o Sylvinho

      Curtir

  20. paulomonteiro disse:

    vamos queimar esse livro em praça publica

    Curtir

  21. Ricardo de Lima disse:

    Excelente Post, amigo … parabéns!!!!

    Curtir

  22. Alvaro disse:

    Sim, convivo com essa tendência desde novembro de 2010

    Curtir

Amigo, faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: