Em tempo: Morumbi Não

01/02/2012


Morumbi fora da Copa de 2014:As repercussões

20/10/2011

Celulares de dirigentes desligados, o único que se manifestou foi Marco Aurélio Cunha e o silêncio quebrado por uma nota oficial.

Não teve jeito: O sonho virou lama

Nada de novo na Nota Oficial do clube do Jardim Leonor. Foi o máximo que conseguiram fazer depois do baque sofrido, a maior e mais vergonhosa derrota da história do clube que se julga diferenciado.

Deixar de ser a sede paulista da Copa sobrepuja qualquer derrota sofrida pelo time dentro de campo.

Em off, alguns dirigentes disseram que a soberba de Ricardo Teixeira foi a responsável por tirá-los da Copa.

A mesma soberba, marca característica histórica dos dirigentes daquele clube, que fina ironia do destino.

Foram abatidos pelas próprias armas – “quem com ferre fere, com ferro será ferido” – tudo porque sempre se julgaram auto-suficientes, diferenciados e soberanos.

Mas nos bastidores do futebol e da política brasileira, as coisas não funcionam bem assim.

E na verdade, o projeto tricolor de emplacar sua casa como sede da Copa começou a morrer em fevereiro de 2009, quando o recém eleito presidente Andres Sanches declarou que enquanto fosse presidente do Corinthians, jamais voltaria a atuar no Panetone como mandante.

Perderam dinheiro e visibilidade. Assim como se desenha que perderão ainda mais com a possibilidade de São Paulo ganhar mais duas Arenas, a de Pirituba e a do Corinthians, além da reformada Arena da Turiassu e isso sem contar, na Arena Barueri.

O Panetone ficará às traças, consolidar-se-á num latifúndio de terra improdutiva, terá problema com parceiros que investiram milhões em camarotes.

Créditos:Seo Cruz

O estado de São Paulo não ficará de fora da Copa de 14. Teremos a nossa sede e faremos a abertura e o encerramento da Copa.

Quando o presidente do Corinthians declarou “seu apoio” ao Morumbi, dissemos que aquilo não passava de jogo de cena. Na verdade, tudo já estava desenhado, só os espertalhões do Jardim Leonor não perceberam e agora terão que morrer com essas bolas nas costas – muito embora, gostem.

Muita coisa ainda está pra acontecer. Os bastidores estão fervendo, aliás, muita coisa já vinha acontecendo.

O Corinthians trabalha silenciosamente para garantir a construção do seu estádio, que tem grandes chances sim de sair em Itaquera.

Recursos já estariam sendo negociados e até setembro, tudo poderá estar definido. Mas a construção da nossa casa, corre em paralelo com o projeto de sede da Copa de 14. Uma coisa não está atrelada a outra, mas quem sabe, como disse, tudo ainda pode acontecer.

Nos próximos dias muitas especulações serão divulgadas, insistem mais uma vez em colocar o terrreno do Playcenter como alternativa, enquanto no mercado imobiliário se comenta que lá no máximo será construído um condomínio, a reforma do Pacaembu é um projeto praticamente descartado, Piritubão para o Santos ou Corinthians, Itaquera ou Guarulhos à disposição da Copa, enfim, muitos boatos e especulações, porém, tenham certeza, muitas coisas de fato estão acontecendo nos bastidores e em breve teremos novidades.


MORUMBI NÃO

20/10/2011

Esta disputa ainda está longe de chegar a um veredito final.

A luta pelo Morumbi Não, iniciada neste espaço, continuará firme até o seu resultado final.

Longe de ser meramente por motivos técnicos, a luta é motivada também por disputa de poderes.

Poder político e também econômico. Em se tratando de obras, o Brasil é campeão na arte de enriquecer empreiteiras.

O projeto apresentado pela turma do Jardim Leonor é questionável, entre outros, por 2 aspectos: estima-se que serão gastos algo em torno de 1 bilhão de reais para as obras. Assim sendo, teriam que captar aproximadamente 600 milhões de parceiros e conseguiriam “apenas” captar aproximadamente 400 milhões do BNDS, segundo apurado em matérias sobre o assunto na imprensa.

Por outro lado, se investidores terão que despejar 600 milhões na obra e o governo, através do BNDS, mais 400 milhões, além de todos os investimentos que o governo terá que arcar em obras no entorno do estádio, não seria então melhor investir numa Arena nova?

Ai entra o Corinthians.

O Corinthians está acompanhando de fora, mas nem tanto, essa briga.

No momento em que surge mais um projeto, conforme matéria publicada por Marcel Rizzo, do Portal Ig, que vem se dedicando a este assunto de forma competente.

Segundo a matéria Com Morumbi contestado para 2014, conselho do Corinthians analisa projeto para estádio, o Conselho Deliberativo do Corinthians vai analisar proposta de construção de estádio encabeçada pelo banco Banif. É a primeira vez que se trata oficialmente do assunto neste mandato do presidente Andrés Sanchez.

No dia 6 de abril, o presidente do Conselho, Carlos Senger, anunciou que já tem em mãos a oferta e que criará duas comissões, com seis integrantes cada, para realizar o estudo. O grupo estará aberto também para avaliar outras ofertas, já que mais duas empresas demonstraram interesse e finalizam os projetos.

O assunto vem à tona justamente quando a viabilidade de o Morumbi vir a ser o estádio paulista para a Copa está em xeque. Para que o campo são-paulino seja descartado é preciso ter outro estádio na capital, o que faz os corintianos sonharem.

“Uma das comissões vai analisar a parte documental e a outra a parte operacional. Serão ao menos 90 dias para conclusão e já estou procurando conselheiros que possam fazer análises técnicas”, confirmou Carlos Senger ao iG.

Andrés Sanchez trata o caso com cautela porque não pretende divulgar nada sem ter certeza que, desta vez, vai para frente o projeto. O medo é frustrar mais uma vez os torcedores. Dos diversos esboços apresentados recentemente a ele este foi o primeiro documentado e que, portanto, pode ser analisado. Há até uma maquete, algo que causa calafrios no dirigente por causa dos vários projetos frustrados na história do clube.

O iG teve acesso à oferta feita pelo Banif, que prevê parceria com outras duas empresas e R$ 100 milhões para comprar o terreno e iniciar a obra. O restante (estima-se ao menos ao menos mais R$ 240 milhões) viria de linhas de crédito internacionais e venda de camarotes e cadeiras cativas com a obra já iniciada.

“É uma análise que obrigatoriamente precisa ser feita pelo Conselho Deliberativo do clube”, explicou Senger. Ele também enviará a documentação para o Conselho de Orientação, o Cori, que é presidido pelo ex-vice-presidente de futebol Antonio Roque Citadini.

Na primeira carta de intenções, datada de junho de 2009 e assinado por Antônio Julio Rodrigues, presidente do Banif no Brasil, os parceiros do banco seriam a engenharia EIT e a construtora Consladel. Na proposta atualizada agora, a construtora Hochtief do Brasil substituiu a Consladel e a auditoria PricewaterhouseCoopers aparece como fiscalizadora.

Andrés Sanchez evita o assunto. “Não queremos iludir mais uma vez o torcedor corintiano”, disse. O objetivo da diretoria é que até 1° de setembro, data do aniversário de 100 anos, um projeto definitivo possa ser divulgado.


Local desejado
A proposta que será analisada prevê a compra de dois terrenos próximos à rodovia Ayrton Senna, na divisa entre São Paulo e Guarulhos. Os imóveis estão registrados, respectivamente, no 17° cartório de registro da Capital (sob matrícula 40.896) e no 1° cartório de registro de Guarulhos (68.504).
Fotos do Projeto

Visão diagonal de entrada do novo estádio do Corinthians, cujo projeto, ainda sem garantias de ser viabilizado, é estudado pelo clube

Visão aérea do novo estádio do Corinthians, cujo projeto, ainda sem garantias de ser viabilizado, é estudado pelo clube

1 - Localização do novo estádio do Corinthians de acordo com projeto estudado pelo clube 2 - Localização do Parque São Jorge, sede do Corinthians


Morumbi preparado para o Mundial de Natação

27/02/2011


 

Colaborou: Paulo Monteiro do Blog http://paulomonteiro.wordpress.com/


Só tenho uma coisa a dizer:

02/09/2010


Ta chegando a hora

13/06/2010

Ainda é cedo pra comemorar, mas a nossa Campanha pode não ter sido em vão:

Sobre o Estádio em Guarulhos: Resgatando o passado

Leiam alguns trechos destacados nesta matéria, postada em 15 de agosto de 2007, sobre o projeto de construção de um estádio, em Guarulhos:

http://www.600ml.com/forum/index.php?showtopic=7553

Criada no ano passado, a Associação Coringão apresenta plano de construção de uma arena multiuso em Guarulhos, com teto retrátil, próximo ao aeroporto de Cumbica, para 77 mil torcedores (em referência ao título paulista de 1977), além de 10 mil vagas de estacionamento.

À frente do projeto, o conselheiro do Corinthians, Edgard Ortiz, anunciou que o estádio Coringão será custeado por um conglomerado de multinacionais, tendo o suporte da prefeitura de Guarulhos, que se encarregará de reestruturar o complexo viário, viabilizando, entre outras ações, nova linha de metrô para facilitar o acesso dos torcedores vindos da capital.

De acordo com o Ortiz, o apoio de Guarulhos tem como intuito sediar a Copa de 2014, que deverá acontecer no país.

Confiante na possibilidade de concretizar o estádio Coringão, o responsável pelo plano arrisca, inclusive, a data de inauguração da nova casa corintiana: 1º de setembro de 2010, dia do centenário do clube. O custo da arena está estimado em R$ 400 milhões.

“Não queremos enganar ninguém, mas sabemos que, com o apoio de Guarulhos, que já declarou apoio ao projeto, somado ao interesse de multinacionais, é perfeitamente possível entregarmos o Coringão na festa do centenário”, comunicou Edgard Ortiz ao Pelé.Net.

O primeiro passo do projeto será a compra de terreno de 617 mil m², próximo às vias Dutra e Ayrton Senna, avaliado em R$ 80 milhões. Neste local, aliás, existe projeto de criação de um complexo composto por shopping center, centro de convenções e hotel, reunindo as empresas participantes do empreendimento.

Segundo o representante da associação, uma grande instituição bancária confirmou participação no projeto, sendo que outras empresas estão em “fase final de acerto”.

“Há vários investidores interessados, até porque a torcida do Corinthians predomina em todas as faixas sociais. Somente na classe A são dois milhões de corintianos. É um projeto sério, cuja valorização será imediata. É preciso paciência. Não custa nada acreditar. Tudo é mais difícil no Corinthians. E com o ‘Coringão’ não poderia ser diferente”.

Comentário: Este projeto apresentado em 2007 é exatamente o mesmo que foi reapresentado neste ano. O terreno, localizado 2/3 no município de Guarulhos e 1/3 em São Paulo, está localizado no final do viaduto Aricanduva, sentido Via Dutra.

Um outro projeto será apresentado nos próximos dias,este em Itaquera. Porém, o projeto que está em vias de ser viabilizado é o do terreno em Guarulhos.


Morumbi Não:Convento joga a Toalha Rosa e desiste do projeto

09/06/2010

Logomn03

http://mundobola.com.br/r/185326/11/GloboEsporte.com+>+Futebol/Sao+Paulo+desiste+de+projeto+para+a+abertura+da+Copa+de+2014/

Atualização: 09/06/2010 – 09:20

São Paulo desiste de projeto para a abertura da Copa de 2014

São Paulo desistiu de realizar o projeto de reforma do Morumbi, que já foi aprovado pela Fifa, para receber as semifinais e que credenciaria tecnicamente o estádio como um dos canditatos a receber o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014. Segundo reportagem da “Follha de São Paulo”, o comitê paulista realizará uma obra com menos recursos, que deverão custar entre R$ 250 milhões e R$ 280 milhões. O projeto anterior previa gastos de R$ 630 milhões, valor considerado alto pelos responsáveis.

Mesmo com essa mudança, o comitê não acredita que estaria abrindo mão de sediar a abertura da competição. Acredita-se que a Fifa possa, no futuro, apresentar uma flexibilizarão as suas exigências. Nesse projeto, não haverá o rebaixamento do gramado nem a demolição de dois níveis de arquibancada para a construção de apenas um. Essas duas mudanças que encareciam bastante o antigo projeto.

Além disso, o comitê mais uma vez refutou a possibilidade de erguer um estádio em Pirituba (zona norte). A obra seria realizada com uma verba superior a R$ 1 bilhão, quantia que inviabilizaria o projeto.

Atualização: 17/05/2010 – 20:40

Ricardo Teixeira dá xeque no Morumbi e espera que seja xeque-mate!

Por Marcello Lima

Desde o anuncio da Copa de 2014 no Brasil, a participação do estádio do Morumbi vem sendo tratada como uma verdadeira batalha de Xadrez. De um lado o São Paulo e alguns aliados e do outro a CBF, Federação Paulista e o comitê Organizador.

No principio a estratégia São Paulina foi a de conseguir a simpatia dos governos Municipal, Estadual e Federal para garantir o Morumbi como estádio indicado pela cidade na Copa de 2014 e manter uma política de boa vizinhança com Ricardo Teixeira, histórico desafeto de Juvenal Juvêncio e do São Paulo.

Mas a antipatia do São Paulo ante os principais rivais da cidade além da guerra declarada contra a Federação Paulista de Marco Polo Del Nero, deixaram o clube praticamente sozinho na briga para colocar o Morumbi na Copa. O tosco projeto apresentado pelo São Paulo á FIFA foi o combustível que os desafetos pediram a deus. As criticas abertas ao projeto do Morumbi vindos principalmente do secretário geral da FIFA, Jerôme Valcke, obrigaram o São Paulo a reformular totalmente o projeto inicial. Os projetos que vieram a seguir eram cheios de paliativos, afim de não mexer muito na estrutura do Morumbi o que acabou irritando a FIFA.

A primeira ameaça de retirar o Morumbi da Copa veio daí.

A diretoria São Paulina percebeu que teria que contratar uma empresa de arquitetura ligada a FIFA e com experiência em Copas do Mundo para conseguir um projeto que fosse aprovado pelos “donos do futebol”. A Alemã GMP foi a escolhida e finalmente a coisa começou a andar. Até então Ricardo Teixeira não havia se envolvido na polêmica criada pelas críticas constantes de Jerôme Valcke ao Morumbi, pelo menos, não publicamente.

Mas a eleição do clube dos 13 pôs fim à trégua entre a CBF e o São Paulo, quando Juvenal Juvêncio não só se recusou a votar no candidato indicado por Teixeira (Kleber Leite) como saiu de vice na chapa de Fabio Koff.

Contrariando Ricardo Teixeira o São Paulo sabia o tamanho da encrenca que teria em relação ao Morumbi na Copa do Mundo, já que estava entrando em atrito com o presidente da CBF, do comitê local da Copa de 2014 e membro da alta cúpula da FIFA.

Coincidência ou não, logo após a eleição do clube dos 13, pela primeira vez Ricardo Teixeira criticou e ameaçou o Morumbi publicamente.

O São Paulo correu contra o tempo e a GMP fez o projeto definitivo com todas as exigências feitas pela FIFA. O novo projeto acabou encarecendo a obra, que no inicio era estimada em 200 milhões de reais, passou para 300 milhões e finalmente chegou ao valor atual de 400 milhões. Além da linha de crédito aberta pelo BNDES o São Paulo busca recursos na iniciativa privada para reformar o estádio, já que por ser particular não terá aporte de dinheiro publico de qualquer esfera governamental. Mas o BNDES e as empresas procuradas pelo clube só iriam investir no estádio ou emprestar o dinheiro (no caso do banco) se projeto apresentado pelo clube fosse aprovado pela FIFA. Ai entra a jogada de mestre de Ricardo Teixeira, seu xeque ao Morumbi e seus desafetos do São Paulo.

O projeto foi oficialmente aprovado pela FIFA e pelo comitê Local, fato comemorado pelos São Paulinos.

Mas a principal notícia não era esta e sim a de que a sede aprovada tem o prazo de 30 dias para mostrarem todas as garantias financeiras  e o cronograma das obras relativas à Copa de 2014. Nenhum problema em relação á cidade de São Paulo e as sedes onde será usado o dinheiro Publico tanto nas  obras de infra-estruturar e mobilidade quanto nos estádios que serão construídos ou reformados pelos governos. Mas prazo curtíssimo para o São Paulo, que além do empréstimo do BNDES terá que apresentar todos os parceiros privados dispostos a investir nas reformas do Morumbi. O clube já conversa há um bom tempo com várias empresas, já acertou com algumas, mas ainda está longe de atingir o valor necessário para completar as reformas do estádio. Caso o clube não consiga apresentar tais garantias verá o Morumbi ficar longe da Copa no Brasil. Ricardo Teixeira e seus aliados já comemoram o golpe, considerado fatal, nas pretensões do São Paulo e principalmente de Juvenal Juvêncio, para ter o estádio do Morumbi na Copa. Juvenal Juvêncio jogou todo seu prestigio no projeto do Morumbi, apostou todas as suas fichas, peitou poderosos,ganhou desafetos.

Virou questão de honra para o dirigente São Paulino confirmar o estádio como sede da cidade de São Paulo na Copa de 2014.

A ampulheta foi virada e o São Paulo corre contra o tempo, sabe que a missão é quase impossível, muitos conselheiros e diretores já jogaram a toalha e acham besteira o São Paulo continuar nesta aventura.

Na CBF e até mesmo na FIFA, o Morumbi já subiu no telhado e começam a pensar na construção de um novo estádio na cidade, no tão falado terreno de Pirituba.

Talvez apenas uma pessoa continue acreditando 100% no Morumbi na Copa de 2014.

E cabe a esta pessoa correr contra o tempo para que o xeque de Ricardo Teixeira não vire um xeque-mate.

O “rei” está nas mãos do presidente São Paulino e ele sabe que não pode errar o lance, sob pena de ter feito sua ultima jogada deste complicado e político jogo de xadrez.

Atualização: 13/04/2010

MORUMBI FORA DA COPA

MORUMBI FORA DA ABERTURA E DA COPA:JORNAL ESTADO DE SAO PAULO


A polêmica sobre a utilização do Estádio do Morumbi no Mundial de 2014 está chegando ao fim. Na quinta-feira, o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, vem ao Brasil, em caráter de urgência, para definir o papel do estádio do São Paulo na Copa. Vai trazer na bagagem uma informação contundente: o Morumbi não receberá a partida de abertura da competição e nenhuma outra. Está fora da Copa.

A revelação foi feita ontem ao Estado por um alto executivo da Fifa. Insatisfeito com os projetos de reformas do Morumbi apresentados pela direção do clube desde o ano passado – apesar de ter feito alguns elogios -, Valcke vai se encontrar com os dirigentes do Comitê Organizador do Mundial em São Paulo, de onde seguirá para uma série de reuniões em Brasília. Ficará dois ou três dias no País.

Valcke também vai conferir de perto como estão os demais projetos dos estádios credenciados para abrigar jogos da Copa. Em maio, a Fifa exibirá um vídeo no Brasil com os defeitos técnicos existentes nos projetos do Morumbi. Quer assim se eximir de responsabilidade pela exclusão do Estádio Cícero Pompeu de Toledo.

Em nenhuma hipótese a Fifa aceitará jogos em dois ou mais estádios numa mesma sede. Por isso, de acordo com o executivo entrevistado pelo Estado, a entidade já conta com um plano B para dar ao Estado de São Paulo o direito de abrir o Mundial de 2014. “Esse projeto já chegou à sede da entidade, em Zurique, na Suíça, foi visto com bons olhos e tem participação da prefeitura da capital paulista”, comentou o executivo.

Mudanças de prazo. As obras em todos os 12 estádios do Mundial do Brasil deveriam começar em março. O comitê local já fez uma concessão e adiou o prazo para 3 de maio. Quem atrasar o cronograma da próxima vez correrá o risco de perder o direito de participar diretamente da Copa. Essa mensagem será reforçada por Valcke e estará mais endereçada aos estádios que passarão por reformas.

O Estado de São Paulo, no entanto, será avaliado de forma diferenciada, por causa da longa controvérsia entre o clube do Morumbi e a Fifa. A entidade reconhece a importância do Estado no País e não quer o ônus de um desgaste político por uma participação secundária de São Paulo no evento.

Ainda de acordo com o executivo da Fifa, os projetos de construção de novas arenas preocupam menos a entidade máxima do futebol do que os estádios que serão reformados. “Para quem está saindo do zero, já há um projeto claro, do que vai ser feito, de como a obra será entregue.”

No encontro com o comitê organizador, a Fifa vai reiterar que as quatro ou cinco sedes da Copa das Confederações, em 2013, terão de liberar seus estádios até dezembro de 2012. Essas cidades serão definidas possivelmente logo após o fim da Copa da África do Sul, que se encerrará em 11 de julho.

A entidade, por meio de seus dirigentes, tentará de todas as formas evitar declarações polêmicas nos próximos dias sobre assuntos referentes ao Mundial de 2014. Vai se concentrar no evento sul-africano. Essa é a ordem do presidente da Fifa, Joseph Blatter.
Para lembrar

Estádio recebeu alguns elogios e muitas críticas

Em 19 de março, o São Paulo e o Comitê Organizador Paulista da Copa de 2014 receberam com surpresa e alívio os primeiros elogios do secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, ao Morumbi. O dirigente se pronunciou após analisar relatórios feitos por três integrantes da Fifa, que estiveram no dia 14 de março no estádio são-paulino. “É um prêmio à insistência”, comemorou na época o presidente do comitê, Caio Luiz de Carvalho. “A entidade percebeu o comprometimento do clube e de São Paulo em atender às exigências.”

Em todos comentários referentes ao Morumbi anteriormente, no entanto, Valcke e a cúpula da Fifa apenas fizeram críticas. E, mais tarde, mesmo nas raras afirmações positivas, a entidade nunca garantiu que o estádio são-paulino teria condição de receber as partidas mais importantes do Mundial, como a abertura, pretendida pelos paulistas

Wagner Vilaron – O Estado de S.Paulo

Para acirrar ainda mais a rivalidade entre São Paulo e Corinthians, a alternativa para o veto ao Morumbi pode recair sobre o projeto do estádio corintiano. Em recentes reuniões no Parque São Jorge, a diretoria alvinegra expôs o cronograma de obras. A expectativa é de que a construção comece até a metade de 2011 e que no fim do ano, quando termina o mandato do presidente Andrés Sanchez, pelo menos 50% da edificação esteja pronta.

Caso o Comitê Organizador do Mundial opte mesmo pela arena do Corinthians um detalhe terá de ser revisto. De acordo com diretor ouvido pelo Estado, o estádio terá capacidade para 45 mil pessoas, insuficiente para receber a partida de abertura. Para adequá-lo, o local teria de receber pelo menos 65 mil.

A diretoria corintiana admite disponibilizar o novo estádio para a Copa do Mundo. Mas destaca: a Fifa, por meio do Comitê Organizador, precisaria bancar os custos dessa ampliação. “O Corinthians e seus parceiros nesse projeto não vão colocar um centavo a mais para atingir essa capacidade necessária para a abertura”, explicou um dirigente.

Sanchez se esquiva de falar sobre o tema. Receoso de provocar expectativa que pode não ser atendida e passar por constrangimento idêntico ao de vários de seus antecessores, o presidente corintiano garante que só vai se pronunciar quando houver algo concreto. Ou seja, quando o contrato de construção estiver assinado. Enquanto isso, os responsáveis pelo projeto avaliam dois locais: uma área em Guarulhos e outra em Itaquera. A segunda é a favorita na disputa. /

Atualização: 01/04/2010

Da ESPN

Morumbi não abrirá Copa 2014. Azar de quem ‘paparicou’ a CBF em busca disso


O São Paulo fazia alguma oposição ao comando da Confederação Brasileira de Futebol. Em meio a tantos clubes cordatos e alguns dirigentes com comportamento de autênticos vassalos da entidade, vinha do Morumbi um “sopro” de independência, de contestação, mesmo que mínima, ao que se vê no comando do futebol deste Brasil-il-il-il-il!

Pois nos últimos anos a direção tricolor mudou, desenvolvendo, aos poucos, uma relação mais amistosa com a CBF. Claro que a política apontava para a Copa de 2014. No Brasil, ela trazia a chance de transformar o obsoleto Morumbi num estádio moderno para o torneio. E isso seria inviável entrando em mínima rota de colisão com os donos do Mundial.

Evidentemente há quem queira um novo estádio na capital paulista, desses de centenas de milhões de reais. Mas o governo do Estado disse não a tal ideia. Corretíssimo! O projeto de reforma do Morumbi foi detonado pela Fifa. A maior cidade do país passou a ser “ameaçada” de ficar sem jogos da Copa e o clube de perder a chance de remodelar profundamente sua cancha.

E entre aproximações e desavenças com a CBF, o São Paulo, ainda assim, preservou algo de sua antiga independência. A ponto de seu presidente, Juvenal Juvêncio, integrar a chapa de Fábio Koff na disputa pela presidência do Clube dos Treze. A entidade prefere o ex-dirigente do Flamengo Kléber Leite, como se sabe, mesmo sem anunciar isso oficialmente.

Nesse vai e vem, mesmo tendo algumas recaídas, o São Paulo não “fechou” totalmente com a CBF. Talvez, ou certamente, pela não aprovação do projeto de reforma do Morumbi. E, coincidência ou não, às vésperas da estratégica eleição do Clube dos Treze o estádio são-paulino é vetado para a abertura da Copa. Um comunicado feito pelo próprio presidente da CBF, Ricardo Teixeira.

Valeu a pena o São Paulo mudar de postura? Melhor perder parte da Copa ou o direito de dizer “não” aos que não largam o osso há mais de duas décadas? O Morumbi não abrirá o Mundial daqui a quatro anos. Então azar de quem paparicou a CBF em busca disso. Seria melhor não perder a pose, além de mais honesto com os, digamos, princípios. Se é que de fato existem.

Atualização: 24/03/2010

Do Blog do Seo Cruz:

O Leonorduto

A Prefeitura vai bancar a reforma no estádio do Morumbi para a Copa. Além de levar o metrô, doar um terreno público ao SPFC(para construir um estacionamento particular) e destruir uma praça pública, a novidade agora é que a própria administração municipal está demonstrando que irá ‘tocar as obras’ do estádio. Mais, acredite se puder: A Prefeitura vai até desviar o curso de um rio para tornar possível as obras no interior do estádio.

Depois de ter seu projeto de ‘puxadinho do Morumbi para sediar a abertuda da Copa de 2014′ rejeitado pela Fifa um zilhão de vezes, os dirigentes e abutres do time do Jardim Leonor avançaram sobre o dinheiro do povo.

Primeiro, foi a “doação” da Prefeitura ao SPFC de um terreno de 50 mil metros quadrados para o clube construi um prédio de estacionamento particular (isso numa região de zoneamento que não permite esse tipo construção). Depois, anunciaram levar o metrô para próximo do estadio e até criaram uma linha de VLT (aquele Veículo Leve sobre Trilhos, apelidado de Monotrilho) apenas para garantir o trajeto estação de metrô-estádio (o que vai acontecer com essa linha nos 95% de dias em que não acontecem jogos? Ficará desligada?).

A mais nova estripulia da corja corrupta, segundo matéria do diário Lance!(clique aqui para ver), é que a Prefeitura de São Paulo deve bancar a própria obra da reforma do Morumbi. Detalhe, tudo com o dinheiro dos impostos pagos por mim e você (legal, não?).

Ora, todos sabem que, para a aprovação de uma obra desse porte, é a construtora (e não o poder público) que deve dar contrapartidas públicas e realizar obras para melhorar o acesso e a situação do tráfego na região. Exemplo disso é a obra de ampliação do estádio do Palmeiras, cuja construtora deverá pagar milhões para readequar o sistema viário da região. Porém, curiosamente, no caso do Morumbi acontece o contrário. O poder público é que banca o projeto particular.

Ao que parece, a Prefeitura do senhor Kassab vai até desviar um córrego que passa embaixo do Morumbi, tudo para o estádio abrir a Copa (ou para beneficiar o time do coração?).

Parece mentira, mas é isso mesmo que estão lendo:
A PREFEITURA VAI FAZER OBRAS NO MORUMBI E VAI ATÉ DESVIAR UM RIO QUE HOJE PASSA EMBAIXO DO ESTÁDIO!!!!!

O objetivo de tal obra é desviar o curso do córrego para piscinões que serão construídos na região e possibilidar o rebaixamento do gramado em até 3 metros. As informações são do Estadão (clique aqui para ver).

Isso é um ABSURDO. Esse Kassab tem que ser preso…

Como disse Jesus aos fariseus, digo a essa corja de políticos safados: ‘RAÇA DE VÍBORAS!!!!!!!!’

É incrível como o São Paulo Futebol Clube só consegue aumentar seu patrimônio graças ao seu lobby e aos “favores”, corrupções e desvios do dinheiro público. Foi assim na época da construção do Morumbi (feito com dinheiro, sacos de cimento e trabalhadores do governo do Estado e num terreno público, graças à Laudo Natel) e está sendo assim agora com a organização de uma espécie de LEONORDUTO (em alusão ao Valerioduto) para canalizar recursos para a reforma e ampliação do estádio Cícero Pompeu de Toledo, mais conhecido como Panetone e que fica no Jardim Leonor.

A bancada sãopaulina na administração municipal, encabeçada pelo prefeito Kassab e seus comandados (o presidente da SPTuris, Caio de Carvalho, vereador Marco Aurélio Cunha e o secretário dos esportes, Walter Feldman) vem orquestrando um processo VERGONHOSO para beneficiar o SPFC, para alegria de Juvenal Juvêncio. O pior de tudo é que a maior parte da imprensa está inerte com tudo isso. Como se fosse normal, destinar a verba reservada para educação, saúde e habitação para reformar um estádio de futebol PRIVADO.

Dinheiro público no Morumbi, NÃO!!!

ATUALIZAÇÃO: 26/02/2010

Chora Bambi Imundo, é o pior estádio do Mundo

Grande parte das críticas da Fifa ao Morumbi se baseiam em um estudo feito pela empresa inglesa Steer Davies Gleave, que tem sede em Londres. Ela  até agora estudou os projetos de sete dos 12 estádios brasileiros que foram escolhidos para a Copa do Mundo de 2014. E o estádio paulista recebeu a pior avaliação até agora.

O ponto crítico do Morumbi é o fluxo de espectadores. Para a empresa inglesa o estádio não tem condições, mesmo após as reformas, de receber jogos importantes da Copa do Mundo. As soluções apresentadas no projeto de modernização foram consideradas insuficientes.

Dos sete projetos dos estádios analisados pela empresa, o de Cuiabá foi o mais elogiado. Há uma explicação nisso. Durante o desenvolvimento da arquitetura da nova arena, a empresa inglesa foi procurada para participar de todo o processo. E os representantes do novo Verdão seguiram as orientações dos ingleses, que se preocupam com cada detalhe do caderno de encargos da Fifa. Mas o estádio de Cuiabá, devido a sua capacidade para cerca de 45 mil pessoas, só pode receber jogos da primeira fase da Copa do Mundo.

Além do Morumbi e do Verdão, os estádios de Manaus, Natal, Fortaleza, Recife e Brasília. O próximo estádio da lista para a avaliação da empresa inglesa é a Fonte Nova, em Salvador. O Maracanã ainda não foi estudado.

Atualização: 19/02/2010

Jornal Estadão de hoje

Fifa diz que Morumbi não serve para abertura nem semifinal

Entidade critica novo projeto e rebate São Paulo, que afirmou ter obtido aval para principais jogos

Jamil Chade

O novo projeto do Morumbi ainda não agrada à Fifa e a entidade avisa: ou o São Paulo se prepara para gastar ou não terá a abertura da Copa de 2014 nem quartas de final nem semifinal. O alerta é do secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke. Em declarações ao Estado ontem, ele indicou que seria “lamentável” que a maior cidade do País deixe de receber grandes jogos. “É triste que não haja um entendimento sobre isso.”

Na semana passada, representantes do Morumbi estiveram na sede da Fifa e voltaram a apresentar modificações para o projeto que há meses vem sendo discutido. Em São Paulo, os representantes insistiram que a entidade havia dado sinais positivos para as mudanças, indicando que o Morumbi praticamente já estaria apto a receber até uma semifinal, além da abertura. Nada disso foi confirmado pela cúpula da Fifa, que rebateu o clube paulista. “Ou há um compromisso de pôr dinheiro em um projeto ou a maior cidade do Brasil não terá jogos grandes”, afirmou Valcke. “Se é privado ou público, não cabe à Fifa decidir.”

O secretário-geral foi claro: uma decisão final deverá ser tomada no máximo no início de 2012. Na prática, o São Paulo tem dois anos para chegar a um modelo aceitável pela Fifa. “Do jeito que está não podemos permitir que haja mais que uma partida de oitavas de final. Não há ainda como ter nem um jogo de abertura nem semifinal”, prosseguiu. Valcke advertiu que jogar a responsabilidade para a Fifa e a CBF não resolverá o problema. “A decisão sobre onde será a abertura terá de ser tomada em conjunto por todos”, declarou.

A Fifa está decidida a não permitir que as obras no Brasil sofram os mesmos atrasos que ainda ocorrem na África. O principal estádio da Copa – o Soccer City, de Soweto – ainda não está pronto e a entidade admite que praticamente não fará testes no local antes do Mundial. “Não podemos dizer que estamos satisfeitos com essa situação”, comentou o dirigente.

SÃO PAULO SE DEFENDE

O São Paulo e o comitê organizador paulista reafirmaram ontem que o setor técnico da Fifa – um funcionário chamado Fúlvio teria passado o diagnóstico – definiu que o Morumbi está apto a receber jogos importantes do nível de uma semifinal na Copa de 2014. “A decisão será política, mas seguimos avançando no projeto e, se conseguirmos realizar todas as mudanças previstas, pelo menos já estaremos habilitados a uma partida dessa importância”, garantiu o diretor de marketing são-paulino, Adalberto Batista.

A Fifa desmereceu a informação passada por seu funcionário e assegurou que vale o entendimento de seu secretário-geral. E o São Paulo não possui documento para atestar a aptidão do estádio para uma semifinal.
Atualização: 12/02/2010 – Postagem original 01/06/2009

Nosso amigo Paulo Monteiro obteve junto a Fifa a confirmação da matéria reproduzida ontem (sobre o desmentido a respeito do Morumbi):

> From: media@fifa.org
> To: arq_pauloricardo@….
> Date: Fri, 12 Feb 2010 09:48:55 +0100
> Subject: RE: World Cup 2014
>
> Dear Paulo,
>
> With the current project presented to FIFA, Morumbi would qualify for a Round of 16 match. It is therefore not correct that FIFA has considered Morumbi as qualified to host a semi-final. FIFA has indicated to the Morumbi/Sao Paulo representatives the improvements that are required for Morumbi to reach that capacity. To clarify, FIFA and the LOC would in due course have to select the venues of the semi-finals among all venues who qualify to host such a match.
>
> We hope this is of assistance to you.
>
> For future enquiries, please email: contact@fifa.org
>
> Kind Regards,
>
> FIFA Media Department
>
> —–Original Message—–
> From: feedback@fifa.com; on behalf of Paulo Ricardo Monteiro [arq_pauloricardo@…]; [mailto:feedback@fifa.com]
> Sent: Donnerstag, 11. Februar 2010 20:18
> To: Media Office (FIFA)
> Subject: World Cup 2014
>
> Hi, i have read in brazilian newspaper the following notice: Fifa Acepts Morumbi Stadium, in São paulo, for semi-final games!
> Is it true? The project was aceepted?
>
> Regards

Atualização: 11/02/2010 – Postagem original 01/06/2009


GENEBRA – A Fifa desmentiu as declarações da diretoria do São Paulo nesta quarta-feira e avisou que não há nenhuma definição sobre o Estádio do Morumbi vir a ser sede de jogos das semifinais da Copa do Mundo de 2014.

Após o encontro na terça-feira, em Zurique, de representantes da entidade e do São Paulo, que apresentaram novidades no projeto do estádio, o diretor de marketing do clube, Adalberto Batista, disse que a Fifa havia credenciado o clube a receber jogos das semifinais.

Nesta quarta, a assessoria de imprensa da entidade disse que o estádio hoje tem capacidade apenas para ser sede de partidas da primeira fase e das oitavas de final.

A Fifa explicou que apresentou na terça-feira aos representantes do Morumbi “os critérios e exigências” que o São Paulo deve cumprir para qualificar o local a uma das semifinais do Mundial de 2014.


morumbi_NAo

Considero-me um dos precursores deste Movimento.

O Logo desta campanha, que hoje pode ser visualizado em vários lugares do mundo digital, foi criado por um amigo, simpatizante deste Movimento.

Foi criado um blog para este Movimento, também por um amigo que abraçou a causa:

http://soudoblog.com.br/morumbinao/, que atualiza notícias relacionadas ao tema e consta na relação dos Blogs recomendados, ao lado direito, deste Blog.

Blogs parceiros, inclusive de outras torcidas, como o Cruz de Savóia – http://cruzdesavoia.wordpress.com/, também aderiu ao Movimento.

Iniciei também o “Pacaembu Não”, cujo arrendamento é ferrenhamente defendido pelo diretor de Marketing do Corinthians.

Defendo a construção de um estádio no Parque São Jorge ou Itaquera, é imperativo que o Corinthians possua a sua casa própria.

jt020409

A Campanha está ai. Se o Morumbi um dia for realmente escolhido como sede, não será pela minha vontade e nem pela vontade de milhares que abraçaram a causa.

MORUMBI, DEFINITIVAMENTE NÃO!

27 bilhões serão investidos em São Paulo para a Copa do Mundo de 2014, incluindo a reforma do Morumbi.

Serão construidas linhas e estações de metrô, ampliação da rede hoteleira e hospitalar e outras obras de infraestrutura.

O São Paulo vem de forma desesperada tentando convencer as autoridades de que aquilo que chamam de estádio tem condições de abrigar jogos de uma Copa do Mundo.

Correm também desesperadamente atrás de recursos para executarem as obras.

Falam em 140 mihões, mas estima-se que este valor será triplicado.

Meu apelo – e espero que seja seu também – aos Governos e às Empresas: Não invistam um centavo sequer no Morumbi.

Será gastar vela boa com defundo ruim.

O ideal, mais lógico, mais viável e que garantirá a melhor relação custo/benefício será a construção de uma Arena num local mais acessível e centralizado, que integre todos os tipos de transportes públicos, rede hoteleira e entretenimento, como a construção de Shopping Center e Polo Cultural.

Torcedores, Blogueiros, cidadãos, eu, você, que concorda com esta idéia, vamos abraça-la.

MORUMBI, NÃO!!!

ACESSEM O BLOG:

http://soudoblog.com.br/morumbinao/

projetopaulista1


Mais um calote interrogação

15/12/2009

Do Blog do Avallone:

http://blogdoavallone.wordpress.com/2009/12/14/mais-um-calote-interrogacao/

Nesta semana foi divulgado que o São Paulo está      próximo de obter no BNDES um financiamento para a  reforma do Morumbi para a Copa do Mundo de 2014. Ó,  que surpresa, exclamação. Dá-lhe dinheiro público para  ser investido em uma obra que financeiramente interessa a um grupo pequeno de pessoas e que muito provavelmente não voltará aos cofres do BNDES,  lembrando que tal órgão tem por objetivo o financiamento de longo prazo para a realização de investimentos que contribuam para o desenvolvimento social e tecnológico.

Mas o que chama mais atenção é que o São Paulo Futebol Clube já recebeu uma bela ajuda estatal, não cumpriu a contrapartida estabelecida na ocasião, e mesmo assim será novamente agraciado pelo Poder Público.

Com efeito, quando o terreno onde hoje está construído o Morumbi foi doado ao SPFC pela Prefeitura de São Paulo, o tricolor assumiu o compromisso de utilizar 3/4 da área para a construção do estádio e o restante para um parque infantil e um estacionamento – que deveriam ser construídos e mantidos pelo próprio São Paulo. Resultado: até hoje as criancinhas aguardam o tal parquinho e os flanelinhas comemoram o lucro que é obtido toda quarta-feira e domingo. O documento abaixo é irrefutável nesse sentido.

E o que chama mais atenção ainda é que a área foi doada a contragosto das pessoas responsáveis pelo departamento de urbanismo da Prefeitura de São Paulo e em detrimento da população paulistana. A recomendação era para que a área fosse utilizada para a construção de praças ou parques públicos. Mas o São Paulo Futebol Clube, então presidido por Cícero Pompeu de Toledo (que, por justiça, foi homenageado com o nome do estádio), intercedeu perante a Prefeitura de São Paulo e, praticamente implorando, pediu que a área fosse doada para a construção do estádio. É o que comprovam os documentos abaixo.

De fato, de “pires na mão”, Cícero Pompeu de Toledo argumentou queclube eminentemente popular que é, representante legítimo do Estado de São Paulo, dentro do concerto esportivo desta terra, da qual, leva orgulhosamente o nome e as cores, não tem podido – o São Paulo – projetar-se como deve e pode, entre os demais. Isso porque, sempre nos faltou o fator mais importante para atingir tal fim ou seja, o Estádio, que para um clube, representa o mesmo que a casa própria para qualquer cidadão.”

E sobre os prejuízos que seriam sofridos pela população, afirmou que “o fato desta faixa de terra ser entregue ao São Paulo, para construção de um estádio, não impedirá que o público a frequente. Pelo contrário, parte considerável desse mesmo público passaria a fazer dessa área o seu refúgio dos fins de semana, dos feriados e das suas férias.”

Mas infelizmente o final da história todos conhecem. O parque não existe, nem estacionamento, e o clube é frequentado apenas por pessoas detentoras de um bom poder aquisitivo. Ou seja, tudo ao contrário do combinado.  Por tudo isso, a pergunta que não quer calar é: e o empréstimo do BNDES, terá melhor sorte, interrogação. Aliás, algum clube brasileiro tem condição de assumir um financiamento de R$ 150 milhões?  Eu já dou o dinheiro por perdido.


Rosenberg, se liga nessa:

23/10/2009

morumbi

Publicado no JT:

O palco que receberá o Corinthians na Libertadores do ano que vem já causa leve divergência entre a diretoria corintiana. Luís Paulo Rosenberg, do marketing, é a favor de mandar as partidas no Morumbi e colocar 70 mil corintianos no estádio.

Ele tenta convencer Andres Sanches a voltar atrás em sua decisão de não atuar mais como mandante no campo são-paulino, depois de rusga com Juvenal Juvêncio por causa da cota de ingressos para um jogo do Paulista. Por enquanto, Sanches não deu o braço a torcer e não quer ouvir falar de atuar no Morumbi. O que pode convencê-lo é a questão financeira.

Ontem pela manhã, durante apresentação de uma parceria para a venda de computadores com a marca Corinthians, Rosenberg deu a entender que o Morumbi é opção ao Pacaembu, mesmo depois do estádio municipal ter sido liberado para mais de 40 mil pessoas, o que o deixa em condições até de receber uma final de Libertadores. Andres Sanches fez lobby ante a Prefeitura para aumentar a capacidade de 37 mil para 40.199, justamente para não precisar usar o Morumbi.


Adeus definitivo a La Bambinera

16/10/2009

O Corinthians pleiteou e a Prefeitura aumentou a capacidade de público do Pacaembu para 40.199 pessoas.

Com esta upgrade no estádio, poderemos disputar até uma final de Copa Libertadores.

Temia-se que numa eventual decisão desse torneio Sul-americano, tivessemos que utilizar La Bambinera.

E não utilizariamos, até porque, o presidente Andres Sanches já declarou reiteradas vezes que enquanto ele for presidente do Corinthians, não jogaremos como mandantes em La Bambinera.

A alternativa para uma eventual decisão seria o Maracanã.

Upgrades a parte, na verdade, o Corinthians necessita de um estádio.

Não arrendado, nem emprestado, um estádio próprio, para pelo menos 70 mil pessoas.

E já que a farra do dinheiro público vai ser institucionalizada, sacramentada e juramentada, bem que poderíamos morder uma graninha dessa pra construir o nosso.


Maracutaia Institucionalizada

14/10/2009

Recebi a seguinte mensagem do nosso colega Luis Carlos e serve como debate e alerta:

Trata-se do projeto de lei n° 5.310/2009. Esse projeto é de autoria do deputado federal Beto Albuquerque (PSB/RS) e foi apresentado em 28.05.2009, na quinta-feira anterior (último dia “útil” da câmara) ao anúncio oficial das cidades-sedes pela FIFA.


O projeto visa exclusivamente exclusivamente beneficiar os donos do Morumbi, Beira-Rio e Joaquim Américo (Atlético Paranaense) de modo a que quaisquer reformas sejam bancadas exclusivamente com recursos públicos disfarçados na forma de renúncia fiscal, inclusive de contribuições sociais, que, como se sabe, vão para os bolsos dos aposentados e pensionistas.

O projeto já passou por todas as comissões e o texto teve parecer favorável à aprovação, dado pelo deputado Valadares Filho (PSB/SE).

Devo lembrar que nem todos os projetos vão para aprovação em plenário e esse pode ser um deles.

Link para download do texto do projeto:

http://www.camara.gov.br/sileg/integras/660030.pdf

Link para acompanhamento do projeto (somente enquanto estiver tramitando dentro da câmara dos deputados):

http://www2.camara.gov.br/proposicoes

Obs.: Preencher da forma a seguir (pesquisa pelo número da proposição):

Tipo: PL-Projeto de Lei

Número: 5310

Ano: 2009

Clicar em “pesquisar”.

Opinião:

Por mais que protestemos, acontecerá neste país a maior derrama de dinheiro público jamais vista na história desta nação, para a construção e reforma de estádios.

La Bambinera, com certeza, será uma das beneficiadas.

E a história se repetira: Pela segunda vez o povo verá seu dinheiro misturado a pedra e cimento naquele estádio.


Os milagres da computação gráfica

04/10/2009

A imagem abaixo trata-se de como ficará La Bambinera (ou La Desprezada, como queiram), em 2014.

Morumbi-por-dentro

Observando alguns detalhes deste projeto Lego, percebe-se de pronto que através das maravilhas da Computação Gráfica, todos os pontos cegos do estádio deixarão de existir.

Para os que já frequentaram, percebam o que fizeram com os setores térreo e intermediário: foram inclinados, dando a falsa ilusão até de que foram aumentadas as capacidades destes setores.

Um verdadeiro milagre da Tecnologia do Terceiro Milênio.

Resta saber, mais quanto dinheiro público será despejado neste projeto Lego.


%d blogueiros gostam disto: