Derrota de um time irreconhecível

02/05/2013

Os argentinos estão mordidos, com sangue nos olhos, cheios de gana e vontade de se vingar da derrota na Libertadores do ano passado.

Nosso time tem que estar ligado, focado e jogar com inteligência.

Pois é.

Ontem alertávamos quanto ao fato da necessidade do time entrar ligado, focado e jogar com inteligência.

A tão falada consistência, intensidade, o desenho tático elogiado por 10 entre 10 profissionais que vivem da bola, pelo menos nesta partida, diante do Boca, não esteve presente.

Uma equipe que ao longo dos anos ficou marcada, entre outras coisas, pela posse de bola, hoje mal conseguia controla-la.

Ansiedade, nervosismo, só os atletas poderão dizer o que de fato os abateu.

Na verdade, coletivamente não jogamos bem.

Individualmente, alguns jogadores deixaram demais a desejar.

Paulo André em outra órbita, nossos laterais, como sempre, nossos laterais, Ralf disperso e nervoso, Paulinho, aquele que pensa que é meia e se esqueceu que é segundo volante, Emerson voluntarioso como sempre, esforçado, mas também, só isto, Danilo em permanente estado de currução (termo caipira aplicado para quem vive com sono), enfim, coletivamente e individualmente, o time deixou a desejar.

A principal diferença deste Boca para o Boca do jogo do ano passado, está no banco.

Carlos Bianchi, um dos maiores treinadores da história do futebol argentino, conhece cada milímetro daquela Bombonera, cada página da história do Boca Juniors e sabe muito bem como armar uma equipe.

E mesmo tendo em mão o que é considerado um dos piores plantéis da história do time argentino, foi quase perfeito taticamente nesta noite.

Por outro lado, nosso treinador não conseguiu mudar o estado das coisas, assistindo, quase que impassível, um time jogando de forma irreconhecível, sem conseguir colocar em prática o dever de casa, já que não é possível que seja isso que vimos, o que foi treinado, o que foi ensaiado.

Perdemos de 1 a 0 e pelo que jogamos, foi pouco, e dentro das circunstâncias, dos males, o menor.

A boa notícia é que esta partida muito provavelmente foi a melhor disputada pelo Boca, neste ano. O time é limitado e mesmo com Riquelme em campo, não joga mais do que isto.

A má notícia é que aqui catimbarão o jogo todo, a tal milonga argentina será colocada em prática como nunca antes na história do futebol hermano e se entrarmos na pilha, não avançaremos.

Podemos jogar muito mais do que jogamos hoje.

Porque tanto quanto futebol, faltou tranquilidade, malandragem, não havia por que o time estar tão ansioso, tão nervoso, tão descontrolado.

Voltando ao ponto individual, alguém precisa conversar com o Paulinho. Que seja o treinador, o gerente, os diretores ou até o presidente.

Alguém precisa ser curto e grosso com ele: “Paulinho, você é volante, meu amigo. Se quer jogar de meia, de ponta de lança, vai ter que disputar posição com outro jogador”.

Paulinho está sobrecarregando seu companheiro Ralf e não é de hoje. Sobrecarregando Ralf, adeus consistência defensiva, ato contínuo, efeito cascata em série, defesa fica exposta e ai, se o multimídia Paulo André não estiver numa boa noite, danou-se.

Falar dos nossos laterais é chover no molhado.

Danilo, jogador inteligente, bom passador, de excelente visão de jogo, mas que tal se ligar, acordar, participar mais do jogo?

E Alexandre Pato, o jogador mais caro do elenco, diferenciado, vai ser reserva de luxo até quando?

Mal aproveitado, neste jogo, por exemplo, em alguns momento foi visto ajudando na defesa e jogando no meio de campo, como se fosse um volante…

Enfim, a intenção não foi carregar nas cores, ser catastrófico ou emitir opiniões pessimistas.

Não se trata disso. Mas também não podemos nos esconder da realidade.

Somos um clube vencedor, mas também temos deficiências.

Deficiências que precisam ser encaradas e erradicadas.

E por falar em deficiência, que falta faz neste time um cobrador de faltas, de escanteio…

Comente a partida.

E Vai Corinthians

 


Vai Corinthians!

01/05/2013

Hoje é quarta-feira.

Feriado, Dia do Trabalhador, Parabéns a todos os guerreiros trabalhadores brasileiros, hoje em especial aos trabalhadores que estão erguendo nossa Meca, em Itaquera.

E hoje é dia de Corinthians.

Corinthians x Boca, o maior clássico do futebol sul-americano.

Os argentinos estão mordidos, com sangue nos olhos, cheios de gana e vontade de se vingar da derrota na Libertadores do ano passado.

Nosso time tem que estar ligado, focado e jogar com inteligência.

Acreditamos na vitória em La Bombonera!

Da última vez foi assim, quando Romarinho, que havia entrado há pouquíssimo tempo, calou La Bombonera:

Vai Corinthians!


Na quarta

17/04/2013

Sim, hoje é quarta-feira.

Mas não é desta quarta a qual estou me referindo.

A propósito, hoje é quarta-feira mas não é dia de jogo do Timão.

Quarta-feira sem Timão, só resta a feijoada. 

Enfim, estou me referindo à quarta melhor campanha na Libertadores, até o momento e que certamente será mantida.

Com a vitória do Santa Fé (CO) ontem, diante do Real Garcilaso, por 2 a 0, o time colombiano chegou aos 14 pontos, atingindo a segunda melhor campanha na competição, definindo as posições no grupo 6.

Confirmada a quarta posição, o Corinthians enfrentará o 13º posicionado nesta fase de grupos, ainda indefinido.

A definição de todos os confrontos acontecerá após o término da rodada nesta quinta-feira.

Até o momento, os confrontos da próxima fase, oitavas de finais, no modelo “mata-mata”, seriam:

Imagem: Globoesporte.com

Imagem: Globoesporte.com

Neste caso, nosso adversário nas oitavas de finais seria o Boca Juniors, reeditando a final da Libertadores 2012, sendo que o vencedor deste confronto enfrentaria outra equipe argentina, do vencedor entre Velez e Newell’s Old Boys.

Na rodada de hoje teremos o confronto entre os brasileiros Atlético Mineiro, já confirmado como o time de melhor campanha nesta fase e o SPFW, que além de vencer, precisa torcer por pelo menos um empate entre Arsenal de Sarandi e The Strongest, dependendo também da quantidade de gols marcada e sofrida nestes dois confrontos.

Dramática a situação do time querido da crônica esportiva, o número 1 das redações esportivas.

Mas cada um com seus problemas.

Vai Corinthians!

 


Para confirmar a liderança

10/04/2013

O San Jose seria apenas mais um adversário se este confronto não estivesse marcado por tantas situações terríveis.

Melhor, por ora, é nos atermos tão somente ao fator futebol jogado dentro de campo e neste quesito, o poderio corinthiano em relação ao time boliviano é desproporcional.

Nem o corneteiro mais ferrenho será capaz de arriscar um empate ou uma vitória apertada no jogo de logo mais a noite, com transmissão da Radio Coringao, no Pacaembu.

Porque este time do San Jose é muito fraco.

Jogadores relacionados para o jogo, time titular escalado.

Os relacionados:

Goleiros: Julio Cesar e Danilo Fernandes
Laterais: Alessandro, Edenílson e Fábio Santos
Zagueiros: Gil, Paulo André, Chicão e Felipe
Volantes: Ralf, Paulinho e Guilherme
Meias: Danilo e Giovanni
Atacantes: Guerrero, Alexandre Pato, Emerson Sheik, Jorge Henrique, Romarinho e Paulo Victor

E a equipe titular:

Julio Cesar; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Romarinho; Emerson Sheik e Paolo Guerrero.

Qual o seu palpite para o jogo de hoje?

E Vai Corinthians!


Líder e classificado

04/04/2013

Foi suado, sofrido.

No primeiro tempo, o time não honrou as últimas conquistas, completamente perdido em campo, sem domínio da bola, sem conseguir construir as jogadas, facilmente dominado pelo adversário.

Pato isolado no ataque, Paulinho irreconhecível, o time acuado em campo, jogando praticamente atrás da linha da bola.

Mesmo assim, tivemos três grandes chances para chegar ao gol.

No segundo tempo as coisas melhoraram.

O time passou a controlar mais a bola, conseguiu dar um pouco mais de qualidade ao seu jogo.

Até que eles, sempre eles, Jorge Henrique logo após ter entrado em campo substituindo Pato, tocou para Danilo, que como nas últimas partidas, também não vinha jogando bem.

Danilo tirou o adversário da jogada e chutou, de pé esquerdo, no canto, gol do Corinthians, mais um gol do decisivo Danilo, vitória e liderança corinthiana.

Cassio, entre falhas bisonhas e grandes defesas, ajudou a garantir a vitória.

Vencemos mais uma vez, sem convencer.

Mas há de se destacar a postura da equipe, que em nenhum momento se desesperou, manteve o equilíbrio e teve a sorte chamada “sorte de campeão”.

Se o que vale são mais 3 pontos, que assim seja.

Agora, líder do grupo, com 10 pontos, a mesma pontuação do Tijuana, mas com 2 gols a mais que o time mexicano.

Na semana que vem decidiremos nossa liderança em casa, contra o San Jose, onde a vitória e o saldo de gols serão fundamentais.

Comente a partida.

E Vai Corinthians!

 


Jogando pela classificação

03/04/2013

É quarta-feira.

E quarta-feira você já sabe, é dia de Corinthians. Mesmo distante, fora de casa, sem apoio da torcida nas arquibancadas, o Corinthians vai em busca da classificação para a próxima fase da Libertadores, dependendo também do resultado do jogo entre San Jose e Tijuana, na Bolívia.

Guerrero, com dores na coxa, desfalca o time, que já foi escalado com Cássio, Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf e Paulinho; Emerson Sheik, Romarinho e Danilo; Alexandre Pato.

O Millonarios ocupa a lanterna do grupo, com 3 pontos, em 4 jogos, tendo vencido apenas o San Jose, em casa.

Vai Corinthians!

 

Quatro jogadores corinthianos convocados por Felipão

Felipão convocou 4 corinthianos para o amistoso do próximo sábado, contra a Bolívia, no Estádio Ramon “Taihuichi” Aguilera, em Santa Cruz de la Sierra, 16:30 (horário de Brasília).

Parte da renda será doada para a família de Kevim Espada.

Matheus (goleiro campeão da Copa São Paulo 2012), Ralf, Paulinho e Pato foram os convocados.

A convocação dos corinthianos vêm pra dar um pouco mais de razão à existência desta seleção brasileira, que vem derrapando partida a partida, com futuro incerto e dependente da “genialidade” do artista santista.

Os demais convocados foram:

Goleiros
Matheus Vidotto (Corinthians)
Jefferson (Botafogo)

Laterais
Douglas Santos (Náutico)
André Santos (Grêmio)

Zagueiros
Rever (Atlético-MG)
Dória (Botafogo)
Dedé (Vasco)

Meio-campistas
Jean (Fluminense)
Arouca (Santos)
Ralf (Corinthians)
Paulinho (Corinthians)
Jadson (São Paulo)

Atacantes
Neymar (Santos)
Ronaldinho (Atlético-MG)
Alexandre Pato (Corinthians)
Leandro Damião (Internacional)
Osvaldo (São Paulo)
Leandro (Palmeiras)

 


O Bi Mundial está de volta

14/03/2013

Sem medo de errar, sem exageros, podemos garantir que ontem foi a melhor exibição do Corinthians, em 2013.

corinthians_tijuana_rib

E poucas vezes, na trajetória desta equipe vencedora, assistimos a uma partida que todos os jogadores registraram desempenhos acima da média.

Vínhamos cobrando melhor desempenho de Ralf e Paulinho, porque ambos, nas suas respectivas funções, são as molas propulsoras deste time campeão.

Quando não jogam bem, o time sofre, as coisas ficam mais difíceis.

Mas quando jogam – e ontem jogaram muito – o time inteiro se beneficia.

Quando ambos marcam melhor, os laterais podem se soltar mais, apoiar mais o ataque, os homens de frente e de criação não se sentem tão sobrecarregados na função de marcadores e os zagueiros ficam menos expostos.

E foi exatamente isto o que vimos ontem.

Uma exibição digna de campeão, digo, bi campeão.

Alessandro e Fabio Santos marcaram bem e apoiaram com frequência e qualidade

Nossos zagueiros, quando exigidos, deram conta do recado.

Nosso meio de campo ontem, irretocável. E Renato Augusto, demonstrando que valeu a pena o investimento.

Guerrero, além de matador, desempenhando perfeitamente sua função tática.

Pato teve que sair mais cedo, mesmo assim, deixou sua marca.

Tite acertou nas substituições e os que entraram também corresponderam.

E se de um lado víamos uma equipe bi campeã mundial jogando o “fino da bola”, marcando forte e desarmando as jogadas de forma viril, porém leal, do outro lado uma equipe que só batia e que se beneficiou da arbitragem omissa, digamos assim.

É claro, é óbvio que o que vale mesmo é bola na rede.

Mas a partida de ontem, abrilhantada pela vitória por goleada, ficará marcada, sobretudo, pela bela exibição do time.

Comente a partida.

E Vai Corinthians!

 

 


Hoje com o time completo

13/03/2013

Hoje é dia de Corinthians.

Logo mais, as 22 horas, Pacaembu de braços e portões abertos receberá o Corinthians e sua imensa torcida.

O adversário será o mesmo da semana passada, o Tijuana.

Só que desta vez em condições normais, naturais, gramado, bola, torcida apoiando o tempo todo, casa cheia e muita Fé.

Time escalado, vamos de Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Renato Augusto; Alexandre Pato e Paolo Guerrero.

Este é o time, o time ideal.

Vamos com tudo, focados e determinados para mais uma vitória.

Vai Corinthians!


A primeira derrota em 2 anos

07/03/2013

Altitude.

Mas quando não é a altitude, é a distância, o aeroporto que é ruim.

Joga em casa, mas sem torcida.

Muito frio. Mas quando não está frio, é muito calor.

Ontem foi a grama. Mas também teve a arbitragem, que validou um gol irregular, em impedimento.

A grama artificial, o juíz, a bola que quicava demais, a chuteira que prendia no gramado, a viagem cansativa…

Justificativas (ou desculpas) não faltam para as nossas derrotas.

Eu opto por outro caminho.

Não que ontem, por exemplo, jogar num gramado artificial não tenha prejudicado a evolução, o desempenho do futebol da equipe.

Mas prefiro analisar outros pontos.

Nosso time toca, toca, toca, quer chegar ao gol praticamente a poucos metros do goleiro.

Uma equipe incompetente com a bola parada. Não acertamos escanteios, não chutamos de fora da área.

Cassio, Alessandro, Fábio Santos, Danilo e Paulinho ainda não voltaram do Japão.

Precisam ser resgatados lá com urgência.

Nossa equipe se tornou previsível. Com grama natural ou artificial.

Estamos sofrendo um pouco com a criação. Renato Augusto vem jogando bem, conquistou a titularidade, mas é humanamente impossível para um homem de criação ter que criar e marcar tanto, defender tanto, as pernas não aguentam e ai começam a acontecer os passes errados.

Danilo parece sofrer de “currução”, um termo muito usado pelos meus antepassados quando o sujeito se apresentava com excessivo estado de leseira, preguiça, cansaço. Sem Danilo bem, o time sofre, foi assim nos últimos anos.

Paulinho, nosso segundo volante, parece que recebeu salvo conduto para não marcar. “Peço que tu marques” hoje, quem deve estar ouvindo mais é o Guerrero.

Enfim, perdemos a primeira em pouco mais de 2 anos de competição cucaracha.

O Tijuana disparou na liderança, 9 pontos e agora a responsabilidade é toda nossa de fazer o dever de casa para garantir a segunda vaga no grupo.

Comente a partida.

E Vai Corinthians!

 


Estádio vazio, vitória cheia

28/02/2013

27 de fevereiro de 2013.

Um dia para ser lembrado. Ou melhor, esquecido. Ou ambos.

A ordem dos fatores não alterará o produto.

Público Pagante: 4

Público Pagante: 4

Dependendo do ponto de vista que se enxerga, que se analisa.

O papo agora é de futebol. O time ontem foi muito bem, conseguiu envolver o time colombiano, trocando passes com rapidez, chegando fácil a área adversaria.

O gol saiu logo, de novo com ele, Guerrero, oportunismo dentro da área.

Cabiam mais gols, o goleiro colombiano foi o destaque do seu time. Fez muitas defesas, algumas no susto e em outras oportunidades, contou com a sorte, como numa bela jogada de Pato.

Pato, que mais uma vez deixou sua marca. O rapaz tem talento, domina a bola como poucos, tem inteligência e classe, reiteramos que não há como ser reserva deste time.

O time marcou posicionou-se melhor em campo ontem, também marcou melhor, aos poucos o entrosamento vai voltando, assim como o melhor condicionamento físico.

Renato Augusto, Danilo (quando recuperar a forma física), Pato e Guerrero, estes 4 quando se entrosarem, vão dar muito trabalho para os adversários.

E quando Ralf e Paulinho voltarem a jogar melhor e Chicão voltar ao time, em forma, entrosando-se novamente com Paulo André, teremos novamente um time muito forte, com cara de cara, corpo e alma de campeão.

A vida vai seguindo e as coisas voltando ao normal.

Comente a partida.

E Vai Corinthians!

 

 


Hoje jogando para mais de 30 milhões

27/02/2013

Hoje, num Pacaembu vazio por dentro, o Corinthians fará sua segunda partida pela Libertadores.

Não há registro na história de tal semelhante acontecimento.

O Corinthians jogar no Pacaembu sem ter a sua torcida ao lado.

Porém, como sempre, os mais de 30 milhões mais do que sempre, como nunca antes na nossa história, emanarão vibrações positivas para os nossos jogadores atuarem como se estivessem jogando para os 40 mil que costumam lotar o monumental Pacaembu.

Exatamente no ano em que nossa Meca ficará pronta, quis o destino que uma das partidas de despedida acontecesse sem a presença da torcida.

É como que se o Pacaembu começasse a se preparar para conviver com o vazio.

Vazio que ficará quando pronta estiver nossa Meca.

Time escalado e com mudanças.

Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Renato Augusto e Danilo; Alexandre Pato e Guerrero.

Emerson, finalmente de fora. Mais pelos atrasos no treinamento do que pelo seu desempenho.

Time forte e focado, pronto para vencer mais um desafio.

Vai Corinthians!


Um auspicioso empate nas alturas

21/02/2013

Empatamos na nossa estréia na Libertadores 2013.

Assim como empatamos na estréia da nossa vitoriosa trajetória no ano passado.

O empate ficou de bom tamanho, por várias razões.

O time iniciou a partida impondo um ritmo forte, de campeão, entendendo que teríamos que definir a partida logo de início, para depois tentar administrar os efeitos da altitude, que inevitavelmente abateria alguns jogadores, como de fato acabou acontecendo.

Em bela jogada pela esquerda, Guerrero marcou seu primeiro gol na competição.

A superioridade técnica do Corinthians em relação ao adversário foi demonstrada de forma latente. Mesmo a quase 4 mil metros de altura, diante do time da casa, conseguíamos tocar a bola e envolver o San José.

Mas aproveitando-se dos fatores da altitude, os bolivianos impuseram a correria, conseguindo chegar ao campo de ataque, mas faltava qualidade técnica na finalização.

Chegaram ao gol de empate, tiveram oportunidades para virar o placar, da mesma forma que o Corinthians teve oportunidades para aumentar o placar.

Mas não era a noite de Emerson, que perdeu 3 gols incríveis, sendo 1 deles inacreditável.

Ao final, o empate ficou de bom tamanho e a certeza de que, aqui no Pacaembu, não teremos nenhuma dificuldade para vencer este adversário.

Comente a partida, diga o que achou do desempenho do time neste primeiro jogo.

Vai Corinthians!

 


%d blogueiros gostam disto: