***** EDIÇÃO EXTRA DO BLOG DO CACO *****

macaco-com-microfone

 

(Post dedicado a Dona Renata)

 

(Não. Não se trata de um Vladimir Herzog dos novos tempos.

Nem é válida a tentativa de transformar a carceragem do 31 Dp da Vila Carrão, num porão do Doi Codi, num  Dops)

Muito menos é válida a tentativa de tentar transformar quaisquer delegados, deste caso, em “Delegados Fleury”.

Pelo amor de Deus, um mínimo de discernimento a essa pouca gente que saiu em defesa do nosso “Vingador Escarlate”.

Por que não se trata, assim, de uma figura angelical e injustiçada.

Há praticamente 1 ano antecipávamos https://blogdosilvinho.wordpress.com/2014/08/15/o-que-ha-em-comum-entre-suzane-richtofen-e-o-blogueiro-lingua-presa/

E veio.

O figura em questão trata-se de alguém com seríssimos transtornos megalomaníacos. Julgando-se acima da lei, desde que amealhou um número considerado de seguidores e certa popularidade, passou a utilizar sua tribuna diária como se fora uma marreta eletrônica, uma bazuca com mira a laser cibernética destilando ódio pelos bits e bytes dessa aldeia digital.

Eu, por diversas, fui atingido pela marreta do escriba. Mesmo cambaleante (algumas vezes), sempre respondi a cada ataque. Não na mesma moeda, pelo meu caráter e princípios. Mas respondi. Até que, a partir de determinado ponto, deixei de reagir. E passei a ignorar. O leitor já sabia bem quem era quem, já não se fazia mais necessário ter que desmentir cada ataque. 

O pior ataque sofreria no inicio de 2009. Em conluio com semelhantes de hábitos, numa espécie de formação de quadrilha, atacaram minha vida pessoal de forma vil e rasteira. E-mails enviados aos diretores do local onde trabalhava sem terem surtido o devido efeito, ao ataque final, um dos quadrilheiros, em contato com a diretoria da empresa, dizendo que eu me tratava de um bandido ligado ao PCC e a a bandidos de uma torcida organizada.

O bom senso dos diretores da empresa, bem como a garantia da empresa que prestava serviço de segurança (que eu não me tratava de um bandido..) mantiveram-me no emprego. Mas foram dias desgastantes, de muito sofrimento e revolta.

Neste caso, recebi os mais variados apoios. Desde ofertas de emprego a outros tipos de apoio impublicáveis, condenáveis e execráveis. 

Em duas oportunidades em que compartilhamos o mesmo ambiente (as duas no Fórum Criminal da Barra Funda), ele como acusado, eu como testemunha, mais um constatação inequívoca da instabilidade emocional do escriba. Desrespeitando advogado de acusação, testemunhas e até funcionários do Fórum, o ápice atingido já na sala de audiência, quando teve que ser repreendido pelo promotor e o juiz quanto ao seu comportamento.

Ao longo da sua carreira “jornalística”, nosso escarlate vingador agregou simpatizantes, seguidores, mas muitos inimigos.

Atacando muita gente, transformou sua tribuna num tribunal digital inquisidor. Mulheres (mães de família ou não) transformadas em putas. Homens (pais ou não de família) em bandidos, vagabundos. Sem a menor chance de defesa, sem o devido direito de resposta, vendo sua reputação estraçalhada sem, muitas vezes, saber o por quê.

Estragou a vida de muita gente por mero revanchismo. Tomou pra si inimigos quem nem eram seus, pelo simples prazer do oficio de teclado de aluguel.

E por falar em teclado de aluguel. Nestes dois últimos dias sentimos a falta da reação pública de alguns dos seus principais supostos mantenedores. Gente que, cada vez que atacada ou incomodada, soprava na sua orelha o que tinha acontecido e o que deveria ser escrito. 

Não se abandona um soldado ferido em meio a uma batalha. A mais dura enfrentada pelo escriba.

Pior que a prisão, é agora a exatidão do endereço fixo, a facilidade pra encontra-lo pra garranchar um papel. Dezenas de processos interrompidos pela ausência escapatória do agora encarcerado. Agora sabem ondem encontra-lo. Outras denuncias virão, muitos processos retomarão seu rumo, outras condenações muito provavelmente também virão.

Encerro esta edição extraordinária explicando o motivo da imagem que ilustra o texto. Ultimamente, cada vez que me ataca, utiliza a figura de um macaco com um microfone, chamando-me de “Caco”. Evidente, trata-se apenas de uma coincidência o fato de eu ser negro e comentarista de uma web rádio…

Ele vai voltar a escrever. E se derem mole, vai se muquiar em algum cantinho que lhe oferecerem (de novo) e voltar a dar canseira na justiça.

E não se iludam, nem tentem iludir. O sagrado direito a liberdade de expressão está preservado.

Menos a libertinagem de expressão…

Pu-bli-que-se…

 

 

 

 

 

 

 

3 respostas para ***** EDIÇÃO EXTRA DO BLOG DO CACO *****

  1. Mauro Oliveira ben Yosef disse:

    Saudades do seu blog por aqui amigo!

    E aqui se faz aqui se paga!

    Tinha tudo pra ser aquilo que ele acha que é, mas não da pra fingir por muito tempo não é mesmo…

    Curtir

    • Blog do Silvinho disse:

      Também sinto falta das resenhas por aqui. Mas vamos que vamos, podemos resenhar lá pelo GE também

      Grande abraço

      Curtir

  2. Alex disse:

    O pederasta está guardado. E você cantou a bola, mano. Abraço.

    Curtir

Amigo, faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: