[Opinião] A falácia do combate aos empresários

Não se engane.

Nem se confunda.

Se você ler que algum dirigente visionário se proporá a acabar com a influência nefasta de empresários nos clubes, não acredite.

Porque isto é impossível. A não ser que o futebol passe por um processo de renascimento. Que todos os métodos e procedimentos sejam incinerados e que os clubes, da noite para o dia, renasçam sob novos conceitos, nova filosofia.

Os clubes (todos, sem exceção) tornaram-se reféns dos empresários de futebol. Há alguns anos, empresários se tornam milionários, donos de fortunas dentro e fora do país, expandindo seus negócios além do futebol, muitas vezes em investimentos obscuros.

Pergunta-se como um empresário de futebol, que emprega no máximo três, quatro pessoas, consegue ter mais dinheiro do que os clubes ?

Na verdade, isso teve um princípio. E começou a partir do momento que os clubes perderam o controle financeiro sobre seus atletas, com o fim da lei do passe.

E um empresário de futebol não nasceu empresário de futebol. Veio, vem, de outros negócios, próprios ou de terceiros.

Muita gente investe no futebol. Desde empresas como a DIS, que nasceu do grupo Sondas, passando pelo Banco BMG, até o crime organizado. Sim, o crime organizado também investe no futebol. E muito. 

Com os recursos obtidos nestes outros negócios e “negócios”, passaram a investir ou “investir” no futebol. Por investimento entenda desde o processo saudável de investimento (aquele que investe na formação do jovem-atletas incluindo-se educação, formação cultural e esportiva) até lavagem de dinheiro.

Agregado a este sistema, observadores e olheiros espalhados Brasil afora buscando novos talentos. Alguns, até já atuando em clubes. Inclusive os grandes. 

Observadores e olheiros relatam seu trabalho de garimpo aos seus superiores, que acionam os captadores ou aliciadores, seduzindo os responsáveis por estes garotos. Emprego, carro e moradia são oferecidos, como forma de sedução ou aliciamento. Contratos de gaveta são assinados e a jovem promessa passa a pertencer a este empresário. 

Na assinatura do primeiro contrato com o clube, forçam a barra e fazem o clube baixar as calças e ceder parte dos direitos econômicos do atleta para não perder a jovem promessa. Neste caso, o que seriam 100% dos direitos, em geral cai, em muitos casos, para pouco mais da metade.

Fujam de outra falácia. A de que um clube só trabalhará com jogadores com 100% dos seus direitos econômicos. Ou melhor, isto só acontecerá se o atleta não se enquadrar no quesito “jovem promessa”. 

Os jovens com grande potencial, vão  para a Europa. Os demais, “estagiam” nos grandes clubes brasileiros até irem pra Europa. Os que não enquadram nestes quesitos, espalham-se por ai.

Os grupos que hoje dominam o cenário dos negócios da bola são  DIS Sondas, BMG, Elenko (que é uma dissidência do DIS Sondas), Carlos Leite, Vagner Ribeiro, Eduardo Uram, Figger, entre outros.

E como não se submeter a este estado de coisas, como romper com este sistema, como dar uma banana aos empresários ?

Simples. Basta ficar com o que “sobrou” nas categorias de base e passar a disputar torneios com o que tem na mão.

E o torcedor ter paciência com o que vai ver em campo, que antecipo, não será grande coisa. Perebas com porte físico de gladiador, canelas duras, sem talento e muita correria.

Alguma expectativa de mudança neste quadro, ou seja, os clubes passarem a ter controle sobre suas jovens promessas, não se sujeitarem a negócios escusos, não servirem mais de vitrina como o próprio Corinthians recentemente no caso Cleber, não precisar mais recorrer a empréstimos e antecipações de receitas pra cobrir rombos, etc ?

Somente com uma profunda mudança na gestão dos clubes e endurecimento das leis. Clube é clube, futebol é futebol. As coisas não se confundem. O futebol não pode mais pagar a conta dos departamentos e áreas esportivas dos clubes. 

Não há mais como um presidente de um clube ter que decidir se paga a conta do futebol ou a obra do parquinho.

Futebol tem que ser profissionalizado, com gestores executivos pagos para cuidarem do futebol.

Não se iluda, de novo reitero. O futebol tem que passar a ser encarado como empresa.

Do jeito que está, é a lei de Vampeta, com uns fazendo de conta que pagam e outros fazendo de conta que trabalham.

E ambos fazendo mal feito.

 

50 respostas para [Opinião] A falácia do combate aos empresários

  1. Rogerio disse:

    o fanfarrão do Citadini no tal “combate”

    ok

    o que ele tem a falar do empresário Marco Antonio Telles?

    na época ele contratou jogador desse empresário que nunca entrou em campo

    o Paulo Nunes foi outro mistério, até hj não deu pra entender e ainda não jogou absolutamente nada.. nada….custo beneficio 0

    explique-se amigo

    Curtir

  2. O Dani L disse:

    Essa questão só gera desconforto para nos torcedores. Somos os únicos que temos prejuízo, no caso técnico, ja que vez ou outra perdemos jogadores em momentos inoportunos e em negociações obscuras. Todos os demais estao ganhando e muito. Por esse motivo nao haverá mudanças.

    Curtir

  3. Anderson Silva disse:

    PO
    SÓ SE FALA DE POLITICA !!! ANTECIPARAM A ELEIÇÃO E ISTO ATRAPALHA TODO MUNDO.

    QUEM SÃO OS CANDIDATOS , VICES DA SITIAÇÃO E DA OPSIÇÃO?
    DEVERIAM SE DECLARAR LOGO PRA AJUDAR .
    CHEGA ! O SCCP PRECISA DE PAZ
    TUDO AGORA É POLITICO

    Curtir

  4. Marcus disse:

    Acho q devia surgir uma Lei em que o empresario tambem fosse obrigado a pagar os salarios de seus atletas em proproção a sua parte.
    Tipo, o Corinthians detem 50% de um determinado jogador e o empresario outros 50%, e, se, o salário deste jogador for de 200 mil, cada um pague 100 mil.
    Como fazer isso que é o grande problema, pois irão colocar emprestimos de jogadores e outros meios para o empresario nao pagar o salario. Mas deveria ser feito algo semelhante.
    Pois, não é justo um clube que gere milhares de empregos, alem de pagar preparadores fisicios, medicos, fisologistas, entre tantas despesas, e o empresario alem de nao arcar nem com o salario, ganhar o seu montante total com uma venda, sem onus algum.

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Ou por exemplo, se o empresario detiver 50% dos direitos econômicos do atleta, paga 50% dos salários

      Assim ?

      Curtir

    • Rogério disse:

      Interessante. A parceria não pode ficar restrita somente aos direitos econômicos. Acho que o clube poderia receber este valor na negociação do jogador. Nas antigas parcerias, as empresas bancavam uma parte do salário, por que o empresário não pode? Não há diferença alguma nesses casos.

      Curtir

    • Kassius disse:

      Acho que não seria viável fazer o empresário pagar por exemplo a metade dos salários do atleta, como você disse os empresários colocariam empréstimos de jogadores e outros meios para não pagá-los, além disso tem a questão da CLT, recolhimento de FGTS, acho que seria complicado.

      Penso que sua idéia é genial, acrescentaria apenas como sugestão abater o salário do atleta em uma eventual venda.

      Ex: O atleta recebe 50mil por mês. Jogou no clube por 15 meses e recebeu 750mil ao longo de seu contrato.
      Logo, o atleta custou ao clube que tem 50% dos direitos 375mil. Este seria o valor abatido na venda do atleta e ficaria com o clube.

      Penso também que deveria haver algum limite mínimo de idade na transferência, por exemplo, só poder jogar em algum clube fora do Brasil após os 21 anos.
      Outro detalhe seria fazer o contrato do jogador dos 18 aos 23 (05 anos) para garantir que ele não saia de graça aos 21.
      Caso o atleta seja emancipado, teria que fazer um contrato de 2 anos 16 aos 18, mas que seria renovado automaticamente por mais 05 anos, podendo ser rescindido mediante pagamento de multa.

      Curtir

  5. Mauro Oliveira Ben Yosef disse:

    A solução é realmente o renascimento do futebol, eu penso quentíssima alterar a lei do passe para pelo menos 21 anos, a partir dai o jogador teria passe livre…

    Sobre os clubes virarem empresa e separa área social do futebol?

    Nunca que deixariam isso acontecer, primeiro que os investidores seriam acionistas e teriam autonomia, e segundo que o balanço de uma empresa é bem mais difícil de adulterar do que o de uma instituição em tese sem fina lucrativos não é mesmo???

    Outra coisa, quem gostaria de ser conselheiro da bocha, da peteca, do parquinho e da piscina?

    Muita gente teria as benesses reduzidas e isso geraria um desconforto terrível!!!

    Curtir

  6. Augusto disse:

    Falácia é este post, tentativa pueril de encobrir a INCOMPETÊNCIA administrativa do clube com maior potencial de crescimento do mundo.

    Como bem disse o SAMUEL, no puteiro somos a rainha das putas, na podridão somos os mais fétidos !

    E viva a falácia dos grandes e competentes conselheiros da Renovação e Transparência.

    Patéticos, você são os principais culpados por esta situação, abram mão dos seus interesses pessoais, procurem um trabalho e parem de mamar nas tetas do clube !!

    Curtir

  7. Marcio Arruda disse:

    Enfim um tópico interessante (viu como eu elogio também?)
    Na minha visão não tem como um clube fazer essas mudanças sozinho, ele estaria tendo muito prejuízo técnico e financeiro ao não aceitar jogadores vindos de empresas ou com os direitos econômicos “fatiados”, infelizmente hoje o clube tem que se adaptar a isso, o máximo que da para fazer é tentar minimizar esse tipo de situação, principalmente utilizando melhor as categorias de base(que também tem muito esquema), de momento é o que tem para fazer.
    Para solucionar de vez, teria que vir de cima a solução, tinha que vir das Federações regulamentos que impedissem que isso acontecesse, acho que tem espaço para todos trabalharem e ganharem seu dinheiro, inclusive os empresários, mas tem que estar cada um dentro de sua área e recebendo apenas por isso, se o problema fosse na NBA ou em outra organização séria já estaria resolvido, mas como é no futebol infelizmente não vejo vontade para resolver.
    Outra forma de melhorar seria uma união nos clubes tendo algum acordo para não fazerem certas coisas, mas como cada um só pensa no seu próprio umbigo é algo impossível de acontecer.

    Curtir

  8. Celso 1º disse:

    O problema do nosso futebol (incluindo o SCCP) está longe de ser os empresários.
    A lei Pelé apenas igualou o Brasil ao sistema vigente NO MUNDO INTEIRO.
    Todo atleta tem empresário e tem contrato com as cláusulas determinadas, ninguém fica preso a clube nenhum. Pagou levou, é a lei do mercado, como em qualquer outra classe de trabalhador.
    NA EUROPA É CHEIO DE EMPRESÁRIO DE JOGADOR TAMBÉM, ISTO NÃO FAZ ELES QUEBRAREM.
    Empresário quer vender seu atleta.
    O problema é que nossos clubes não se organizam financeiramente no intuito de todos os anos terem uma receita separada para contratações, como ocorre na Europa.
    Com isso, os clubes não compram os atletas e o jeito é fazer parceria com os empresários, parcerias estas muitas vezes que o clube leva pouca vantagem. Ou seja se o Corinthians quisesse contratar o Cleber o empresário o venderia, ele quer dinheiro seja de qual clube for.
    O problema é que o gigante Corinthians não tinha grana para isso (ou não se organizou para ter esta grana) e teve que topar uma parceria burra, sendo que no nosso caso tem um agravante, pois nossas parcerias são péssimas e normalmente não ganhamos nada, isto é, oficialmente, este dinheiro não entra no clube.

    A base é uma opção, mas não uma obrigação, é possível contratar bem e não precisar de base como fazem a maioria dos europeus, base é para aproveitar alguns, os melhores, e não a maioria. Tirando o barça, clube nenhum no mundo vive somente de base.
    Se um clube não tiver base e contratar bem não sairá no prejuízo.
    Se surge um grande atleta na base, o time tem que investir também como fazem os empresários, tem que pagar grana, coisa que o Corinthians não fez com o Macelinho-lucas. Mas no Brasil tem gente que ascha que não e pões culpa somente nos empresários. Ou vcs pensam que um atleta da promissora base do barça ganha uma mixaria?? La os caras tem bons contratos, equivalentes aos seus potenciais.
    Nosso problema está nos dirigentes amadores e muitos deles corruptos.
    O Corinthians não depende de empresários, ele tem faturamento próprio, receitas independentes (320mi ano) e se organizado, financeiramente, totalmente fosse, guardaria uma receita anual para contratações e contraria os atletas que chegassem para o clube, coisa que será boa também para o empresário que somente quer vender seu atleta aqui ou em qualquer lugar do mundo.

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Os empresarios não são o problema

      Pelo contrario, na atual conjuntura, sao a solucao para a quebradeira financeira dos clubes

      O que precisa mudar são as leis, endurecendo com o clube exigindo responsabilidade fiscal dos gestores, entre outras coisas

      Mas quem faz as leis ? Senadores e deputados, alguns deles envolvidos até a raiz do cabelo com clubes de futebol, alguns até sendo dono de jogador

      Curtir

      • Celso 1º disse:

        A responsabilidade fiscal tem que existir sim, contudo, mesmo com isso o gestor pode manter as contas em dia e mesmo assim gerir burramente o clube e novamente aderir aos empresários com parcerias ao invés de comprar os jogadores(que estão a venda) dos empresários.

        Os clubes tem que abolir as parceiras para lucrarem mais, isto tem que se tornar meta, principalmente para os ricos como o corinthians.
        Mas isto requer planejamento e este plano passa pela separação de parte das receitas para contratações como fazem os clubes europeus, inclusive os de Portugal que tem receias semelhantes ao corinthians.
        O Porto, por ex, arrecandando mesnos que o corinthians, todo ano destina uns 50milões de reais e compra jogadores dos empresários sulamericanos.
        Estes jogadores se valorizam por lá e logo são vendidos a peso de ouro. Ex: Di maria, David Luiz, Ramirez, vários jogadores colombianos e chilenos.Ou seja eles tem controle sobre os jogadores e decidem se usufruem em campo ou se vendem com os lucros para o clube.
        POR QUE O CORINTHIANS NÃO PODE FAZER ISSO TAMBÉM??
        PORQUE TEMOS INCOMPETENTES (não os chamo de ladrões porque não tenho provas, então parto pro pressuposto que são incompetentes) NO COMANDO!!!!!!!!!!!!!!!
        Veio a revolução e restruturação do MKT, fim das crises, estrutura física top, finanças altas com bons contratos, MAS A EVOLUÇÃO DO SCCP PAROU AÍ.

        Curtir

  9. Paulo disse:

    E acabo de ver a lista dos convocados pelo Zangado (mas já? PQP!). E não é que o quarteto mágico ou fantástico foi desprezado. E a justificativa: “temos que manter a base pois logo teremos Copa América e temos que formar um grupo”. Alguém duvida que a esse “grupo” (Elias não tá jogando nada, por que convoca-lo novamente?) se unirão alegres jogadores leonorenses, na hora da onça beber água, talvez já campeões brasileiros? Esse cretino foi contratado por isso, porque é confiável para os interesses da dupla infernal Del Negro e Zé das Medalhas…

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Eu não acredito mais na seleção brasileira. Aliás, desde 1983

      Curtir

      • Filipe disse:

        Tudo bem em não acreditar em seleção, eu tbm não acredito mas o problema é esse mesmo apontado pelo Paulo, usar da seleção pra ferrar meia dúzia e beneficiar um, no caso o clube do zé das medalhas.

        Curtir

  10. Paulo disse:

    Os empresários não seriam um problema se os dirigentes de clubes não fossem desonestos e cúmplices. Quebram o clube para justificar a dependência dos empresários; e acusam a legislação de beneficiar os empresários? Que história é essa? Um negócio só é bom quando é bom para todas as partes. No caso, os negócios com jogadores têm sido excelentes para todos, menos para os clubes? De quem é a culpa, da pessoa jurídica, que não tem vontade própria e só age através de seus administradores, ou destes?

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      A culpa vem em efeito cascata. Passa por muita gente

      Tem culpa o dirigente, os aspones do dirigente, conselheiros omissos que não cobram como deveriam a gestão, tem culpa a torcida que se mancomuna com dirigente, tem culpa a classe politica que se beneficia dos esquemas, tem culpa muita gente
      (sem trocadilho infame)

      Curtir

  11. Samuel disse:

    Esse é o nosso Silvinho velho de guerra… excelente post, voltando a forma espero.

    Falou tudo e mais um pouco. Só faltou atacar a imprensa podre que faz parte desse negócio sujo também, pois os tais fundos de investimentos são compostos por vários deles, por isso o silêncio sepulcral em relação a lei pelé.

    Essa lei começou tudo. Lá na época eu falava isso, várias pessoas de bem e de visão também, mas infelizmente, no meio do futebol, os únicos que também falavam isso eram os próprios dirigentes dos clubes, e como sempre foram vistos como bandidos, acabou contribuindo para que a lei fosse aprovada mais rápido.

    Os entendidos, os puros e donos da razão da imprensa, destaque para juca kfouri, foram os grandes responsáveis por essa lei. Hoje, eles tiram o braço da seringa, dizem que não participaram, apenas deram sugestões, e que o futebol já estava ruim, que o passe já tinha acabado na europa, e por aí vai, um monte de argumentos tão vazios quando suas índoles.

    A única forma de mudar é revogar essa lei. Fazer outra, restabelecendo os direitos para os clubes, limitando e regulando o papel do empresário, acabando com os fundos de investimentos obscuros… um parenteses aí, quando a MSI veio investir no Corinthians insistiram para dizer quem eram os investidores, e hoje ninguém cobra pra saber quem são os que fazem parte dos diversos fundos existentes… essa é a nossa corrupta e podre mídia.

    E os próprios dirigentes fazem parte dessa máfia. Por isso uma nova lei mudando tudo, e você está certo, o caminho é virar empresa, mas com regras e regulação específica, inclusive com uma Agência Reguladora nos moldes das existentes para setores específicos como saúde, telecomunicações, etc.

    Mas é mais fácil o Gobbi deixar de ser uma bonequinha submissa aos bambis do que mudarem as leis do futebol brasileiro.

    Talvez quando daqui a alguns anos perceberem que de fato a torcida se desiludiu e abandonou o esporte mais popular da Terra… mas ai talvez já será tarde.

    Valeu!

    Curtir

    • Samuel disse:

      Agora só complementando e olhando para nós… o Corinthians não precisa ser a virgem dentro do puteiro, mas também não precisa ser a rainha das putas.

      O que está acontecendo é que claramente somos o clube que mais negociata tem com esses empresários, seja por vantagens criminosas dos envolvidos ou por incompetência e amadorismo.

      Vários casos vergonhosos nos últimos anos, vários jogadores com contratos renovados a peso de ouro e repassados de graça para outros clubes com salários pagos, vitrine para empresários, jogador da base saindo de graça e negociados por milhões lá fora e servindo a seleção… não dá para defender o que vem acontecendo no clube e jogar só a culpa no sistema podre em que ele está inserido.

      O sistema é podre, mas a gente poderia não ser o mais fedido… isso dá pra fazer desde que se coloque gente decente lá dentro.

      Não é o caso do gobbi, nem de ninguém da situação e pior ainda da oposição, como o lixo citadini, que só fala merda e prejudica o clube a cada exposição de suas brilhantes idéias.

      Valeu!

      Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      A imprensa tem sua parcela de culpa tambem
      Não faz o papel de imprensa. Cronistas se comportando como torcedores, outros assessores informais de imprensa e tem a turma que se vende mesmo.
      Sobrou quem ? Jucaiada cagadora de regra mas com rabo preso com algum dirigente ou clube

      Curtir

  12. Ontem eu tava vendo o Sub20 e o Corinthians tem um tal de Ualefi na base, sujeito que não tem nem pinta de jogador.
    Certamente deve ter um empresário.

    E ai eu não consigo entender, se é pra não revelar ninguem, como vem ocorrendo no Corinthians há anos ou pra revelar Ualefis, porque o presidente do Corinthians não pode determinar que a partir de hoje só ficam na base jogadores 100% do clube.
    Tenho certeza que não vão faltar 22 jogadores, pelo menos do nivel do Ualefi, procurando a base do clube.

    Curtir

    • Marcio Arruda disse:

      Não revelar ninguém?
      Não é bem assim, na seleção convocada hoje tem 4 do terrão, ou seja, o clube revela bons jogadores, mas não os aproveita da maneira que deveria ou então eles chegam ao profissional não tão bem formados como deveriam e só vão conseguir evoluir quando saem do clube.
      Não acho que evemos ser extremistas.

      Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Ualefi está na base desde 1977

      Deve ser pai do Gilmar Fuba

      Jogador grosso, sem recurso, fraco

      Curtir

  13. Ewerson Menezes disse:

    Eu me preocuparia com o jogo de domingo, contra as bonecas. Guerrero falou merda e elas vão entrar mordidas. Podemos passar o maior vexame, dentro da Arena. Estão até pensando em pagar a multa para ter pato em campo.

    Curtir

  14. Rubão disse:

    Mais uma convocação, e adivinha qual foi o único clube que não teve jogadores convocados???

    Curtir

  15. Luís Carlos disse:

    Houve um ídolo do passado que por sua fama tornou-se ministro do esporte e vendeu a ideia que na europa grandes empresas botavam muito dinheiro no futebol. Depois que aplicou essa abriu um “clube de formação” e faz negócios até hoje.

    Esse negócio de parceiro$ não acaba porque, verdade seja dita, dirigentes se beneficiam do e$quema. Parasitam os clubes junto deles.

    Um remédio deveria vir do governo. Altera-se a lei Zico/Pelé e coloca lá que, como na maioria dos países sérios, só existem direitos federativos e que os direitos federativos só podem pertencer integralmente a um único clube. Nenhuma empresa nem pessoa física poderia ter participação econômica em jogador de futebol. Isso é pra cavalos de corrida ou bois e não para gente. É tráfico de pessoas.

    Cada jogador negociaria seu salário com o clube e o clube teria o direito de ter o jogador a seu serviço durante certo tempo. No rompimento do contrato seria estipulada uma multa, e apenas essa multa poderia (desde que com a concordância do atleta) ser negociada entre clubes. É o que ocorre no mundo civilizado.

    No caso do Corinthians, na falta de intervenção governamental por lei, o negócio é bem simples de se resolver: acaba com a base e compra os melhores jogadores formados da base de outros clubes.

    Se quiser continuar participando da Taça São Paulo, que é a única que interessa, garimpa um time no começo do ano com jogadores da várzea, faz um contrato de um ano e meio com eles, trabalha eles unicamente para a disputa da Taça SP. Depois desse torneio, o treinador escolhe os jogadores que em seu entendimento poderiam compor elenco do profissional e o clube assina por mais um ano. Os jogadores não escolhidos pelo treinador vazariam de imediato, Os jogadores escolhidos pelo treinador vazariam ao fim do prazo estendido caso não produzissem. No ano seguinte garimparia-se mais outro time e segue o enterro.

    E já que o assunto surgiu, acabo de ver que o Dunga convocou o Dodô, que era reserva do Fábio Santos e do Ramón, e que foi vendido de graça que nem o Marquinhos.

    Curtir

  16. Carlos disse:

    Mas pápi Roc disse que vai acabar com isso!! Li no blog do jornalismo com credibilidade!! Aliás, neste post tem uma foto e pápi está um lu-xo com a roupitcha do trabalho!!

    Curtir

  17. Anderson disse:

    E, agora estão descobrindo isso? Acho que a nova diretoria deveria pagar prá ver, e banir empresários. Jogador no Corinthians, só com100% do clube.
    Os outros não vão aderir? Que se f…..!
    Gostaria de ver o comportamento da imprensa diante de um fato como esse. De que lado ficariam os Risolis, Kfuros e Emperrones da vida?
    Prá consertar o que está errado, tem que ter gente com “aquilo roxo”.

    Curtir

  18. Alvaro disse:

    Acabar com os empresários sem mudar as leis acho bem difícil, mas acabar com esquemas que favorecem gente de dentro do próprio clube isso eu acho bem possível, exemplos:

    2009, na calada da noite o clube vendeu para um grupo de empresários que ate hoje ninguém sabe ninguém viu, parte dos direitos do Cristian e André Santos alegando precisar de dinheiro, 1 mês depois são vendidos para a Europa, baita “aplicação” para esses empresários.
    Lateral esquerdo Dodô, fez um bom campeonato pelo Bahia ate se contundir, ai esta se recuperando e o clube da de presente o passe que imediatamente fecha com a Roma.
    Marquinhos, jogador que passou por todas as categorias de base da seleção, baita potencial, um direito do treinador não querer escala-lo por suas opções, ok, mas o treinador um dia passa e o jogador é patrimônio do clube.

    Citei apenas 3 casos que no minino colocam um elefante atrás da orelha do torcedor, pois são situações que permitem vantagens a “alguém” la na frente, facilito aqui que você me recompensa ali, sem contar os casos do Chicão e Walace dados ao Flamengo, volante Gomes que com o Tite em 2012 jogou muito bem no paulista e mostrou ter qualidade para substituir o Ralf e simplesmente SUMIU.

    Ou tem SAFADO levando vantagem la dentro ou tem AMADOR administrando o clube,,, qual opção você escolhe?

    Curtir

  19. Carlos Amaral disse:

    Muito bom e verdadeiro seu texto. As vezes eu tenho a impressão(certeza, na verdade) que torcedores e jornalistas querem do Corinthians um comportamento de virgem dentro do puteiro. O Corinthians pode liderar uma mudança nesse status quo? Dúvido .Como fazer acordos com caras que traem até pessoas do próprio clube, como no caso do Juvenal ? E assim é no Palmeiras, no Santos , no Vasco , no Flamengo e etc. O Brasil parece que vive uma fase, em tudo, que precisa falir para recomeçar do zero. E rezar para recomeçar direito.

    Curtir

  20. Carlos Roberto disse:

    Ano passado eu estava desanimado com o time de futebol, jogando aquele futebol ridículo, com 17 empates no lombo, mas ficava animado com a perspectiva de construção da Arena e tudo que envolvia esse mega empreendimento do futebol.
    Acreditava que os negócios do Corinthians poderiam ser geridos a partir de então como uma empresa. Afinal, a gestão do Fundo da Arena nos levaria a um processo mais profissional para gerir as contas do clube, uma vez que não poderíamos contar com as arrecadações da Arena, até o final de cada ano, quando se apuraria se houve sobras, e seria então dessa sobra uma parte destinado ao nosso Corinthians.
    Puro engano, hoje nem sabemos a quantas andam as finanças do clube que sequer publica um balancete desde janeiro de 2014.
    As contas da Arena? só Deus sabe, ninguem fala nada, não se divulga nada, enfim é uma omissão total, por conta de uma mudança de postura de Andrés, q até ameaça largar a gestão da mesma. Pra mim, ai deveria ser contratado um profissional, com visão de marketing ou então tentar trazer o Rosemberg de volta.
    Se o clube sabe q não pode contar com as arrecadações e isso o próprio orçamento já anunciava, prevendo somente metade de arrecadação do q houvera ano passado, como o Sr Gobbi vem a publico falar que não sabe como vai pagar a folha de pagamento do fim de ano?
    E espero q fechem logo esses malditos N.R.s porque só assim poderá existir perspectiva de sobra de dinheiro no fim de cada ano, para que metade dessa sobra reverta para o Corinthians.
    Quanto a empresários no futebol nem gosto de falar nisso, acho q temos q mudar de técnico este ano, porque seu vinculo com empresário cheira mal. E temos q tomar cuidado com outros tecnicos q estão no mercado e q se envolvem com transações de jogadores, tipo Luxemburgo.

    Curtir

    • Ulisses_Coringão! disse:

      E pensar que também cai nesse engodo… Como pude.

      Quanto a atuação dos empresários e a malfada Lei Pelé, que diante da incompetência nas gestões administrativas se mostrou terra fértil pra negociata, penso que deva haver, apesar de nem gostar de utilizar tal verbete, INGERÊNCIA dos governos…

      Não são eles que de tempos em tempos anistiam os clubes?

      Que ao menos cobrem um contrapartida.

      Proibindo legalmente a associação de direito econômico a qualquer pessoa ou instituição que não sejam os clubes. E não os de fachada, entre outras medidas…

      Curtir

    • Celso 1º disse:

      As obras da arena estão paradas, somente esta ocorrendo a retirada das arquibancada móveis e uns 3 gatos pingados trabalhando no teto num ritmo em que não da para fazer previsão de conclusão da cobertura.
      Estacionamento fechado e sem as obras de conclusão, ninguém sabe quando vão vender os camarotes, ninguém sabe de nada.
      Não da para divulgar tudo da arena para os antis não atrapalhar, claro, mas teríamos que ter um ideia geral de como andam as negociações das propriedades.
      Somente se comenta os NRH (esse tem negociação realmente difícil, depende do mercado) mas ninguém falas das mais de 50 propriedades que a arena tem para negociar.
      Rosemberg, O MENTOR DE TODA A TRANSFORMAÇÃO CORINTHIANA (ele pensava e o Andres agia) faz muita falta, pena que esta turma do omisso e desastrado Gobbi o expulsou do clube.

      Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Não sei qual foi objetivo daquela entrevista do Mario Gobbi (deve ter algum), mas ela foi infeliz
      Sob vários aspectos

      Curtir

  21. Luciano disse:

    Muito bom seu comentário. Quanto à profissionalização do futebol, só será possível quando os clubes se transformarem em empresas (sem donos, ou seja, o futebol profissional pertença ao clube), onde todas suas operações teriam que ser seguidas como qualquer outra empresa. Se falir, abandona o futebol de vez. Se fizer operações obscuras, dirigentes pagam com seus bens. Gestores profissionais. Acho que o governo está com a bola nos pés para solucionar o problema do futebol brasileiro. Basta exigir que eles se transformem em empresas e sigam o que já citei. Caso não queiram, teriam que pagar altos impostos. Quanto ao jogadores da base, a solução é acabar com os direitos econômicos. Assim, vale apenas o contrato. Caso o contrato seja rompido, paga-se a multa com base no salário do cara. Cumprido o contrato, o jogador pode ir para onde bem entender. Fim de papo. Isso deveria partir da Fifa, mas não sei se estão interessados nisso.

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Não se esquecendo que quem vota as leis são deputados e senadores, muitos deles ligados a clubes

      Curtir

    • Luís Carlos disse:

      Não existe isso de clube se transformar em empresa. Isso é balela da mídia. Para ser empresa tem que nascer empresa. Há vários clubes-empresa e a maioria só existe para “oficializar” jogador e para disputar a Taça São Paulo. Só o Audax e o Osasco que se poderia dizer que vingaram. E porque são administrados por empresas sérias. Não por amadores, aventureiros e lavadores de dinheiro. Mesmo assim, quantos títulos possuem? Quanto recebem da tv?

      Curtir

Amigo, faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: