Na despedida, deu Empatite

30/11/2013

Na despedida, adivinhem?

Zero a Zero.

Mais um empate, o 17º na competição.

Sobre o jogo, de aproveitável apenas os momentos de pura emoção, nas homenagens a Tite e Alessandro, ambos se despedindo do torcedor corinthiano.

Alessandro, ainda pode pintar em alguma função administrativa no departamento de futebol.

Tite, vai curtir férias com a família e dirigir algum clube, depois da Copa do Mundo.

2013 está acabando.

E após todo fim de ciclo, renascem as esperanças.

Esperamos que em 2014 o futebol corinthiano volte melhor planejado, com metas e objetivos definidos e que dentro de campo, volte a apresentar um futebol bonito e vitorioso.

O que se leva deste ano são lições que devem ser aprendidas, absorvidas e utilizadas como base para que erros cometidos jamais se repitam.

Se chegamos a essa situação nesta competição, com números e desempenho vexatórios, as responsabilidades vão desde a presidência do clube até o último dos reservas.

O planejamento para 2013 não foi bem executado, a diretoria deixou as corres correrem frouxas demais, os jogadores ficaram a vontade e sentiram-se desobrigados de novos conquistas.

E qualquer grupo de trabalho, seja no futebol ou em qualquer ramo de atividade, sem pressão não funciona.

Outro fator que contribuiu sensivelmente para que o time deixasse de vez de ser competitivo foi o encontro de Mano Menezes com o presidente Mário Gobbi, em meados de setembro e outubro, onde ali teriam se alinhado quanto ao futuro.

A informação vazou e serviu como querosene para aumentar a fogueira da vagabundagem no elenco.

Claro, se o comandante está na berlinda há pouco menos de 2 meses do término da temporada, que razão teriam para se desdobrar em campo?

Não basta a mudança de técnico. As mudanças precisam ser amplas e irrestritas.

Comissão técnica e cargos de gestão.

Que venha 2014 e com ele, novas conquistas.

Vai Corinthians!


Sofrimento sem limites

25/11/2013

Chega o Natal, chega o Ano Novo, mas para nós corinthianos, o Brasileirão parece que não vai acabar nunca.

Ontem, mais um capítulo desta saga de sofrimento que vem sendo acompanhar o Corinthians neste campeonato.

O pior ataque do campeonato (ser melhor que o Náutico, apenas, é vergonhoso), time sem padrão tático, à base do que restou de vontade e alguma correria.

Emerson, perdendo gols até agora, mas, mesmo sendo atacante, um dos melhores roubadores de bola deste time. E é por estas e outras que com Tite, o time é ele e mais 10.

Romarinho.

O que dizer de Romarinho, outro titular absoluto de Tite.

Bem, sob nossa análise, a esperança é que no ano que vem, com outro treinador e outra metodologia de trabalho, menos baladas e  menos noitadas, Romarinho volte a ser mais efetivo, mais produtivo e que principalmente, volte a fazer gols.

Gols!

Coisa que o Corinthians, neste Brasileirão, deixou de fazer em 17 partidas.

Dezessete partidas, caros amigos!

Dezessete jogos, mais de 1.500 minutos de bola rolando sem fazê-la ultrapassar o retângulo.

Se fora de campo nossa diretoria derrapou feio, e muito, não fazer a bola chegar ao fundo da rede é responsabilidade de quem chuta e de quem arma o time.

Sem mais delongas.

E o sofrimento não para, não tem limites.

Ainda teremos mais 2 jogos pela frente.

Mais de 180 minutos de futebol fraco, ruim e sonolento.

Nosso ainda treinador tenta arrancar motivação e passar esta mensagem aos seus comandados.

Quer todos motivados!

Não conseguiu motivá-los em 12 meses, vai conseguir agora em duas semanas…

Essas são mais das tantas palavras jogadas ao vento pelo nosso Rei da Resenha e do Lero-lero.

Tite não merece e nem deveria passar por todo esse constrangimento. E nós, torcedores, muito menos.

Tite deveria ter se despedido depois do jogo contra o Vasco, quando o clima de emoção pairando no ar era totalmente favorável a ele.

Mas a brisa passou. E com ela, a paciência do torcedor, que já andava impaciente.

Esperamos que num lampejo de bom senso, nossa diretoria dispense o treinador definitivamente após o jogo contra o Internacional, sábado que vem, no último encontro de Tite com a torcida, comunique o novo treinador e já coloque metade do elenco definitivamente e agora de forma oficial, de férias.

É o mínimo, que agora, deveriam fazer.

De novo, não perguntarei o que vocês acharam do jogo.

Desejarei apenas uma semana de muito trabalho e sucesso aos amigos.

E que venha 2014!


Mais um empate

18/11/2013

Mais um empate na Era Tite.

O 30º no ano.

Mais um jogo ruim, sonolento, numa tarde xexelenta e diante de um excelente público, mesmo com o time jogando sem mais nenhuma pretensão na competição, 20 mil corinthianos presentes no nosso retorno ao Pacaembu.

De um lado, um time fraco, limitadíssimo, lutando pra evitar o inevitável, o rebaixamento. Sem criatividade, sem poder de fogo, perdido com a falta de espaço para evoluir com a bola e um treinador desesperado a beira do campo.

Do outro lado, um time já sem grandes motivações, criando, mas esbarrando na falta de qualidade e poder de fogo do nosso ataque e os melhores momentos saindo dos pés de Renato Augusto, o mais criativo do time, jogando lamentavelmente em posição errada.

E os lances protagonizados por Renato Augusto aconteceram exatamente quando ele abandonou a posição em que foi escalado e tentou manter a sua característica, o avanço em diagonal e seu forte chute.

Emerson, o de sempre. Muita briga, muita luta, firulas, cartão amarelo e nada de gol.

Romarinho andou em campo o jogo todo.

Alessandro, até quando irá insistir em prosseguir jogando futebol?

E de resto, nada a acrescentar.

Tite foi ovacionado pela torcida, único momento de emoção no jogo.

O maior distintivo do mundo e a homenagem a Adenor Tite

O maior distintivo do mundo e a homenagem a Adenor Tite

Não perguntarei o que você achou da partida.

Acho desnecessário.

Boa semana a todos, de muitas conquistas e muito trabalho,

E Vai Corinthians!


Vencemos. Agora é pensar no futuro

14/11/2013

Vencemos.

A segunda partida consecutiva e isso não acontecia há muito tempo.

A única vez que vencemos duas partidas consecutivas neste torneio aconteceu há três meses, quando vencemos Criciúma e Grêmio, ambos por 2 a 0, pela 10ª e 11ª rodada.

Fazia tempo também que não vencíamos fora de casa, a última vez também há três meses, quando vencemos o Criciúma, 4 de agosto.

1 a 0, vitória magra, marca característica desta equipe com o segundo pior ataque da competição, na frente apenas do rebaixado Náutico.

Mas o que importa é a vitória e mais 3 pontos. Com 48 pontos, o Corinthians subiu para a nona colocação do Brasileirão.

Tite e os jogadores ainda falam em Libertadores.

Talvez seja tarde demais. Mas como tudo matematicamente é possível, vai ficar por conta da mística e da natureza.

Sobre o jogo, nos primeiros minutos o time deu mostras de que a última vitória, contra o Fluminense, deu mais confiança aos jogadores.

Imprimindo intensidade, com muita vontade, chegamos com perigo por 2 vezes à meta adversária, com Pato e Emerson.

Mas após os 20 minutos, a falta de criatividade e o velho problema de finalização, voltaram a pesar e dominar o jogo.

Passamos a jogar por uma bola e a encontramos, através de um belo chute de Guilherme.

E foi só. Só não, foi tudo.

Mais 3 pontos, adeus ao risco de rebaixamento, agora é começar a pensar no futuro.

Os boatos (ou informações) da saída do treinador Tite estão cada vez mais fortes.

Está tão na cara, tão na cara que Tite vai sair que…. não nos surpreendamos com uma reviravolta.

É isso. Tudo pode acontecer.

Atualmente, eu não duvido de nada, desconfio de tudo e só acredito vendo.

Porém, se confirmadas as informações e os boatos, que surgiram de dentro do próprio clube, a contagem regressiva para o adeus Adenor segue firme e forte.

No próximo domingo enfrentaremos o fortíssimo candidato ao rebaixamento, Vasco.

Se o time e o treinador pensam mesmo ainda em Libertadores, não é pra ter pena, nem dó, nem piedade, nem essa de respeitar a grandeza, tem que passar o rolo compressor e empurrar o time de Eurico Miranda ainda mais para o buraco.

Comente a partida.

E Vai Corinthians!


Contagem regressiva

13/11/2013

Hoje é quarta-feira e é dia de Corinthians, em Curitiba.

O Corinthians enfrentará a equipe da casa, pela 34ª rodada do Brasileirão, as 21:50h, no Couto Pereira.

Com 41 pontos, o Coritiba está em 13º lugar na competição, sem vencer há duas partidas, sendo um empate e uma derrota.

O Corinthians não perde há quatro partidas, sendo dois empates e duas vitórias e está na 12ª colocação, com 45 pontos.

Corinthians escalado, vai de Walter; Edenílson, Gil, Paulo André e Alessandro; Ralf e Guilherme; Emerson Sheik, Danilo e Romarinho; Alexandre Pato.

Uma vitória corinthiana e finalmente atingiremos a zona de conforto, afastando definitivamente qualquer risco de sufoco nas rodadas derradeiras.

O discurso dos nossos jogadores é que uma vaga para a Libertadores 2014 ainda é possível.

Melhor que estejam com este espírito.

E atingindo os 48 pontos, ai sim, diretoria e treinador poderão tranquilamente definir o que cada um vai querer para a sua vida, em 2014.

E, além disso, antecipar as férias de alguns jogadores, dando oportunidades a aqueles que pouco apareceram em 2013.

Em resumo, começar a tão necessária renovação da equipe para a próxima temporada.

Eu acredito em vitória esta noite.

E você, qual o seu placar para o jogo de hoje?

Hoje começa a contagem regressiva.

Pro dia do “Fica” ou pro dia do É nóis, Mano.

Vai Corinthians!

 

 


Vitória com gol do artilheiro

10/11/2013

Dizíamos, uma vitória neste domingo seria fundamental.

Por alguns aspectos e principalmente, pela pressão sobre o treinador, elenco e diretoria.

Atingir uma pontuação que nos conduzisse a chamada zona de conforto, deixando para trás qualquer risco desnecessário.

Também já dizíamos, esse time não cai porque tem gente muito mais competente pra isso.

O próprio Fluminense. Time ruim, limitadíssimo, não há projeto que possa salvar esse time.

Vencemos, com um gol de pênalti.

Cobrado por ele, Alexandre Pato. 

Ele mesmo, Alexandre Pato que há alguns dias foi execrado pelos próprios companheiros e entregue aos leões pelo treinador e pela própria diretoria, que não fez o menor esforço para blinda-lo.

Pato se encarregou da cobrança da penalidade máxima muito bem marcada pela arbitragem e bateu do jeito que poderia ter batido naquela noite.

Mas aquela noite é passado.

O que importa é o presente e o futuro. 

Pato precisa ser recuperado e não execrado. E este gol e um novo treinador recuperarão este rapaz pro futebol.

Sobre o jogo, ruim como tem sido. Sem criatividade, sem finalização, sem… sem… sem nada.

Mas desta vez, um golzinho de pênalti salvou a noite.

Finalmente um final de domingo mais agradável, sem derrota e sem empate.

Comemore, aproveite, não é sempre.

Agora, mais um ou dois pontinhos e vamos começar de vez a pensar em 2014.

Começar um novo planejamento, com novo comando, novas cabeças, oxigenar as idéias, trazer novas peças para o elenco e uma nova filosofia de trabalho.

Valeu pela vitória.

E quem diria, o Pato salvou a pele do Adenor.

Comente a partida.

Excelente semana a todos, de muito trabalho, paz e evolução.

Vai Corinthians!


A importância de uma vitória neste domingo

09/11/2013

Vamos, vamos Corinthians,

Este jogo, teremos que ganhar!

Uma vitória diante do Fluminense, neste domingo, será fundamental.

O time já está escalado e confirmado e vai de Walter, Edenílson, Gil, Paulo André e Alessandro; Ralf e Guilherme; Romarinho, Douglas e Emerson; Renato Augusto.

E será importante por várias razões.

A primeira, basta olhar para a tabela.

Tudo embolado, tudo indefinido. Se olharmos pra cima, ainda existe uma remotíssima chance, mínima, ínfima, quase inexistente, de chegarmos ao G4.

Se olharmos para baixo, os poucos pontos que nos separam desta zona são preocupantes.

Uma vitória será importante para o grupo. Que precisa voltar a vencer.

Para os que a vergonha lhes resta na cara, devem estar incomodados com esta situação.

Uma vitória será importante para a o treinador.

Tite precisa desta vitória. Para diminuir o peso sobre suas costas, para poder respirar mais aliviado e para começar a definir sua situação no clube.

Se vai ou se fica.

Quanto a isso, confiamos nas informações, o ciclo de Tite está definitivamente encerrado e não fica no clube em 2014, dando lugar para o retorno de Mano Menezes.

Mas de qualquer forma, o time precisa logo atingir os 45 pontos.

Porque a partir dai, com o risco de entrar na zona de desconforto afastado e mais um pontinho, o clube pode até começar a dar férias antecipadas para alguns jogadores e começar a dar (finalmente) oportunidade a novos jogadores que chegaram nesta temporada.

O torcedor corinthiano precisa e merece uma vitória.

Está cansado de assistir a um futebol ruim, burocrático, sem inspiração, sem pontaria, sem gols e sem vitória.

Não aguenta mais assistir a empates.

O que a gente espera amanhã é ter um final de domingo mais agradável, comemorando uma vitória.

Vai Corinthians!


EmPato aqui, emPato acola…

03/11/2013

Mais um empate.

O 15º na competição.

E três meses sem vencer uma partida fora de casa.

O atual campeão do Mundo não consegue vencer um jogo sequer fora de casa há 3 meses!

Sobre o jogo, o que dizer? Falta vontade? Não falta.

Falta raça, falta garra? Também não.

Então, o que falta?

Nosso time parece aqueles formados em colônias de férias. Os domingueiros, casados e solteiros se reunindo ao lado do campo, uns se apresentando aos outros, alguém começa a distribuir as camisas perguntando quem joga onde, se tiver mais de um pra mesma posição, improvisa-se em outra, vão para o campo e bola em cima dos que se apresentam mais habilidosos e seja tudo o que Deus quiser.

Assim tem sido o Corinthians ultimamente.

É bola no pé do Romarinho e do Sheike e seja tudo o que Deus quiser. Se derem sorte de encaixar uma bola ou uma finalização, tem que glorificar de pé!

Um time com vontade, que corre, mas sem coordenação, sem planejamento tático, sem nenhuma estratégia.

O sistema defensivo, por exemplo. Tão elogiado e exaltado. Neste jogo, em várias oportunidades o zagueiro Gil no homem-a-homem com o atacante adversário, sem a devida cobertura. No segundo tempo, por exemplo, cansado de ficar exposto, resolveu matar o lance quase na faixa intermediária, chegando exatamente junto com Alessandro.

Deve ter imaginado: “É melhor eu tentar sair pra matar o lance lá na frente porque eu me garanto, se deixar pro Alessandro, ele não está conseguindo segurar os caras, o atacante fica mais próximo do gol, eu saio pra marcar, fico sem cobertura e ai vai dar m…

Mas foi quase isso que aconteceu no lance que deu origem ao gol do Vitoria. O time ficou assistindo a troca de passes do Vitória, Gil saiu para o combate, ficou desguarnecido, bola cruzada na área, passando sobre a cabeça de Paulo André, gol do Vitória.

Nosso treinador, PHD em sistema defensivo, precisa recompactar a defesa.

Sobre as substituições.

O time gasta uma fortuna levando quase o elenco inteiro para o campo de jogo.

Para que, se o treinador vai sempre usar os mesmos jogadores: Douglas, Diego Macedo e Pato.

Douglas, as pernas já não acompanham o raciocínio.

Pato até que deu azar no lance da bola completada de cabeça ao gol, mas em outro lance, mesmo invalidado, em vez de meter o peito do pé na bola, tentou finalizar o voleio com estilo, usando os três dedos…

Faça o básico, meu filho. Não aprendeu a lição?

Reitero, o time tem vontade, cria, hoje bateu o recorde de finalizações no ano, mas falta muito.

Falta pontaria, falta coordenação, falta estratégia pra se chegar ao gol.

Daqui pra frente, nas próximas rodadas, a coisa não vai ser muito diferente disso.

Pode ser que num lance de sorte, de rara inspiração, alguém faça uma grande jogada, a bola entre e o time não sofra gols.

Pode ser…

Fora isso, o que a gente vai ver daqui pra frente, até o final da temporada, é isso ai.

A boa notícia é que com mais 5 ou 6 empates, a gente se garante na elite do futebol brasileiro.

A má notícia é que os próximos 5 jogos serão contra equipes que também lutam ou pra não cair, ou pra se afastarem do risco de serem rebaixados.

Serão verdadeiras pedreiras. Times que virão pra cima, sedentos e desesperados pela vitória.

Destes próximos 5 jogos, 3 serão em casa. Em tese, seria uma vantagem.

Não há mais quem e o que cobrar. É isso que está ai e é o que teremos até o final do ano.

Não tem magia, não tem química, não tem sarava, não há mais nada que possa ser feito.

O futebol corinthiano atingiu um status imutável. Com a bola rolando, nada pode melhorar, nem piorar.

A não ser o resultado, que pode ser bom, se tivermos sorte.

Não há mais o que cobrar do treinador. Ele vai continuar palestrando, utilizando de palavras bonitas pra tentar justificar o injustificável, tendo uma semana pra treinar o time, mas no dia do jogo, tudo saindo como se não tivessem treinado absolutamente nada.

E a nossa diretoria vai continuar dizendo que em mais 2 ou 3 jogos o time vai voltar a jogar e vencer.

Abrimos aos debates.

Sei que falta vontade pra debater, mas haverá sempre energia para o desabafo.

Eu continuo acreditando que não corremos risco de rebaixamento.

Mas por outro lado, entendo que o próximo jogo será chave.

Uma vitória e começaremos a exorcizar o risco do rebaixamento.

Um empate ou derrota, é hora de começar a orar de joelhos.

 

 

 


Por uma Vitória

02/11/2013

O Corinthians partiu escalado e confirmado para enfrentar o Vitória, neste domingo, às 17h, no estádio Barradão, em Salvador.

Walter; Edenílson, Gil, Paulo André e Alessandro; Ralf e Guilherme; Romarinho, Douglas e Emerson; Renato Augusto.

Estes serão os 11 que entrarão em campo em busca de 3 pontos que nos aproximem da meta dos 47.

A equipe do Vitória , ainda de olho no G4, está com 47 pontos, na 6ª posição, com 13 vitórias, 8 empates, 10 derrotas, 45 gols marcados e 44 sofridos.

O Corinthians, na 12ª posição, 41 pontos, 9 vitórias, 14 empate, 8 derrotas, 24 gols marcados e 19 sofridos.

Apesar do forte calor, há previsão de chuva a tarde, em Salvador.

Renato Augusto, em nova função, continua no time.

Qual o seu palpite para o resultado da partida?

E Vai Corinthians!

 


Empacto em Araraquara

27/10/2013

Havia um pacto pelas 8 vitórias, nos 8 jogos que restavam.

Pelo menos, foi isto que nos disse o presidente Mario Gobbi.

Mas, faltou combinar direito com os jogadores.

E claro, também com o Rei do Empate do futebol brasileiro, Adenor Leonardo Bacchi, Tite.

Hoje, diante do Santos, mais um empate.

Logo nos primeiros minutos da partida, o time demonstrou que teria atitude bem diferente da que nos custou a desclassificação na Copa do Brasil, contra o Grêmio.

Aliás, era o mínimo que se esperava da equipe.

Mais volume de jogo, criando situações, finalizando, mas esbarrando na falta de pontaria.

Terminamos o primeiro tempo com a vantagem, 1 a 0, gol de Douglas, de cabeça, num cruzamento de Emerson, pelo lado direito.

No retorno para o segundo tempo, Diego Macedo deu a letra do que veríamos no segundo tempo.

Segundo Macedo, Tite pediu para que o time se preservasse do forte calor, adotando a velha cautela como forma de jogo, jogando apenas no contra-ataque.

Recuamos, passamos a jogar em função do contra-ataque, mas, o time santista aproveitando do buraco criado nos apoios de Edenilson ao ataque, sem a devida cobertura dos volantes, jogada pela esquerda, bola na área, confusão e o gol de empate santista.

O Corinthians continuou criando oportunidades, uma bola na trave de Douglas quase nos coloca na frente no placar, mas, ao final, mais um empate.

Detalhe para a substituição promovida pelo nosso treinador, aos 44 minutos de jogo, quando colocou Rodriguinho, no lugar de Guilherme.

A 4 minutos do término da partida, incluindo-se os acréscimos.

Com este resultado, o Corinthians chegou ao 14º empate na competição, com 41 pontos, na 12ª colocação, a 11 pontos do G4 e a 8 pontos da zona da degola.

A sete rodadas do término do campeonato, com 21 pontos em disputa, dizer que corremos risco de queda é um tremendo exagero. Bastam mais 6 ou 7 pontos a serem conquistados em 7 jogos para espantar de vez este risco.

Basta analisar a situação dos clubes da 13ª posição para baixo na tabela.

Por outro lado, dizer que o time ainda luta pelo G4 é iludir o torcedor.

A bem da verdade, o Corinthians jogará as últimas rodadas do Brasileirão apenas para cumprir tabela.

De empate em empate, nosso treinador vai se arrastando no comando técnico do time.

De fato, agora pouco faz diferença se esta no comando do time. Sua permanência em 2014 está praticamente descartada.

E mesmo com a chegada de um novo treinador apenas em janeiro, a diretoria deveria interromper o calvário de Tite (e o nosso…), entrar em acordo e facilitar sua saída, deixando o auxiliar Sylvinho comandando o time no restante da temporada.

E você, gostou do desempenho do time contra o Santos?

Faça seus comentários.

E Vai Corinthians!

 

 


Jogar com dignidade e honra em respeito a torcida

27/10/2013

“É sangrar pra buscar os 24 pontos e tentar colocar Corinthians no G-4. E fazer tudo para encerrar o ano com dignidade e honra, em respeito à torcida do Corinthians”

Palavras do presidente Mario Gobbi.

Que, acredita-se, tenham sido também ditas a cada jogador.

E a primeira oportunidade, será logo mais, diante do Santos.

A equipe já está escalada e confirmada pelo treinador Tite e vai de Walter; Edenilson, Gil, Paulo André e Alessandro; Ralf, Guilherme, Diego Macedo, Renato Augusto e Douglas; Emerson Sheik.

Cassio, Guerrero e Fabio Santos, lesionados, ficam de fora.

Romarinho, cumprindo suspensão automática, também fica de fora.

Alexandro Pato fica a disposição no banco.

Na lateral esquerda, improvisação mais uma vez, já que Igor, revelado em casa, não agrada ao treinador e também a muitos torcedores que esperavam mais, em pouco tempo, do jovem atleta.

Renato Augusto, que ficou de fora do jogo contra o Grêmio por sentir desconforto muscular, desta vez entra como titular.

Diego Macedo, que vinha atuando como lateral direito no Bragantino, entra no meio de campo com a função de auxiliar Douglas na armação das jogadas.

Na frente, apenas Emerson Sheik, que se garantiu mais uma vez na titularidade.

Este é o Corinthians que vai a campo em busca de não perder, primeiro, vencer, se der e empatar, se não tiver nada melhor pra acontecer.

A nós, sempre nos restará torcer. E muito.

Torcer também para que num instante de genialidade e ousadia, pratiquem a arte da desobediência tática e ataquem com gana, com vontade, buscando colocar a bola na rede.

Porque o que vale mesmo, de verdade, no futebol, é bola na rede.

O gol é ainda o grande momento do futebol, apesar de teóricos de araque tentarem criar novas filosofias que contrariem o óbvio do mundo da bola.

Gol. O torcedor vai a campo pra ver seu time marcar gols.

De canela, de bico, não importa, a galera quer ver é a bola sacudir as redes.

Vai Corinthians!


Voltamos a vencer

20/10/2013

E voltamos a vencer!

De goleada, 1 a 0, e o mais importante, a vitória e mais três pontos.

Na base da vontade, sem ser brilhante taticamente, vencer um dos times da zona da degola era obrigação.

Com dificuldades, a infelicidade da lesão de Cássio que vai tira-lo da decisão contra o Grêmio, na próxima quarta-feira, mas com gol do artilheiro corinthiano na competição, Alexandre Pato.

E no momento do gol, chamando todos os companheiros para a comemoração.

Mas se por um lado perdemos Cássio, Renato Augusto voltou a jogar.

Ainda sem estar 100%, mas entendo que a sua participação seria importante na partida.

Como será importante a sua presença diante do Grêmio.

A vitória alivia a tensão, diminui a carga de pressão sobre o treinador e o time e readquire a confiança.

Tudo que precisávamos antes da decisão em Porto Alegre.

Com a vitória chegamos a 40 pontos, ficando agora a nove pontos do G4.

Difícil chegar, mas não impossível.

E você, qual a sua analise da partida?

Vai Corinthians!


%d blogueiros gostam disto: