Missão Vila Belmiro: Ser campeão na casa deles

19/05/2013

Chegou o grande dia.

Dia de decisão, finalíssima do Campeonato Paulista, 2013.

Vamos em busca da nossa 27º conquista.

Como bem costuma cantar Ernesto Teixeira, o Corinthians é o Rei dos Gramados Paulistas.

E amanhã temos tudo para voltar da Vila Belmiro com mais uma conquista, com mais um troféu para a nossa galeria do Memorial.

Jogamos por um empate, mas o objetivo é a vitória.

Vencer dentro da lendária Vila Belmiro, por onde desfilaram Pelé, Pepe e Coutinho.

Mas também por onde já encantaram Ronaldo Fenômeno e Marcelinho Carioca, autores de gols antológicos, dignos de placa.

Vai Corinthians, rumo a mais uma conquista!

Vibrações Positivas!

Seremos Campeões, mais uma vez!

 


Por um empate na Vila

12/05/2013

O dia era das mães.

Mas a tarde foi dos Paulos.

O Corinthians venceu o Santos por 2 a 1, com gols de Paulinho e Paulo André.

Paulinho, que hoje fez uma excelente partida. E quando Paulinho joga bem, dificilmente o Corinthians perde.

Fizemos 2 gols mas poderia ter sido muito mais. Pelo menos 4 ou 5 gols, que nos daria uma condição mais tranquila para a segunda partida.

O resultado inclusive fez a torcida santista voltar para Santos esperançosa.

Porque tirar a vantagem de mais de dois gols, jogando um futebol sofrível como vem jogando o time santista, seria quase impossível.

No primeiro tempo Murici apostou na experiência de Marcos Assunção e no seu poder de bola parada.

E claro, nas arrancadas de Neimar.

Nem uma, nem outra. O time da baixada praticamente assistiu à partida no primeiro tempo.

O Corinthians conseguiu impor a sua supremacia, o conjunto e a qualidade individual perante a equipe santista, que depende basicamente de Neimar para tentar alguma coisa.

Com o segundo gol, marcado por Paulo André, parecia que mais gols viriam, que a goleada era possível.

Mas continuamos desperdiçando oportunidades, até sofrermos o gol.

Vencemos, convencemos, mas ficou a sensação de que poderíamos fazer mais.

Talvez mais, por exemplo, se Alessandro e Emerson fossem sacados, se Pato tivesse entrado antes, se Guerrero e Pato pudessem jogar juntos por mais tempo, ainda mais aproveitando a tarde iluminada de Paulinho.

Mas parece que Emerson e Alessandro possuem posição vitalícia na equipe.

Ai é com o treinador.

Agora o foco é total na Libertadores, quarta-feira já temos o jogo da volta, a decisão contra o Boca.

É vencer ou ganhar e de preferência, nos 90 regulamentares, sem sufoco, sem causar calafrios no torcedor.

Comente a partida, vamos debater a vitória.

Bom final de domingo a todos e

Vai Corinthians!


Chegamos a final do Paulistão. Mas…

05/05/2013

Chegamos à final do Paulistão.

Enfrentaremos a equipe da baixada santista, do acrobático Neymar e suas micagens.

Mais uma vez vencemos nosso freguês de caderneta, perdemos a conta de quantas vezes causamos choro e ranger de dentes nas freiras do Convento da Barra Funda.

Vamos comemorar, curtir e tirar muita onda dos bambis.

Porém…

Nosso time não vem jogando nada.

Coletivamente, o time partida a partida vem perdendo a identidade, vem se afastando do que foi o time nos melhores momentos no ano passado.

Em relação ao time titular do ano passado, ganhamos em qualidade. No entanto, individualmente, são sempre os mesmos que vêm comprometendo.

Alessandro, meu Deus, até quando!

Ontem, mais uma vez foi salvo pelo Cássio.

E a Avenida Fábio Santos, a de melhor fluxo em qualquer horário de tráfego, sempre livre e de boa circulação.

O time hoje não foi muito diferente do que vimos na quarta-feira, diante do Boca, na Argentina.

É incompreensível que um treinador que tem a sua disposição no elenco, do meio de campo para frente, jogadores com talento reconhecidamente internacional, como Pato e Guerrero e aproveitá-los tão mal.

Um, praticamente um ator coadjuvante, pior, um ator do elenco de apoio, daqueles que nas cenas em bares, sentam-se à mesa e ficam mexendo a boca, fingindo que estão conversando.

O outro, reserva. Reserva de luxo.

O clube investiu 15 milhões de euros para ter um atleta sentado no banco, podendo ser titular absoluto.

Tite prefere a correria de Emerson, que malandro e inteligente, sabendo que ofensivamente deixou de ser efetivo e matador, passou a correr o campo inteiro e auxiliar na marcação.

E com isto, conquistou o coração do treinador.

Danilo, por mais que exaltemos sua inteligência, visão de jogo e seu passe, não vem colocando nada disso em prática.

Largado ali na faixa esquerda do campo, servindo de rota inicial para o tráfego pela Avenida Fábio Santos.

E o que dizer de Paulinho. Quando vai voltar a jogar bola, quando vai voltar do Japão, quando vai colocar na cabeça que Corinthians é Corinthians, seleção é outra coisa e se ele vai ou não jogar na Europa, é outra completamente diferente ?

Corinthians e São Paulo hoje apresentaram um futebol acomodado, sem ambição, sem vontade de vencer e decidir a partida nos 90 minutos.

Do lado de lá, ficaram esperando pelo Corinthians de 2012.

Do lado de cá, nossos jogadores ficaram esperando pelo São Paulo dos primeiros minutos contra o Atlético Mineiro.

Nem um, nem outro.

Fizeram um jogo de churrasqueiros de fim de semana, não proporcionaram emoção ao jogo, enfim, o jogo foi péssimo.

Vencemos nos pênaltis, passamos para a final, teremos uma semana para nos prepararmos para o primeiro jogo contra o Santos.

Mas com esta bolinha, as chances de avançar para a próxima fase da Libertadores são mínimas.

Do jogo, ainda podemos destacar:

  1. Nossa dupla de zaga esteve perfeita. Gil vem correspondendo positivamente, contrariando minhas primeiras impressões sobre seu futebol. Fábio Santos também foi bem, mas a cada partida, ele tem que causar um susto ao torcedor
  2. Público pagante: tão pífio, quanto o espetáculo. O “torcedor-modinha” do Jardim Leonor, não adianta, só vai na boa
  3. Luis Fabiano: vai encerrar a carreira sem ter conquistado nada pelo time das freirinhas
  4. Rogério Ceni: o maior mau caráter do futebol brasileiro. Sabe que avançou na penalidade, sabe que errou, mesmo assim, calhordamente, fez seu misancene, a fim de fazer média com a sua torcida
  5. Tite: aproveite que vamos enfrentar o time do garoto ousadia & alegria e coloque nosso time pra jogar de forma mais ousada, mais alegre, esse futebol que estamos apresentado, fruto de um esquema covarde, não nos levará a nada em 2013
  6. A propósito, aviso a alguns navegantes, 2012 é passado. E quem vive de passado é Museu, é Memorial. E é lá no Memorial que estão guardados os troféus conquistados no ano passado

Comente a partida.

Boa semana a todos e Vai Corinthians!


Paulistão: Explodimos a Ponte. Agora a coisa é ficou séria

29/04/2013

A Ponte já era.

Sobre a Ponte, duas observações. Uma dedicada ao time, outro, a grande parte da torcida.

Ao time: bem montado, parabéns ao treinador, representante da nova geração de treinadores, que mesmo com recursos limitados, conseguiu montar e dar liga ao time e torná-lo relativamente competitivo.

Durante 25 minutos tentaram enfrentar o Corinthians de igual para igual, tentando nos sufocar no nosso campo de defesa, tentando estrangular a transição defesa-ataque e chutando bastante a gol, tentando explorar uma suposta insegurança do nosso arqueiro.

Tentaram, mas não conseguiram.

A torcida: simplesmente lamentável o comportamento de muitos torcedores. Extremamente estressados, mais preocupados em “caçar” corinthianos infiltrados na torcida, muito mais preocupados em brigar, do que torcer.

Voltando ao jogo, a Ponte teve 25 minutos de relativo domínio através das várias tentativas acima enumeradas.

Mas a partir dos 25 minutos o Corinthians passou a dominar o jogo e assim foi até o final.

Os gols foram surgindo e a cada gol, o Corinthians passou a controlar a bola e toca-la com a qualidade de um time campeão.

O time campineiro dependia basicamente de 2 jogadores, o bom Cicinho e o que pensa que é bom, Chiquinho.

Aliás, este Cicinho deveria ser melhor observado, avaliar se não seria o caso de investir neste atleta.

Mas se de um lado eles tinham apenas Cicinho, do lado de cá tínhamos Emerson cheio de disposição, auxiliando na marcação, disputando as jogadas como se fosse o jogo da vida, Gil e Paulo André tomando conta da zaga, Guerrero perfeito como sempre, Danilo, mesmo lento e desligado, mas sempre inteligente com excelente visão de jogo, o habilidoso e oportunista Romarinho, Ralf na marcação e ao seu lado, Paulinho, que mesmo ainda não apresentando seu melhor futebol, gera preocupação ao adversário, afinal de contas, é volante de seleção.

E no banco, ainda tinha Alexandre Pato.

Ou seja, com tudo isto, as coisas para a Ponte ficaram impraticáveis.

O Corinthians venceu sem precisar sair extenuado, sem se desgastar tanto, porque com toda a sua experiência e a autoridade de um clube campeão, soube dosar a energia e impor seu ritmo à partida.

Vencemos e estamos na semifinal, que será disputada em partida única, no próximo domingo, em La Bambinera.

Mas antes de La Bambinera, teremos pela frente La Bombonera.

Foco no Boca, depois pensaremos nelas.

Hoje é curtir, repercutir e debater a vitória.

Boa semana a todos e Vai Corinthians!


Recordar 77 é preciso. Viver não é preciso

28/04/2013

Vai Corinthians!


E começa o Paulistão: agora é atravessar a Ponte

21/04/2013

Agora sim, pelo que parece, o campeonato passará a ser levado a sério pelos boleiros.

Chegamos as quartas-de-finais, em jogo único e no nosso caso, contra a Ponte Preta, em Campinas.

A vitória de hoje, tranquila, serviu para testar a formação ofensiva com Pato, Emerson e Guerrero.

Só não contávamos com o poder de fogo, a vontade enorme do adversário sorocabano vencer a partida.

Fizeram até um bom primeiro tempo, com mais intensidade e posse de bola.

Mas a superioridade corinthiana em relação ao adversário era imensa e vencemos a partida.

Vencemos como se previa.

Mas o que preocupa no nosso time hoje, pelo menos sob a nossa análise, são as laterais.

Hoje, por exemplo, por várias vezes os adversários conseguiram fazer as jogadas pelas alas, explorando as costas de Alessandro e Fábio Santos, centrando as bolas na nossa área, gerando perigo.

Nossos laterais apoiam bastante, servem como alternativas quando as coisas se embolam pelo meio, mas na hora de voltar…

Se não tiver cobertura, fica muito complicado.

Agora a coisa vai ficar mais séria.

Enfrentar a Ponte Preta – pela segunda vez consecutiva na mesma fase – lá em Campinas, vai ser pedreira.

Domingo em Campinas, quarta-feira em Buenos Aires, escalar força máxima no Paulistão ou não, eis a questão.

Ao menos, conforme já debatemos, teremos uma semana para recuperação física e muito treinamento.

Os demais confrontos da próxima fase do Paulistão serão estes:

SPFW x Penapolense

Mogi x Botafogo

Santos x Palmeiras

Vencendo a Ponte Preta e confirmando-se o óbvio entre SPFW e Penapolense, enfrentaremos o time do Jardim Leonor, na semifinal, no Panetone.

Comente o jogo de hoje e as perspectivas futuras nesta competição.

E Vai Corinthians!


Derrota e fora do G4: vexame

14/04/2013

Em tempo, algumas considerações.

Toda vez que uma equipe grande perder para uma equipe considerada pequena, será um vexame.

Toda vez que uma equipe bicampeã do mundo e campeã invicta da Libertadores perder para uma equipe considerada pequena, será um vexame.

E se essa equipe for o Corinthians, o vexame será maior ainda.

E não importa se no banco, como treinador, estejam Mano, Luxemburgo, Mourinho, Pep Guardiola ou Tite, se perder para time pequeno, será um vexame.

Falemos do jogo.

O time começou jogando bem, aproveitando os espaços, sufocando o adversário, abrindo o placar logo de cara, com o excelente Guerrero.

Veio o segundo tempo e o time da casa veio para cima, afinal de contas, tinha que reverter o placar.

O Corinthians entendeu que bastaria ceder ao furor ofensivo do adversário, partir para o contra-ataque e numa oportunidade, avançar no placar e decretar mais uma vitória.

Não foi bem isso o que aconteceu. Porque na medida em que o adversário passou a atacar mais, a tal consistência defensiva que deveria começar pelos volantes, abriu o bico.

Ralf vem fazendo a dele, marcando forte e desarmando. Mas está sobrecarregado. Marca sozinho no meio de campo porque seu companheiro, Paulinho, com a cabeça nos euros europeu, teimou que é atacante, precisa fazer gols e aparecer pro treinador… Felipão.

E aparecer também para as imagens que chegam aos interessados pelo seu futebol, na Europa.

Não vem marcando, joga quando quer, deixou de ser aquele segundo volante cujo futebol despertou interesse do mercado exterior e que o fez chegar a seleção brasileira.

O Linense aproveitou as brechas, explorou as avenidas Alessandro e Edenilson, venceu a partida, festa no interior.

A propósito, incompreensível a inversão nas laterais. Com a palavra, nosso treinador.

Perdemos e o pior nem foi a derrota.

O resultado de hoje nos jogou para definitivamente fora do G4, para a sexta posição e dependendo de uma combinação de resultados que começa com uma vitória contra o Sorocabano, na última rodada, chegaremos no máximo a 5ª posição.

Disputar as quartas-de-final como visitante, provavelmente contra uma equipe do interior (mais provável o Mogi), em estádio acanhado, exposto a gramados horríveis e em tempos de vacas magras, sem a grana da Caixa Econômica, prejuízo na certa.

Financeiramente, melhor torcer para que venham os Porco na próxima fase, para ai sim, num Pacaembu lotado, com renda dividida (se for este o acordado), o prejuízo ser menor.

Tecnicamente, não importa qual será o próximo adversário. Pelo que o nosso time vem jogando ultimamente, entre altos e baixos, seja qual for o adversário, enfrentaremos dificuldades.

Compreendo que o formato do campeonato, nada atraente, não empolga os atletas, ainda mais disputando duas competições simultaneamente.

Porém, temos elenco, opções e estrutura. Sendo assim, escalam-se os que estejam motivados.

Ainda sobre o time, é louvável a força de vontade e o espírito voluntarioso de Emerson. Inteligente, entendeu que se depender da sua finalização, dos seus chutes, para ser titular do ataque, não terá espaço.

Sendo assim, vem se desdobrando em campo, correndo, deslocando-se, buscando o jogo, construindo as jogadas, usando do seu principal recurso, que são os dribles e ajudando muito, muito, muito mesmo, na marcação.

E quando o assunto é marcação, os olhos do treinador até brilham. E com isso Emerson vai garantindo seu lugar no time.

Quanto aos moleques atacantes que sobem da base, incorporados ao elenco principal, já entram viciados.

Marcar, cobrir as laterais, correr de um lado para o outro, burocraticamente, sabem que precisam fazer isso para terem um lugarzinho ao sol no elenco profissional.

Hoje, por exemplo, Paulinho entrou e poucos minutos depois, já era visto na lateral esquerda, próximo da bandeirinha de escanteio, auxiliando na marcação.

E isso com o time perdendo.

Não compreendo esse exagero tático defensivo.

Quanto aos goleiros, o treinador vive um dilema. Não sabe quem efetivar como reserva imediato de Cassio.

Durante a semana passada disse que daria sequência a Julio Cesar. Para este jogo, decidiu colocar Danilo.

Danilo, como todos os goleiros do Corinthians, desde 2008, sai mal do gol, não sabe sair jogando, nem com as mãos, muito menos com os pés e hoje isso é um importante recurso.

Julio Cesar, além das deficiências acima apresentadas, não tem a confiança total do treinador e de repente, nem do elenco.

Sem Cassio, a coisa vai ficar bem complicada.

Enfim, o elenco terá uma semana para se recuperar fisicamente e treinar. Jogo, só no domingo.

Estamos fora do G4 e isto é vergonhoso.

E antes que digam que vergonhoso é terminar como líder e sair nas quartas de final, como no ano passado, rebato que vergonhoso será toda vez que um time grande e forte como o Corinthians, perder pra time pequeno e ficar fora do grupo dos melhores, isso será um vexame.

Comente a partida e a nossa vergonhosa 6ª colocação na tabela.


Time quase completo em Lins

13/04/2013

E amanhã ainda tem Paulistão.

O campeonato que parece que nunca acaba, que nunca termina.

E ainda faltam duas rodadas para o termino desta fase.

Amanhã enfrentaremos a equipe do Linense, em Lins, uma viagem de 900 quilômetros, de ida e volta.

O time vai quase completo.

Aliás, com uma novidade. Ao contrário do que o treinador afirmou durante esta semana, dando conta de que daria sequência de jogos a Julio Cesar, já que ele vinha de boa sequência nos treinamentos e parecia o mais cotado para substituir Cássio, fora até o fim do mês devido a uma lesão no punho esquerdo.

Mas o treinador optou por Danilo Fernandes e o time vai de Danilo Fernandes; Alessandro, Gil, Paulo André e Edenílson; Ralf, Paulinho, Danilo e Jorge Henrique; Emerson Sheik e Paolo Guerrero.

Fábio Santos, machucado, nem viajou e ficará em São Paulo em recuperação.

A delegação embarca de avião para Araçatuba na tarde deste sábado. De lá, parte de ônibus para o local do jogo.

O Corinthians ocupa a 5ª colocação no campeonato e mesmo vencendo, dependendo dos outros resultados, poderá continuar na mesma posição.

Na semana que vem, no domingo, finalmente encerrará esta fase e o Corinthians enfrentará, no Pacaembu, a equipe do Atlético Sorocaba.

Pelo menos o time terá uma semana para recuperação física e treinamentos, excelente oportunidade para treinar finalizações e bolas paradas.

Vai Corinthians!

***

Para quem não ouviu a entrevista com o presidente Andres Sanches, ontem, na Rádio Coringão, segue o podcast:

Entrevista com Andres Sanches – clique aqui para ouvir


Vitória,classificação e mais de 20 mil no Pacaembu

08/04/2013

Vencemos e garantimos a nossa passagem para a próxima fase do falido e modorrento Paulistão.

Desfalcado de 8 jogadores considerados titulares e sem entrosamento, valeu a força da camisa e a superioridade do clube pela sua estrutura e elenco em relação ao humilde São Bernardo.

São Bernardo que enquanto teve fôlego, força e principalmente os 11 titulares em campo, até que tentou valorizar a partida e posteriormente, a vitória corinthiana.

Marcando forte e saindo rápido para o ataque, ameaçaram algumas vezes a meta de Julio Cesar.

Mas foi o Corinthians quem saiu na frente, fazendo exatamente aquilo que o torcedor vem pedido à equipe: chutar a gol.

E foi do pé direito de Jorge Henrique, que saiu nosso primeiro gol, bola que desviou na cabeça de Castan, o irmão do nosso ex-zagueiro, de quem muitos sentem saudades, antes de entrar no canto esquerdo do bom goleiro Wilson Jr.

Mais uma vez desperdiçamos uma penalidade máxima, desta vez com Guerrero.

Bola parada não tem mistério, não tem sorte, nem mandinga. Bola parada é treinamento à exaustão, depois dos treinamentos habituais, até escurecer e os goleiros juvenis pedirem pelo amor de Deus para acabar logo.

Como faziam Zenon, Neto e Marcelinho Carioca.

Veio o segundo tempo e o Corinthians jogando bem melhor, valorizando e dando mais qualidade à posse de bola, trabalhando melhor a troca de passes. Neste momento, Danilo já estava em campo.

Chegamos ao segundo gol, poderíamos ter feito mais alguns, mas foi o suficiente para vencermos mais um jogo.

Gol de Guerrero, matador dentro da área, artilheiro do Corinthians na competição e um dos melhores da posição, no mundo.

Jogador inteligente, visão de jogo, rápido raciocínio e ótimo na finalização.

Infelizmente perdemos dois jogadores por contusão. O caso que mais preocupa o departamento médico é o de Guilherme Andrade, que sofreu torção no joelho.

O outro lesionado, Fabio Santos, ainda não se tem uma avaliação.

E parabéns, mais uma vez, a torcida corinthiana, aos mais de 20 mil loucos que compareceram ao Pacaembu.

Bem diferente dos pouco mais de 900 (isso, 900, menos de mil) mulambos que testemunham a partida do seu Flamengo.

Como há havíamos comentado, mesmo com a vitória o Corinthians se manteve na quinta posição.

E a Federação deve estar rezando para que termine assim, Santos em quarto e Corinthians em quinto, para que ambos se enfrentem na próxima fase, para dar um pouco mais de graça a esse campeonato sem graça.

Comente a partida.

Boa Semana!

E Vai Corinthians!


E amanhã, São Bernardo

06/04/2013

Domingo, 31 de março, Corinthians enfrentou o SPFW, no Morumbi.

No dia seguinte, ambas as equipes teriam desgastante viagem para enfrentarem seus adversários pela Libertadores.

Um clássico, um dos poucos atrativos deste modorrento campeonato, de formato falido, disputado num estádio praticamente vazio.

Três dias depois o Corinthians foi a campo, em Bogotá, nas alturas, enfrentar o Millonarios.

Mais três dias depois, exatamente neste sábado, quatro jogadores corinthianos servindo à seleção brasileira num amistoso na Bolívia, sendo três destes titulares absolutos da equipe.

E amanhã, no Pacaembu, o Corinthians praticamente desfigurado, enfrentará o São Bernardo, no Pacaembu.

Federações e Confederações penalizam os grandes clubes brasileiros, como o Corinthians.

Em uma semana, 2 competições e um amistoso de seleção nacional em disputa, interferindo no planejamento das comissões técnicas e desgastando os atletas.

Um clube bem estruturado como o Corinthians acaba sofrendo menos porque investe e tem elenco.

Para amanhã, o time que o treinador colocará em campo, muito embora desfigurado, é competitivo o suficiente para vencer o time do grande ABCD.

Julio Cesar, Guilherme Andrade, Chicão, Gil e Fábio Santos; Edenílson e Guilherme; Giovanni, Romarinho e Jorge Henrique; Guerrero.

Os atletas convocados para esta partida foram estes:

Goleiros: Julio Cesar e Kaique
Laterais: Edenílson e Fábio Santos
Zagueiros: Chicão, Gil, Felipe e Yago
Volantes: Guilherme Andrade, Guilherme e Willian Arão
Meias: Danilo e Giovanni
Atacantes: Guerrero, Jorge Henrique, Romarinho, Léo e Paulo Victor

O que pode tornar o jogo um pouco mais atraente é que o São Bernardo ainda precisa conquistar pontos para não correr riscos de rebaixamento.

Independente do resultado, o Corinthians não sofre riscos de sair do G8 e vencendo, não sairá da 5ª colocação.

A única certeza que temos é que pelo menos em torno de 15 mil corinthianos compareçam ao Pacaembu, nem que seja pra passar nervoso.

E Vai Corinthians!


Nem sempre o freguês tem razão

01/04/2013

Vencemos.

Porém, não convencemos.

Mas neste formato falido do Paulistão, o que importa mesmo são mais 3 pontos.

E em se tratando de um jogo em que o maior componente é a rivalidade, vencer dentro da casa do adversário – casa deles, porém nosso eterno salão de festas – o sabor é ainda mais especial.

Não fomos superiores durante o jogo. Vencemos porque Gil e Cassio garantiram lá atrás e Pato, lá na frente.

E também, com sua estrela incrível contra seu ex-clube, Danilo fez um golaço.

O time do Jardim Leonor fazia a transição defesa-ataque com 3 toques na bola, as vezes 5.

Nosso time, como de praxe nas últimas partidas, não vem conseguindo fazer a transição com menos de 15 toques na bola e de lado.

O adversário utilizou bastante e bem o recurso das faltas, quando finalmente nosso time conseguia evoluir nesta transição.

O primeiro gol, marcado pelo SPFW parecia que havia chegado para coroar o melhor futebol apresentado até aquele momento.

Mas em se tratando de jogo contra os bambis, Danilo é carrasco.

Não vem jogando nada, mas contra seu ex-clube ele é decisivo.

Enquanto isso, o time queridinho da crônica esportiva batia a vontade, contando com a anuência da arbitragem.

Até que num lance desastroso do becão bambi, que falhou terrivelmente e disso, ninguém fala, todo mundo se esquece, pela segunda vez na partida, Rogerio Ceni, um dos maiores canalhas do futebol brasileiro, “furou” na tentativa de um chute, desta vez cometendo pênalti em Pato.

Um verdadeiro espetáculo teatral se sucedeu nos próximos minutos, até que o artista e goleiro se ajoelhou aos pés da arbitragem implorando clemência, sendo atendido, não indo para fora mais cedo, já que deveria ter sido expulso.

choraceni

Penalidade cobrado, goleiro de um lado, bola do outro, gol do Pato, virada do Corinthians.

pato

Após a cobrança da penalidade, Ceni levantou-se, caminhando em seguida sem mancar.

Minutos depois, lembrando-se que estava ali para representar, voltou a mancar.

Mais uma demonstração de quanto é mau caráter.

O jogo prosseguiu até os 50 minutos, mantendo-se o placar, mais uma vitória do Corinthians.

Vencemos, mas precisamos jogar mais bola.

Essa “horizontabilidade” na transição defesa-ataque, o famoso toque de lado, improdutivo e sonolento, atrai a marcação adversário para o nosso campo de defesa, como qualquer timinho vem conseguindo fazer.

Precisamos melhorar muito e o time tem condições para isto.

Comente a partida!

E Vai Corinthians!


Deu pena do torcedor

28/03/2013

O torcedor corinthiano é, acima de tudo, um forte.

Não há frio, chuva, tempestade ou neve que o impeça de ir ao campo ver o Coringão jogar.

Ontem, mesmo com um público reduzido em relação a media registrada na competição, milhares de corinthianos foram ao Pacaembu com a expectativa de que o Corinthians faria prevalecer sua força diante do adversário.

Porque muitos torcedores entendem que ao jogar em casa, não importa se desfalcado, mesclado, time inteiro ou remendado, temos que vencer.

“Vamos, vamos Corinthians, porque essa noite, teremos que ganhar”!

É o que se ouve nas arquibancadas.

Mas nesta competição, o que mais se vê é o time empatando.

Ontem foi o oitavo empate em 15 jogos.

Pior que o empate foi o desempenho. Mesmo com um time totalmente desfigurado, era possível fazer mais.

Para uma equipe que tem na frente jogadores com a habilidade do Romarinho, a velocidade de Emerson e o faro de gol de Guerrero, estes três parecem não falar a mesma língua, não ocupam o mesmo habitat no campo, a bola não chega ao ataque e o time se perde em troca de passes improdutivas.

E exceto por Guerrero, cada jogador, cada vez que vai finalizar, dá dois ou três toques a mais na bola, perdendo tempo e espaço para a conclusão.

Fabio Santos e Guilherme ex-Lusa, por exemplo. Fabio Santos parece que não gosta de marcar gols.

Mas é o que temos para o momento.

O falido formato desta competição não ajuda muito. A primeira fase é longa, cansativa, as equipes são expostas a gramados ruins e arbitragens piores que estes gramados.

Joga, joga e parece que a primeira fase não vai terminar nunca.

Domingo tem clássico e três dias depois o time entrará em campo, na Colômbia, no meio, uma cansativa viagem.

Juntando isso tudo, é tudo isso que a gente vem assistindo.

Comente o jogo.

Se bem que dá pra comentar este jogo em apenas uma ou duas palavras.

Vai Corinthians!


%d blogueiros gostam disto: