***** EDIÇÃO EXTRA DO BLOG DO CACO *****

09/07/2015

macaco-com-microfone

 

(Post dedicado a Dona Renata)

 

(Não. Não se trata de um Vladimir Herzog dos novos tempos.

Nem é válida a tentativa de transformar a carceragem do 31 Dp da Vila Carrão, num porão do Doi Codi, num  Dops)

Muito menos é válida a tentativa de tentar transformar quaisquer delegados, deste caso, em “Delegados Fleury”.

Pelo amor de Deus, um mínimo de discernimento a essa pouca gente que saiu em defesa do nosso “Vingador Escarlate”.

Por que não se trata, assim, de uma figura angelical e injustiçada.

Há praticamente 1 ano antecipávamos https://blogdosilvinho.wordpress.com/2014/08/15/o-que-ha-em-comum-entre-suzane-richtofen-e-o-blogueiro-lingua-presa/

E veio.

O figura em questão trata-se de alguém com seríssimos transtornos megalomaníacos. Julgando-se acima da lei, desde que amealhou um número considerado de seguidores e certa popularidade, passou a utilizar sua tribuna diária como se fora uma marreta eletrônica, uma bazuca com mira a laser cibernética destilando ódio pelos bits e bytes dessa aldeia digital.

Eu, por diversas, fui atingido pela marreta do escriba. Mesmo cambaleante (algumas vezes), sempre respondi a cada ataque. Não na mesma moeda, pelo meu caráter e princípios. Mas respondi. Até que, a partir de determinado ponto, deixei de reagir. E passei a ignorar. O leitor já sabia bem quem era quem, já não se fazia mais necessário ter que desmentir cada ataque. 

O pior ataque sofreria no inicio de 2009. Em conluio com semelhantes de hábitos, numa espécie de formação de quadrilha, atacaram minha vida pessoal de forma vil e rasteira. E-mails enviados aos diretores do local onde trabalhava sem terem surtido o devido efeito, ao ataque final, um dos quadrilheiros, em contato com a diretoria da empresa, dizendo que eu me tratava de um bandido ligado ao PCC e a a bandidos de uma torcida organizada.

O bom senso dos diretores da empresa, bem como a garantia da empresa que prestava serviço de segurança (que eu não me tratava de um bandido..) mantiveram-me no emprego. Mas foram dias desgastantes, de muito sofrimento e revolta.

Neste caso, recebi os mais variados apoios. Desde ofertas de emprego a outros tipos de apoio impublicáveis, condenáveis e execráveis. 

Em duas oportunidades em que compartilhamos o mesmo ambiente (as duas no Fórum Criminal da Barra Funda), ele como acusado, eu como testemunha, mais um constatação inequívoca da instabilidade emocional do escriba. Desrespeitando advogado de acusação, testemunhas e até funcionários do Fórum, o ápice atingido já na sala de audiência, quando teve que ser repreendido pelo promotor e o juiz quanto ao seu comportamento.

Ao longo da sua carreira “jornalística”, nosso escarlate vingador agregou simpatizantes, seguidores, mas muitos inimigos.

Atacando muita gente, transformou sua tribuna num tribunal digital inquisidor. Mulheres (mães de família ou não) transformadas em putas. Homens (pais ou não de família) em bandidos, vagabundos. Sem a menor chance de defesa, sem o devido direito de resposta, vendo sua reputação estraçalhada sem, muitas vezes, saber o por quê.

Estragou a vida de muita gente por mero revanchismo. Tomou pra si inimigos quem nem eram seus, pelo simples prazer do oficio de teclado de aluguel.

E por falar em teclado de aluguel. Nestes dois últimos dias sentimos a falta da reação pública de alguns dos seus principais supostos mantenedores. Gente que, cada vez que atacada ou incomodada, soprava na sua orelha o que tinha acontecido e o que deveria ser escrito. 

Não se abandona um soldado ferido em meio a uma batalha. A mais dura enfrentada pelo escriba.

Pior que a prisão, é agora a exatidão do endereço fixo, a facilidade pra encontra-lo pra garranchar um papel. Dezenas de processos interrompidos pela ausência escapatória do agora encarcerado. Agora sabem ondem encontra-lo. Outras denuncias virão, muitos processos retomarão seu rumo, outras condenações muito provavelmente também virão.

Encerro esta edição extraordinária explicando o motivo da imagem que ilustra o texto. Ultimamente, cada vez que me ataca, utiliza a figura de um macaco com um microfone, chamando-me de “Caco”. Evidente, trata-se apenas de uma coincidência o fato de eu ser negro e comentarista de uma web rádio…

Ele vai voltar a escrever. E se derem mole, vai se muquiar em algum cantinho que lhe oferecerem (de novo) e voltar a dar canseira na justiça.

E não se iludam, nem tentem iludir. O sagrado direito a liberdade de expressão está preservado.

Menos a libertinagem de expressão…

Pu-bli-que-se…

 

 

 

 

 

 

 


Um novo desafio pela frente

23/09/2014

É dura a dor parto, mas é hora de partir.

Fomos convidados e aceitamos um novo desafio.

Escrever, debater, falar de Corinthians em outro espaço. Tão importante quanto este, até porque, são vocês que tornaram este espaço o que ele é, um fórum de debate em alto nível sobre Corinthians.

A partir de amanhã começaremos em nova casa.

Este espaço continuará vivo, tentaremos mante-lo ativo, mas analisaremos o quanto isso será possível.

Seja aqui, na rádio Memória Corinthiana ou nesta “nova casa”, continuarei contando com todos vocês.

Sempre procuramos debater, compartilhar informações com cada um de vocês, mesmo sabendo que estávamos reverberando nossas opiniões com milhares de corinthianos.

Saímos dos 8 acessos diários, lá trás, em 2007, para os quase 40 mil, após um jogo de Libertadores, em 2012.

São praticamente 5 milhões de acessos, mas a conta que vale é cada comentário respondido, cada ideia compartilhada.

Amanhã estaremos em novo endereço e vocês saberão de onde se trata.

Vai Corinthians!


A vitória já começou fora de campo. Dez a zero pro Press Kit

22/09/2014

Por mais erros (e acertos) que o clube possa cometer (e comete), o Corinthians está além dos demais clubes brasileiros.

Em vários aspectos.

E o dia em que nos tornamos de fato um modelo administrativo de clube, ninguém segura.

Vejam a diferença dos materiais de imprensa, os famosos Press Kit.

arena2209_3

O do Corinthians, impecável, acabamento de primeira, trazendo informações do time e conteúdo institucional.

E o do São Paulo. Feito em A4 dobrado ao meio, impresso nas “coxas”, a toque de caixa.

E o Corinthians ainda disponibiliza o press kit em pdf, no site oficial.

Na Arena, o material é distribuído pelos atenciosos funcionários do departamento de comunicação do clube.

Padrão Corinthians.

Porque não sei se no mundo existe similares.

 


O primeiro majestoso na Arena Corinthians

21/09/2014

O primeiro a gente não esquece.

Exceção a regra, não me recordo exatamente do meu primeiro majestoso.

Provavelmente tenha sido este, que com certeza estava lá, até porque, o golaço do Geraldão jamais se perdeu da minha lembrança:

Depois deste foram muitos, praticamente todos. Pacaembu, Morumbi e até no interior.

Qual foi seu primeiro majestoso?


Quase lançada a segunda quase candidatura a presidente

21/09/2014

Eu sei, é muito quase numa frase só.

Mas não há como adjetivar a situação tema da postagem.

E por que a quase segunda candidatura a presidente do Corinthians?

A primeira, Wilson Bento Junior, entrevistado com exclusividade pelo nosso espaço, parece não ter alavancado. E ficou no quase.

A segunda, que ainda não é oficial, porque segundo o próprio possível candidato, Ilmar Schiavenato, atual diretor social, declarou a reportagem do Lance!, depende do apoio de 1.500 associados para ratificar sua candidatura.

Portanto, acredito que ficará no quase.Será muito difícil chegar a este número.

A “velha” política corinthiana está polarizada em 2 grupos: o de dentro e o de fora.

O de dentro, aliados e simpatizantes do Grupo Renovação e Transparência, que têm como líderes, Andres Sanches e Andre Luiz de Oliveira. E os de fora, Paulo Garcia e Osmar Stabile.

Não muito mais que 5 mil  associados costumam votar nas eleições corinthianas. Portanto, 1.500 associados representa praticamente 1/3 deste número.

Conheço bem o diretor social Ilmar Schiavenato. Competente, sério e visionário. Tem projetos que revolucionariam o Parque Social. Hotel, cinemas, restaurantes, entre outros projetos. Mudou o velho formato da festa de aniversário do clube e tem ótimas idéias. Durante a sua gestão agregou a simpatia de muitos associados e seu trabalho tem boa aprovação. Ao lado de Oldano Carvalho, diretor de esportes aquáticos, é um dos mais atuantes e presentes no clube.

Mesmo com tudo isso, acho difícil sua candidatura decolar a ponto de abalar as duas outras possíveis candidaturas.

De qualquer forma, uma candidatura além das tradicionais é benéfico ao processo democrático e reforça o debate.

E mesmo que não seja candidato, gostaria que alguns dos seus projetos vingassem futuramente.

Após a metade do mês de outubro, as candidaturas começarão a se definir. Por enquanto, muitas reuniões e especulações.

Que o próximo presidente tenha mão de ferro com as finanças, corte gastos e de uma vez por todas, implante uma gestão administrativamente moderna no clube. Fim ao cabide e incompetência.

 

 


Alguma coisa está fora da ordem

20/09/2014

Talvez eu esteja sendo um pouco radical neste conceito.

Mas sustento a tese de que se o Corinthians tiver que trazer um jogador na faixa dos 20 anos, que seja um fora de série.

Alguém fenomenal, tipo Messi.

Acontece que um jogador aos 20 anos, se for bom, bom mesmo, não está mais no Brasil. Já foi pra Europa e joga nos principais clubes do continente.

O Corinthians passou a centrar suas ações de investimento em jovens atletas paraguaios.

Invariavelmente vai buscar jogadores na faixa dos 20 anos aqui por perto.

Nenhum destes, até o momento, justificou o investimento.

Ontem foi noticiado que Zé Paulo, que surgiu ao lado de Malcon, na última Copa SP, foi emprestado ao Atlético Paranaense.

???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Não vinha sendo aproveitado, nem teve tantas oportunidades.

Mas se a gente tem que ter paciência com molecada paraguaia, por que não sermos mais tolerantes, dar tempo aos nosso produto interno, formado em casa, feito no “terrão” ?

Alguma coisa está fora da ordem.


Meu time domingo é Danilo + 10

20/09/2014

Danilo (não o goleiro) e mais 10.

Este seria meu time para domingo.

E por que Danilo ?

Por algumas razões. Danilo costuma dar sorte contra o time do Convento.

Danilo teve seu contrato renovado até dezembro de 2015.

E se teve seu contrato prorrogado por tanto tempo, é porque está em totais condições de jogo.

E se não está, seu contrato não deveria ser renovado.

Ao menos que Danilo, em breve, junte-se a Sylvinho, Edu, Alessandro e Mauro Van Basten.

Não, isso não. Até porque não acredito que depois de fevereiro, alguém tenha coragem de manter tanta gente fazendo não se sabe bem o que no departamento de futebol.

 


[Opinião] A falácia do combate aos empresários

17/09/2014

Não se engane.

Nem se confunda.

Se você ler que algum dirigente visionário se proporá a acabar com a influência nefasta de empresários nos clubes, não acredite.

Porque isto é impossível. A não ser que o futebol passe por um processo de renascimento. Que todos os métodos e procedimentos sejam incinerados e que os clubes, da noite para o dia, renasçam sob novos conceitos, nova filosofia.

Os clubes (todos, sem exceção) tornaram-se reféns dos empresários de futebol. Há alguns anos, empresários se tornam milionários, donos de fortunas dentro e fora do país, expandindo seus negócios além do futebol, muitas vezes em investimentos obscuros.

Pergunta-se como um empresário de futebol, que emprega no máximo três, quatro pessoas, consegue ter mais dinheiro do que os clubes ?

Na verdade, isso teve um princípio. E começou a partir do momento que os clubes perderam o controle financeiro sobre seus atletas, com o fim da lei do passe.

E um empresário de futebol não nasceu empresário de futebol. Veio, vem, de outros negócios, próprios ou de terceiros.

Muita gente investe no futebol. Desde empresas como a DIS, que nasceu do grupo Sondas, passando pelo Banco BMG, até o crime organizado. Sim, o crime organizado também investe no futebol. E muito. 

Com os recursos obtidos nestes outros negócios e “negócios”, passaram a investir ou “investir” no futebol. Por investimento entenda desde o processo saudável de investimento (aquele que investe na formação do jovem-atletas incluindo-se educação, formação cultural e esportiva) até lavagem de dinheiro.

Agregado a este sistema, observadores e olheiros espalhados Brasil afora buscando novos talentos. Alguns, até já atuando em clubes. Inclusive os grandes. 

Observadores e olheiros relatam seu trabalho de garimpo aos seus superiores, que acionam os captadores ou aliciadores, seduzindo os responsáveis por estes garotos. Emprego, carro e moradia são oferecidos, como forma de sedução ou aliciamento. Contratos de gaveta são assinados e a jovem promessa passa a pertencer a este empresário. 

Na assinatura do primeiro contrato com o clube, forçam a barra e fazem o clube baixar as calças e ceder parte dos direitos econômicos do atleta para não perder a jovem promessa. Neste caso, o que seriam 100% dos direitos, em geral cai, em muitos casos, para pouco mais da metade.

Fujam de outra falácia. A de que um clube só trabalhará com jogadores com 100% dos seus direitos econômicos. Ou melhor, isto só acontecerá se o atleta não se enquadrar no quesito “jovem promessa”. 

Os jovens com grande potencial, vão  para a Europa. Os demais, “estagiam” nos grandes clubes brasileiros até irem pra Europa. Os que não enquadram nestes quesitos, espalham-se por ai.

Os grupos que hoje dominam o cenário dos negócios da bola são  DIS Sondas, BMG, Elenko (que é uma dissidência do DIS Sondas), Carlos Leite, Vagner Ribeiro, Eduardo Uram, Figger, entre outros.

E como não se submeter a este estado de coisas, como romper com este sistema, como dar uma banana aos empresários ?

Simples. Basta ficar com o que “sobrou” nas categorias de base e passar a disputar torneios com o que tem na mão.

E o torcedor ter paciência com o que vai ver em campo, que antecipo, não será grande coisa. Perebas com porte físico de gladiador, canelas duras, sem talento e muita correria.

Alguma expectativa de mudança neste quadro, ou seja, os clubes passarem a ter controle sobre suas jovens promessas, não se sujeitarem a negócios escusos, não servirem mais de vitrina como o próprio Corinthians recentemente no caso Cleber, não precisar mais recorrer a empréstimos e antecipações de receitas pra cobrir rombos, etc ?

Somente com uma profunda mudança na gestão dos clubes e endurecimento das leis. Clube é clube, futebol é futebol. As coisas não se confundem. O futebol não pode mais pagar a conta dos departamentos e áreas esportivas dos clubes. 

Não há mais como um presidente de um clube ter que decidir se paga a conta do futebol ou a obra do parquinho.

Futebol tem que ser profissionalizado, com gestores executivos pagos para cuidarem do futebol.

Não se iluda, de novo reitero. O futebol tem que passar a ser encarado como empresa.

Do jeito que está, é a lei de Vampeta, com uns fazendo de conta que pagam e outros fazendo de conta que trabalham.

E ambos fazendo mal feito.

 


O fantasma da titebilidade ronda o Parque São Jorge

16/09/2014

Daqui a alguns dias, completar-se-á um ano do “suposto” encontro, num jantar, entre Mario Gobbi e Mano Menezes.

Nesta oportunidade teria sido selada a volta de Mano ao Corinthians.

Ironia do destino, passou a circular nos bastidores da bola que Tite poderá retornar ao Corinthians, em 2015.

Mais precisamente em fevereiro, quando assumirá a nova gestão, após a eleição.

Sob nossa ótica, as chances de Mano permanecer no comando são remotíssimas, em 2015.

Por duas simples razões: se confirmada a candidatura de Roberto de Andrade, sendo eleito, certamente não manterá Mano no cargo, até porque, segundo consta, não era a sua preferência para a substituição de Tite, no ano passado.

Tanto é que Mano chegou já sob nova gestão no departamento de futebol.

Se a Oposição sair vencedora, também é praticamente nula a chance de Mano permanecer no comando técnico do time.

Portanto, se juntarmos todas as pontas, Mano já está em contagem regressiva no cargo e tem aproximadamente 3 meses para entrar, mais uma vez, na história do clube como o primeiro campeão em tempos de casa nova.

Tite anda todo pimpão nos programas esportivos.

Já foi visto de vermelho e de preto. Nada a ver com o time carioca.

Mas a ver com dois clubes que marcaram a sua trajetória.

Você quer ver Tite de volta ao Corinthians ?

Dê sua opinião.


Um dos maiores dirigentes da história do Jardim Leonor não está sendo respeitado

15/09/2014

Crise no Jardim Leonor.

O tradicional clube de madames, quatrocentão e outros bichos e quetais, em verdadeiro voo parafuso rumo ao prédio administrativo da sede tricolor.

A briga entre Carlos Miguel Aidar e Juvenal Juvêncio ganhou um novo capítulo nesta segunda-feira. O presidente do São Paulo resolveu demitir seu antecessor, que ocupava um cargo na diretoria das categorias de base. Além disso, ele afastou Marcos Tadeu Novais e José Geraldo Oliveira, homens de confiança do ex-presidente, que controlavam o CT de Cotia. A demissão aconteceu no início da tarde desta segunda-feira, provocando um bate-boca entre os dois cartolas. Pessoas presentes ao encontro confirmaram que o tom foi ríspido de ambos os lados e cercado de muita tensão. Inconformado com a demissão, Juvenal não poupou críticas ao sucessor, para quem fez campanha, e disse que Aidar caminha para destruir o clube.

“O Carlos Miguel é um predador que vai acabar com o São Paulo. Ele está demitindo todo mundo como um maluco e eu disse isso para ele. A traição é um processo terrível do ser humano e ele está traindo todos aqueles que o apoiaram”, disparou Juvenal. Aidar foi alçado à presidência com enorme apoio de Juvenal, que achou que o atual presidente – que já tinha comandado o clube entre 1984 e 1988 – seria um nome de consenso para agrupar a situação, fragilizada por causa do fim de gestão turbulento que quase culminou com a queda do São Paulo para a Série B do Brasileiro, no ano passado. Juvenal lembra que o time que está em segundo lugar no Campeonato Brasileiro foi montado pela gestão passada.

“O Kaká caiu do céu e o Alan Kardec ele contratou com o dinheiro que deixei para ele em caixa, o mesmo dinheiro que ele dizia não ter. Sabe por que está tudo lindo para ele? Porque o time que nós montamos está ganhando”, criticou. O ex-presidente foi além e disse que o rompimento com o antigo aliado e agora desafeto tem como único objetivo a aprovação do projeto para a cobertura do Morumbi, que não saiu do papel graças ao bloqueio da oposição no dia da eleição – com boicote oposicionista, o Conselho Deliberativo não atingiu quórum de 75% necessário para a aprovação. “Agora ele quer aprovar um projeto que ninguém sabe qual é, quem são as empresas, quanto custa, nada! E quer fazer isso com maioria simples, querem aprovar um pacote fantasma. Eu disse para ele: ‘Carlos Miguel, você está fazendo um tratamento de beleza e acho que os remédios estão afetando seus neurônios'”, disse Juvenal.

“Ele é capaz até de demitir o Muricy, porque o Muricy não aceita aquele monte de jogadores que o Carlos Miguel tenta empurrar. Lá dentro todo mundo sabe que ele é assim, por isso é bem capaz que uma hora ele demita o Muricy. Ele é um maluco”, continuou o ex-presidente. Nesta segunda-feira, Aidar divulgou um comunicado que selou a saída de Juvenal Juvêncio do São Paulo. “Comunico o fim da colaboração do Dr. Juvenal Juvêncio na diretoria por mim presidida. O São Paulo Futebol Clube reconhece a importante contribuição que Juvenal sempre deu ao clube, primeiro como diretor, depois como presidente e por último como diretor novamente”, diz a nota. “Neste momento em que o São Paulo Futebol Clube trilha novos caminhos, agradeço pessoalmente o empenho de Juvenal durante tantos anos e presto minha homenagem a esse grande são-paulino”, encerra o comunicado divulgado por Aidar.

As informações acima são da Veja On line.

Juvenal Juvêncio é um dos maiores dirigentes da trajetória tricolor.

Polêmico, defensor incansável do seu clube, conseguiu algo que nenhum dirigente de clube paulista conseguiu até hoje: controlar praticamente toda a crônica esportiva.

Durante a sua gestão, nenhum jornalista teve a petulância de se posicionar contra o time tricolor.

Algo que, por exemplo, acontece com o Corinthians. UOL, ESPN e alguns jornalistas como Cosme Rímoli e Ricardo Perrone se  posicionam de forma intransigente contra o clube. Dizem ser contra Andres Sanches, mas atingem a instituição.

Com Juvenal sempre foi diferente. Ninguém jamais atacou de forma leviana o time do Convento.

A história de Juvenal, sua idade e sua doença não estão sendo respeitadas exatamente pelo mandatário do seu clube.

É lamentável.

Fico imaginando se isto tudo estivesse acontecendo no Corinthians.

Qual seria a posição da crônica esportiva paulista?


Corinthians x Flamengo: Jogos históricos

13/09/2014

 

 


Persona muito grata

12/09/2014

wladi_

Creditos da imagem: Facebook de Katia Bagnarelli, viúva do Dr. Socrates.Foto registrada ontem,na sala da presidência do Corinthians

Wladimir, o maior lateral esquerdo do Corinthians e aquele que mais vestiu nosso manto, declarou em entrevista a ESPN, que ele, Sócrates e Casagrande são personas non grata no Corinthians.

Não compreendi as razões desta declaração. E muito embora Wladimir tenha apoiado Paulo Garcia, na última eleição, sempre que foi e vai ao clube, é muito bem recebido pelos sócios. Sócios e torcedores, o que mais importa.

Mas logo após a publicação desta entrevista, sua amiga pessoal e viúva do Dr. Sócrates, Katia Bagnarelli, tratou de juntar as pontas e aparar quaisquer arestas, levando Wladimir ao clube e se reunindo com o presidente Mario Gobbi e os diretores dos departamento social, cultural e administrativo.

O Corinthians está acima dos dirigentes. O clube e a torcida são eternos, dirigentes passageiros.

E por estas e outras recomendo que ex-atletas não se envolvam em política de clube.

Wladimir sempre será amado e respeitado pela torcida corinthiana, a quem seremos eternamente gratos.

wladimir


%d blogueiros gostam disto: